Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Petrobras: julgamento do STF pode gerar impactos nas ações, diz XP

30/09/2020 - 14:22
Petrobras
Os principais argumentos do governo são que a venda das refinarias corresponde a apenas 7,5% dos ativos imobilizados da Petrobras  (Imagem: Divulgação/Petrobras)

O julgamento no STF (Supremo Tribunal Federal) para decidir se a Petrobras (PETR3;PETR4) pode vender suas refinarias sem precisar de aval do Congresso está marcada para se iniciar hoje. Como o julgamento é o segundo item da pauta, a expectativa de que a conclusão seja amanhã.

Até o momento, três ministros já se manifestaram contrários à continuidade de processos para a venda das refinarias, incluindo o relator do caso Edson Fachin. Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello acompanharam o ministro.

“Acreditamos que o julgamento do STF será tema de grande importância para a avaliação das ações da Petrobras, embora notemos que vemos um risco-retorno positivo nas ações sem assumir a execução do plano de desinvestimentos em nossas estimativas”, afirmou a XP Investimentos em relatório enviado a clientes nesta quarta-feira (30).

Diante de uma possível perda, o Governo colocou o alto escalão para buscar vitória na corte.  Em um exemplo das tratativas junto ao STF, os ministros de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e da Advocacia-Geral da União, José Levi Mello, conversaram por videoconferência com o ministro Dias Toffoli, segundo agenda oficial do magistrado.

Na semana passada, o próprio CEO da Petrobras, Roberto Castello Branco, reuniu-se com o presidente da corte, Luiz Fux, conforme uma das fontes da Reuters.

“O governo tem grandes chances de conseguir uma vitória para evitar uma liminar que impedia os negócios a caminho da Petrobras”, disse uma outra fonte.

Os principais argumentos do governo são que a venda das refinarias corresponde a apenas 7,5% dos ativos imobilizados da Petrobras e que a empresa não estaria se retirando da atividade econômica para dar lugar à iniciativa privada.

Perda no STF podem arrastar vendas para 2022

Em relatório, a Ágora afirma que o processo de venda das refinarias pode se estender até 2022 em caso de perda da Petrobras.

“Se as regras do STF contra a Petrobras e a aprovação do Congresso forem necessárias para vender refinarias, isso poderia atrasar significativamente o processo a ponto de ocorrer apenas após as eleições de 2022”, afirmaram os analistas Fred Mendes e Flávia Meireles.

Além disso, a postergação do plano poderia interferir no cronograma de desalavancagem e nos dividendos da empresa, afirmam.

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender

As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Renan Dantas - 30/09/2020 - 14:22