Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

O medo que a inflação está impulsionando o ouro e o bitcoin pode ser exagerado

11/08/2020 - 13:49
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Ouro Commodities
O receio da inflação parece estar por trás de tudo nos últimos dias, mas não seria uma preocupação exagerada? (Imagem: Pixabay/@hamiltonleen)

Se você não consegue entender rapidamente o que está acontecendo em determinado setor do mercado, você pode basicamente colocar a culpa na inflação e ninguém vai discordar.

Preocupações quase onipresentes de investidores sobre a inflação estão conectadas ao ímpeto nos ativos que variam entre o bitcoin e o ouro para valores mobiliários protegidos pela inflação do Tesouro — em que todos passaram por um forte 2020.

Observando os Programas de Investimento do Tesouro (TIPs), a demanda por tais títulos entre investidores preocupados com a inflação aumentou, fazendo com que seus rendimentos se aproximassem de baixas recordes algumas vezes, segundo o Financial Times.

Já em relação ao bitcoin, a MicroStrategy, listada na Nasdaq, anunciou hoje (11) que iria comprar a criptomoeda como parte de sua estratégia de alocação de capital.

A principal explicação do porquê investidores e empresas estão preocupados com a inflação é a crescente dívida governamental e a abordagem agressiva de bancos centrais em todo o mundo para reprimir o impacto da COVID-19.

EUA enfraquecidos também poderia pôr lenha à fogueira inflacionária. Contra o euro, as verdinhas caíram mais de 4% no último mês.

Ainda assim, a inflação está caindo desde o início da pandemia. Isso apesar de alguns receios iniciais de que dinâmicas únicas de uma pandemia resultariam em mais disrupções significativas de negociação e desaceleração prolongada de produção.

“Mas esses choques de oferta possivelmente inflacionários não equivalem à da indústria alimentícia e pressões de custo relacionadas à pandemia provavelmente não impulsionam a inflação de forma significativa”, acrescentou o artigo.

Inflação entrou em colapso durante a pandemia, apesar da inflação sobre alimentos ter aumentado (Imagem: Haver Analytics, Goldman Sachs Investment Research)

Enquanto isso, o medidor de inflação das despesas de consumo pessoal (PCE) do Federal Reserve caiu para 1,7% — abaixo do alvo de 2% do banco central. É claro que grande parte dos investidores não está preocupada sobre a inflação neste momento. O medo virá no futuro, em alguma junção ambígua.

Mas a alta no desemprego pode afastar um aumento na inflação, segundo o Goldman Sachs.

“A taxa de desemprego dos EUA permanece em dezenas apesar de um rápido declínio nos últimos meses, e amplas medidas de desaceleração do mercado de trabalho estão ainda mais elevadas”, disse o banco.

Um período sustentado de alto desemprego deve manter os salários comprimidos que, por sua vez, devem evitar que a inflação suba rapidamente. O banco espera que o desemprego caia para 9% até o fim de 2020. Se uma vacina for desenvolvida em 2021, o banco espera que a taxa caia para 6,5%.

“Mas é provável que a recuperação seja um processo mais gradual após isso e não esperamos que a economia acabe completamente com o desemprego até 2025”, disse o banco.

“A um alto nível, esse é o principal motivo pelo qual esperamos que a inflação se mantenha leve nos próximos anos.”

Não esperamos que a economia acabe com o desemprego imediatamente (Imagem: Department of Labor, Goldman Sachs Investment Research)

Mas e o risco de inflação após 2021? Bom, Goldman Sachs continuou a dizer que conectar “impressão de dinheiro” e inflação em um mundo pós-2008 não faz sentido:

Mas alguns investidores temem que essas políticas vão resultar em níveis mais altos e indesejáveis de inflação, uma preocupação que discutimos bastante recentemente.

Não achamos que receios que o próprio balanço patrimonial causará uma alta inflação — medo com base em confusão sobre terminologias como “emissão de dinheiro” e “monetização de dívidas” — faça sentido no ambiente pós-2008 em que o Fed tem a autoridade de pagar juros sobre reservas e, assim, possa manter controle sobre taxas de juros, a economia e a inflação, independente do balanço ser grande ou pequeno.

Para que esses receios falam sentido, é preciso uma história sobre por que funcionários do Fed escolheram não limitar a futura inflação.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
theblockcrypto.com © 2020 - The Block Crypto, Inc. All rights reserved. Todos os direitos reservados.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 11/08/2020 - 13:50