Para que servem as mudanças no blockchain Polkadot?

21/08/2020 - 13:23
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Na última terça-feira (18), a plataforma de estrutura de blockchains múltiplos Polkadot oficialmente disponibilizou seu token nativo DOT para transferências. Nesta sexta-feira (21), irá redenominar o token para que os “novos” DOTs sejam cem vezes menores que os “velhos” tokens (Imagem: Crypto Times)

Em julho de 2020, Polkadot realizou sua primeira votação oficial de governança para detentores de DOT para determinar se o token deveria passar por uma redenominação que, basicamente, atuaria como um fracionamento de ações para o token.

⅓ dos tokens DOT foram usados para alimentar direitos de votação, em que Web3 Foundation e a Parity Technologies, as criadoras da rede Polkadot, se abstiveram do voto.

86% da comunidade votou a favor da nova denominação, em que, agora, 100 tokens DOT seriam equivalentes a uma pré-denominação de 1 DOT. Apenas 4% do grupo votante foi contra a redenominação.

Em uma publicação, Polkadot explicou que a mudança na denominação não teria impacto na economia do ecossistema Polkadot. Em vez disso, apenas irá refletir a vontade da comunidade em ajustar os preços exibidos dos tokens DOT quando se tornassem transferíveis.

Esta semana, surgiram problemas por conta da lacuna entre a disponibilidade de transferência dos tokens em 18 de agosto e a redenominação do token DOT em 21 de agosto.

Muitas corretoras centralizadas, incluindo Kraken e Binance, começaram a negociar tokens DOT três dias após a redenominação.

Isso fez com que muitos preços de feed sugerirem que houve uma queda de 90% no valor do token DOT, criando confusão entre a comunidade de detentores do token e os investidores de corretoras. Sugeriu-se que muitos pagaram uma taxa maior por tokens DOT do que gostariam.

Polkadot enviou um e-mail à comunidade, afirmando que, em referência às listagens iniciais:

Acreditamos que tal ação é irresponsável, enganosa, põe os acionistas da Polkadot em risco e pode expor a corretoras a responsabilidade. Porém, já que Polkadot agora é descentralizado e apermissionado, pouco podemos fazer contra um terceiro.

Gavin Wood, criador da Polkadot, também comentou sobre as listagens precoces e, em um tuíte na última quarta-feira (19), disse:

Conforme avisamos, algumas corretoras inescrupulosas listaram o novo DOT hoje em vez de sexta-feira — o Dia da Denominação acordado pela comunidade @Polkadot.

Embora não possamos controlar essas CEXs [corretoras centralizadas], podemos pedir que parem. Suas ações estão ponto nossa comunidade em risco.

O que é Polkadot?

Polkadot é um projeto criado pela Web3 Foundation que apresenta uma estrutura que permite a desenvolvedores criarem e unirem blockchains. Foi criada pelo cofundador da Ethereum Gavin Wood, Robert Habermeier e Peter Czaban, diretor tecnológico da Web3 Foundation.

A rede facilita a comunicação e interoperabilidade entre blockchains ao conectar múltiplos blockchains em uma rede unificada.

O lightpaper do projeto explica que a rede visa apresentar vantagens a “sharding” (repartição de dados) heterogênea, escalabilidade, capacidade de atualização, governança transparente e componibilidade entre blockchains sobre outros projetos.

Polkadot é um blockchain “sharded”.

“Sharding” é a repartição de bases de dados que distribui a sobrecarga computacional e de armazenamento entre uma rede de ponto a ponto (P2P) para que cada nó não seja responsável pelo processamento de toda a carga transacional da rede, permitindo que redes escalem de forma mais eficiente.

Participantes põem suas posses em DOT à prova para realizarem funções no blockchain e o potencial de perda de sua posse atua como um desincentivo de participações maliciosas na rede (Imagem: YouTube/Polkadot Network)

“Shards” na Polkadot operam como redes blockchain distintas com transações e dados compartilhados pela rede, executada paralelamente com garantias de segurança.

A infraestrutura da rede é composta de três componentes principais: “relay chain”, “parachains” e “bridges“. “Relay chain” é o blockchain central da rede onde todos os validadores residem e onde acontece o staking.

“Parachains”, que são repartições paralelas do blockchain que se conectam ao “relay chain” e são mantidas por seus próprios validadores únicos, chamados de “collators”.

“Bridges”, que são blockchains especiais que permitem que parachains se conectem e se comuniquem com redes externas, como Ethereum e Bitcoin.

Tokens DOT são o token nativo da rede Polkadot e possuem diversas funções. Para governança, detentores do token DOT controlam a direção da rede.

Funções de governança incluem a determinação de taxas na rede, dinâmicas de leilão e cronograma sobre eventos excepcionais, como atualizações e consertos à plataforma Polkadot.

Detentores do DOT também facilitam o mecanismo de consenso que serve de alicerce para a Polkadot. Para que a plataforma funcione e permita que transações válidas sejam realizadas entre parachains, Polkadot depende que detentores de DOT tenham papéis ativos.

Participantes põem suas posses em DOT à prova para realizarem funções no blockchain e o potencial de perda de sua posse atua como um desincentivo de participações maliciosas na rede.

A quantia de DOT exigida para participar da rede varia de acordo com a atividade realizada, a duração que o DOT está em staking e o número total de DOTs em staking.

Outra função do DOT permite a capacidade de acrescentar novos parachains ao atar DOT em um processo chamado “Bonding”. O DOT será bloqueado durante o período de “ligação” e será lançado de volta à conta que os ligou após sua duração ter terminado e o parachain ter sido removido.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Matéria Original: "Polkadot changes explained"

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 08/03/2021 - 15:06

Cotações Crypto
Pela Web