Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

O anti-BBB: Reality é fracasso de patrocínios para a Globo; Entenda

Lorena Matos
01/06/2022 - 10:00
Fachada sede Globo com logo da TV
Globo tem apenas duas patroinadoras para o reality show No Limite (Imagem: Shutterstock/Montagem Giovanna Figueredo)

Ao contrário do sucesso do Big Brother Brasil em relação à venda de cotas de patrocínios, a Globo está lutando para salvar o reality show No Limite, informou o site Notícias na TV.

A sexta edição do programa que iniciou pouco após o fim do BBB, no dia 3 de maio, conta apenas com duas patrocinadoras até o momento, a Lacta e a Jeep. Em 2021, sete empresas patrocinaram o programa.

A edição de 2021 marcou a retomada do programa após mais de 10 anos sem ser transmitido, e contou com as marcas Skol, Claro, iFood, Unilever, iti e Amazon. O TikTok foi patrocinador do top de 5 segundos e o reality teve também ações de marketing da Hypera e da Hoteis.com.

O cenário atual destoa do BBB 22, que na primeira semana do programa já havia rendido aos cofres da Globo um valor de pelo menos R$ 600 milhões em cotas de mais de 10 patrocinadoras.

Com a baixa aderência em relação aos patrocínios e a discrepância com o BBB e a edição anterior do próprio programa, sua continuidade para 2023 está ameaçada.

Globo busca salvar o programa do fracasso

O reality show não tem rendido bons resultados para a Globo. Além da questão de receita pela venda de cotas de patrocínio, no dia 17 de maio, o programa era exibido em simultâneo com a Libertadores, transmitida pelo SBT, que passou na frente em audiência durante um período, em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Na capital paulista o programa tem média de 16,7 pontos de audiência.

Segundo o Notícias da TV, a Globo montou uma operação especial de emergência e preparou um relatório completo e enviou para as agências e tentar vender cotas do programa na última terça-feira (24), o qual o portal teve acesso.

Conforme divulgado, no relatório a Globo detalha aspectos como o perfil do público do reality show, dando destaque para a classe A/B, que tem maior poder aquisitivo e costuma ser mais requisitado por anunciantes.

Além disso, houve aumento de público masculino e de jovens entre 18 e 24 anos.

A emissora busca contornar a situação e vender mais cotas, apostando no alcance nacional do programa para isto.

Entre para o nosso Telegram!

Faça parte do grupo do Money Times no Telegram. Você acessa as notícias em tempo real e ainda pode participar de discussões relacionadas aos principais temas do Brasil e mundo. Entre agora para o nosso grupo no Telegram!

Leia mais sobre: , , , , ,

Última atualização por Renan Dantas - 31/05/2022 - 15:03

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado de marketing?
Receba todo sábado as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto