Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

O que o futuro nos aguarda para a inovação do “dinheiro social”?

27/02/2021 - 11:02
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Convidado pela Messari para falar sobre a economia dos criadores, Bradley Miles, cofundador e CEO da Roll, sistema operacional de finanças, explica o que são os tokens sociais (Imagem: Freepik/cornecoba)

Parte 1

Mercados de dinheiro social

Capitalização de mercado do dinheiro social (Imagem: Roll)

Não estamos mais falando de forma abstrata. Nos primeiros seis meses de 2020, vimos a criação de mais de US$ 300 milhões em valor de mercado por 300 diferentes comunidades de criadores no Roll.

Criadores também tornaram o Roll no primeiro aplicativo social na Ethereum por volume negociado. Medimos o valor do capital gerado por usuários por meio do dinheiro social.

Redes sociais são compartilhadas.

O dinheiro social é enviado, gasto e negociado para lá e para cá todos os dias entre membros de uma comunidade e, possivelmente, com especuladores que acham que a comunidade de um criador possa estar criando a próxima grande novidade.

Estamos bem no início de um novo tipo de capital que pode ser compartilhado e pertencente à internet.

Motivações para o crescimento do dinheiro social

Os benefícios de criação do dinheiro social são bem claros:

I) uma comunidade independente de plataformas

Criadores podem formar comunidades que literalmente existem independente de plataformas. Imagine um criador sendo capaz de transferir o valor de sua comunidade inscrita de forma ininterrupta entre qualquer rede de sua escolha.

Criadores podem usar ferramentas como dinheiro social para liberar suas comunidades e plataformas a qualquer momento. Esta é uma proposta de valor única e específica ao conceito de capital gerado por usuários.

II) recompensas a apoiadores iniciais

Recebemos algo em troca por curtir, seguir e nos inscrever? Agora, criadores têm mecanismos baseados em mercado para curar e recompensar membros da comunidade que os apoiaram inicialmente.

Quando um mercado é formado, membros iniciais (pessoas que possuem seu dinheiro social) agora se tornam stakeholders e são recompensados por sua participação por meio do possível crescimento do dinheiro social do criador.

III) formação de capital

Capital gerado por usuários é capital. A capacidade de qualquer um, a qualquer momento, criar seu próprio capital por meio de uma base de dados reconhecida em todo o mundo é inédita na história do dinheiro moderno.

Quando Jawed, cofundador do YouTube, criou seu primeiro vídeo em 2005, teria sido difícil prever a explosão de conteúdo gerado por usuários que iria acontecer depois. Espere por algo parecido para o capital gerado por usuários.

Capital como uma forma de expressão e outras vantagens do dinheiro social aos usuários

Os benefícios de qualquer stakeholders que possua dinheiro social são menos diretos, mas veja o que aprendemos um pouco mais após 300 criadores participarem do conceito:

I) Sentimento de pertencimento

Já viu a mesma pessoa retuitando, votando ou comentando em uma comunidade? O motivo pode ser o sentimento de pertencimento que sentem em uma comunidade.

Descobrimos que também existe um profundo sentimento de conexão que pode ser expressado ao manter o dinheiro social de uma comunidade digital.

Se eu falo aquela “língua” (gifs ou memes) de uma comunidade e demonstro sua “cultura” (comportamento de usuários), por que eu também não teria uma posição na economia digital?

Estamos vendo as mesmas pessoas que têm status no conteúdo gerado por usuários, traduzir esse status ao acumular capital gerado por usuários (dinheiro social e NFTs). A principal diferença aqui é que, agora, o capital se torna uma forma de expressão em uma comunidade.

II) Participação em uma comunidade

Uma das maiores inovações que são exclusivamente possíveis por meio do dinheiro social é a capacidade de qualquer um, em qualquer lugar, ter uma participação em uma comunidade digital.

Conforme o valor do dólar cresce em uma comunidade, os stakeholders iniciais, que tornaram a comunidade no que ela é, podem finalmente vivenciar uma vantagem econômica.

Imagine ser um dos dez primeiros seguidores do Mr. Beast em 2020 e receber 10.000 $BEAST para, em seguida, observar a comunidade (e o mercado) crescerem sua base atual de inscritos de 45 milhões de pessoas.

Tornar-se um stakeholder, em vez de um usuário, cria novos níveis de lealdade em uma comunidade digital.

III) Especulação

A participação que você tem em uma comunidade de dinheiro social tem um valor em dólar.

Esse valor não está sendo obtido atualmente. Se uma pessoa adquirisse uma quantia específica de dinheiro social em uma comunidade e quisesse trocá-lo por outro ativo, isso seria possível a qualquer momento.

Por outro lado, usuários podem participar de uma comunidade a qualquer momento usando os criptoativos e, geralmente, a moeda fiduciária de sua escola. Então, sim, você pode usar dólares para comprar dinheiro social.

Quem? Os criadores do dinheiro social

Existem mais de 300 criadores no Roll que desenvolveram seu próprio dinheiro digital.

