Internacional

Powell: Dados ainda não trazem confiança para Fed cortar juros dos EUA; e agora?

10 jul 2024, 12:37 - atualizado em 10 jul 2024, 12:38
jerome powell federal reserve juros eua estados unidos
Powell disse que o Fed ainda precisa de “mais dados bons” para cortar juros dos EUA (Imagem: Reuters/Kevin Lamarque)

O presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, afirmou que os dados recebidos no primeiro trimestre deste ano não trouxeram confiança suficiente para iniciar o ciclo de corte de juros nos Estados Unidos (EUA).

Em sabatina no Comitê de Serviços Financeiros da Câmara nesta quarta-feira (10), Powell disse aos Deputados que a “inflação tem diminuído nos últimos anos, mas segue acima da meta”. Além disso, a disparidade nos empregos “está bem abaixo do seu pico e um pouco acima do nível de 2019”.

Ainda assim, Powell reconheceu a evolução no país. “Os riscos para alcançar as metas de emprego e de inflação estão atingindo um melhor equilíbrio”, afirmou.

O presidente da autoridade monetária ainda ressaltou que as leituras mais recente da inflação têm mostrado um avanço modesto e que as condições do mercado de trabalho esfriaram.

Em maio, o índice de preços PCE nos EUA permaneceu inalterado, enquanto os gastos dos consumidores aumentaram moderadamente. Nos 12 meses até maio, o índice aumentou 2,6%.

Já o relatório de emprego (payroll) de junho indicou a criação de 206 mil vagas. A taxa de desemprego teve uma leve alta de 4% para 4,1% e os ganhos médios por hora do trabalhador americano subiram a US$ 35 por hora.

Quando o Fed vai cortar juros?

Powell afirmou, na sabatina, que o Fed ainda precisa de “mais dados bons” para sustentar a confiança de que a inflação está caminhando para a meta.

“Sabemos que reduzir a restrição da política monetária muito cedo ou muito tarde pode reverter o progresso que vimos na inflação”, disse.

Segundo o CME FedWatch Tool, ferramenta que mostra as probabilidades dos próximos passos do Fed, o primeiro corte deve acontecer na reunião de setembro. O mercado espera uma redução de 0,25 ponto percentual.

Editora-assistente
Editora-assistente no Money Times e graduanda em Jornalismo pela Unesp - Universidade Estadual Paulista. Entrou para a área de finanças e investimentos em 2021.
Linkedin
Editora-assistente no Money Times e graduanda em Jornalismo pela Unesp - Universidade Estadual Paulista. Entrou para a área de finanças e investimentos em 2021.
Linkedin
Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.