Radar do mercado

Petrobras (PETR4), Santander (SANB11) e outros destaques desta quinta (11)

11 abr 2024, 9:20 - atualizado em 11 abr 2024, 9:20
Petrobras, PETR4, Santander, SANB11, Mercados, Empresas, Radar do Mercado
Fonte informa que Jean Paul Prates deverá continuar no cargo de CEO da Petrobras (Imagem: REUTERS/Sergio Moraes)

A decisão da Petrobras em permanecer com o CEO Jean Paul Prates, segundo fontes, e o pagamento de R$ 1,5 bi em juros sobre o capital próprio (JCP) pelo Santander (SANB11) são alguns dos destaques corporativos desta quinta-feira (11).

Confira os principais destaques desta quinta-feira (11)

Petrobras (PETR4): Jean Paul Prates ficará no cargo, diz Reuters

Depois de dias balançando no cargo, Jean Paul Prates deverá continuar no cargo de CEO da Petrobras, informa a Reuters. Segundo a agência de notícias, a pressão para demiti-lo diminui.

  • Hora de desistir de PETR4? A resposta está nesse guia gratuito produzido pela equipe do Money Times; clique aqui para ler.

“Fica mesmo, ao menos por enquanto”, disse uma fonte do governo brasileiro, que preferiu falar em sigilo.

Na última terça-feira (09), Alexandre Silveira, ministro de Minas e Energia, colocou panos quentes na história ao falar que cabe ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva a definição do presidente-executivo da Petrobras

Santander (SANB11) vai pagar R$ 1,5 bi em JCPs

Santander (SANB11) pagará R$ 1,5 bilhão em juros sobre o capital próprio, mostra documento enviado ao mercado nesta quarta-feira (10).

Segundo o documento, o valor por ação unit será de R$ 0,40239909562, a ser pago em 15 de maio.

Boa Safra (SOJA3) realiza pedido de oferta pública primária de ações

Boa Safra (SOJA3) protocolou perante a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o pedido de oferta pública primária de ações, para distribuir inicialmente 11.494.250 ações ordinárias, conforme mostra o fato relevante enviado ao mercado nesta quinta-feira (11).

Neoenergia (NEOE3) tem tombo de 37% na geração no 1T24, mostra prévia

Neoenergia (NEOE3) encerrou o primeiro trimestre com queda de 37% na geração de energia, mostra prévia operacional publicada na quarta-feira (10). Ao todo, a empresa gerou 3.138 gigawatt-hora (GWh) no período.

Ainda segundo os dados, o recuo maior se deu na geração hidrelétrica, com queda de 44%. Segundo a companhia, a menor geração ocorreu em função da permuta de ativos com Eletrobras (ELET3).

Para o segmento de energia solar, a companhia teve uma geração maior devido à entrada completa em operação do Complexo Solar Luzia.

Na calada da noite, 3G, de Lemann, zera posição em empresa, diz CNBC

3G Capital, de Jorge Paulo Lemann, zerou a posição de 16% que mantinha na Kraft Heinz, gigantes dos alimentos formada com a Berkshire Hathaway, de Warren Buffett, informa a CNBC.

Segundo o site, no entanto, a venda da participação ocorreu de maneira discreta. Desde 2018, a 3G vinha diminuindo participação na Heinz. Em 2019, vendeu 25 milhões de papéis, quando a empresa teve problemas com a SEC (a CVM americana) após erros contáveis.

“A 3G não está envolvida na gestão da Kraft Heinz, nem faz parte do Conselho há vários anos. Eles continuaram a ser investidores e foram tratados como tratamos qualquer investidor”, disse Kraft Heinz em comunicado à CNBC.

“Aprendemos com o registro recente que a 3G saiu totalmente das ações da Kraft Heinz em 2023.”

Estagiária
Estudante de jornalismo na Universidade São Judas Tadeu, tem habilidades em edição de imagens e vídeos além da paixão pelo meio de comunicações. Estuda inglês e está em busca da fluência.
Estudante de jornalismo na Universidade São Judas Tadeu, tem habilidades em edição de imagens e vídeos além da paixão pelo meio de comunicações. Estuda inglês e está em busca da fluência.