$HUE: recompensas por colecionáveis digitais em uma comunidade

O artista e comediante Connie Digital é o criador do $HUE. Esse tipo de capital é especificamente valioso em sua comunidade. Connie cria peças raras de arte digital (NFTS), verificáveis no blockchain. Ele popularizou a ideia de usar unidades de dinheiro social como um meio de troca por arte digital em 2019.

Os efeitos são interessantes. Agora é comum ver uma peça vendida em $HUE que não é necessariamente de Connie. Geralmente, detentores de $HUE querem adquirir ainda mais tokens.

Para tal, põem peças de arte digital à venda em $HUE que ou são suas próprias criações, criações do Connie, ou uma revenda de outro artista.

A própria comunidade cria a efetividade do $HUE como uma forma de dinheiro: a economia, do lado da oferta, partiu de Connie, aceitando $HUE, para muitos outros que aceitam o token como pagamento.

Seu teórico monetário interno pode te lembrar que a capacidade do dinheiro em armazenar valor no futuro irá depender da vontade das pessoas em detê-lo no presente.

$CHERRY: acesso da comunidade e transformação na plataforma

Cherry é uma criadora de conteúdo adulto que alavanca plataformas como OnlyFans para monetizar na internet. Em vez de essas plataformas coletarem 20% de sua receita pelo conteúdo, ela pode aumentar seu próprio capital por meio de $CHERRY.

Seus fãs podem visitar seu Club Cherry Discord por 200 CHERRY (você deve possuir essa quantia de tokens em sua carteira para obter acesso) para ver seu conteúdo, mas também existe uma comunidade de usuários com interesses parecidos que também possuem $CHERRY.

Basicamente, $CHERRY é uma forma de capital gerado por usuários que permitiu que a própria Cherry se tornasse a plataforma.

$WHALE: acesso à comunidade e colaterização de ativos

Whaleshark é amplamente conhecido como um curador e dono de colecionáveis digitais na internet. Ele colateralizou o valor desses ativos em um “cofre”. Apesar de o valor dos ativos no cofre já estarem na casa dos milhões, a capitalização de mercado do $WHALE é negociado a um múltiplo do valor do cofre.

Isso provavelmente tem a ver com a comunidade de pessoas que possuem, utilizam e interagem com a comunidade $WHALE diariamente.

Whaleshark pegou o modelo de acesso da comunidade e o transformou ainda mais. No começo da comunidade, só era possível acessá-la pela compra de 500 $WHALEs, ou seja, possuir 500 $WHALE em sua carteira garantiria seu acesso.

Agora, a comunidade se tornou bem valiosa, com sessões de perguntas e respostas (AMAs), eventos da comunidade, sorteios e prêmios, em que a inscrição à comunidade chega a até 50 $WHALE por mês desde seu lançamento em 2020.

Em resposta, Whaleshark criou outros níveis que também garantem acesso adicional: Minnow (gratuito) e “Dolphin” (10 $WHALE).

O resultado final, Whaleshark está explorando novas formas de governança para sua própria comunidade.

Já era hora de as redes sociais serem atualizadas. O dinheiro social permite a criação eficiente de capital gerado por usuários que pode ser obtida em uma comunidade. Esse é o início da mudança em como entendemos a criação de valor e a distribuição na internet.

Assim como publicações e fluxos de conteúdo gerado por usuários, dinheiro social e NFTs são a primeira ferramenta de capital gerado por usuários e podem remodelar a forma como usuários monetizam na internet como produtores, bem como consumidores.

Plataformas de capital gerado por usuários — amplamente definido como plataformas que emitem criptoativos que são específicos de uma comunidade — dá autonomia para que usuários sejam coproprietários do valor do conteúdo e da comunidade que participam pela internet.

Segundo nossa avaliação atual, está ficando evidente que o dinheiro social é a categoria certa para estabelecer mercados negociáveis e específicos à comunidade de um criador.

Qualquer um em qualquer lugar pode adquirir ou possuir uma parte de uma comunidade ao reivindicar o dinheiro social.

Isso destaca o dinheiro social como uma ferramenta formal para reforçar a economia, do lado da demanda, em uma economia de criação (criadores vão querer continuar a fazer coisas para pessoas que compram seu dinheiro social).

Você pode começar a formular uma tese sobre como seria ter uma comunidade interoperável de inscritos, validando que você tem dinheiro social suficiente em um aplicativo e obter acesso a diversas outras experiências ou comunidades virtuais em plataformas completamente diferentes.

Conforme as plataformas de conteúdo gerado por usuários de hoje se tornam as redes de capital gerado por usuários de amanhã, uma parte significativa de novas oportunidades da Web3 estarão na forma de infraestrutura e aplicações que fazem uso dessa nova categoria para usuários finais.

Assim como as DeFi, é provável que a componibilidade do capital gerado por usuários garanta que haja plataformas e oportunidades completamente novas para criadores e empreendedores nas próximas décadas.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 26/02/2021 - 16:38