Radar do mercado

Petrobras (PETR4), BlackRock, Cogna (COGN3), Santander (SANB11) e outros destaques desta segunda (23)

23 out 2023, 9:52 - atualizado em 23 out 2023, 11:48
Petrobras, PETR4
Petrobras aprova mudança em seu estatuto social.  (Imagem: Agência Petrobras)

A aprovação da revisão do Estatuto Social de Petrobras (PETR4) e a elevação de participação da BlackRock na  Cogna (COGN3) são alguns dos destaques corporativos desta segunda-feira (23).

A BlackRock adquiriu instrumentos financeiros derivativos, com liquidação financeira, referenciados em ações ordinárias emitidas pela Cogna, denominados CFDS.

Assim, a gestora passou a deter:

  • 94.284.974 CFDs, representando aproximadamente 5,024% do total das ações ordinárias emitidas pela companhia; e
  • 167.950.859 ações ordinárias, representando aproximadamente 8,949% do total de ações ordinárias emitidas pela companhia.

Gafisa

construtora Gafisa (GFSA3) reportou vendas brutas de R$ 206 milhões no terceiro trimestre de 2023 (3T23), o que indica queda de  13% na comparação anual.

A prévia indica também que no  acumulado dos nove primeiros meses do ano, as vendas foram de R$ 822 milhões, um salto de 4% frente ao mesmo período de 2022.

Santander

O Santander (SANB11) comunicou a emissão de letras financeiras com cláusula de subordinação, no montante de R$ 6 bilhões, em negociações com investidores privados.

O banco indica que os recursos serão utilizados para compor o Nível II do Patrimônio de Referência (PR) da companhia.

  • 100 DIAS PARA INVESTIR: A 100ª edição do Giro do Mercado traz as melhores recomendações para você investir em ações nacionais e internacionais, além de fundos imobiliários. Clique aqui e não perca a oportunidade!

Petrobras

A Petrobras (PETR4) informou que seu conselho de administração aprovou, por maioria, a submissão de proposta de revisão do seu Estatuto Social à Assembleia Geral Extraordinária (AGE), a ser convocada oportunamente.

A petroleira indica que os objetivos da revisão do estatuto são:

  • Criar uma reserva de remuneração do capital;
  • Explicitar a vedação de cobertura do seguro D&O para administradores da companhia nos casos de atos eivados de dolo ou culpa grave;
  • Excluir vedações para a indicação de administradores previstas na Lei nº 13.303/2016 consideradas inconstitucionais por meio de Tutela Provisória Incidental na Ação Direta de Inconstitucionalidade 7.331-DF;
  • Estabelecer que as Assembleias de Acionistas da Companhia só poderão ser realizadas de modo parcialmente digital, ficando assegurado aos acionistas o direito de participarem presencialmente;
  • Alinhar dispositivos estatutários à legislação vigente e promover outros ajustes redacionais.

Estagiária
Estudante de jornalismo. Foi redatora durante um ano, trabalhando com hard news. Escreve sobre tecnologia, economia, política e empresas.
Estudante de jornalismo. Foi redatora durante um ano, trabalhando com hard news. Escreve sobre tecnologia, economia, política e empresas.