Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Vitreo DTVM

Retomada da China deve permitir novo foco em dívida, diz UBS

25/11/2020 - 8:30
UBS Bancos
O UBS projeta aumento entre 11% e 12% das exportações em um cenário de distribuição de vacinas contra o coronavírus (Imagem: Reuters/Arnd Wiegmann)

O UBS prevê que a economia da China crescerá 8,2% no próximo ano com a recuperação do consumo doméstico após o impacto da pandemia e contínuo aumento das exportações. Segundo o banco, isso deve permitir que o governo de Pequim renove o foco na redução de dívidas de risco.

O consumo deve aumentar 10% em 2021 puxado pelos serviços ao consumidor, como alimentação e viagens, disseram economistas do banco na quarta-feira em relatório

O UBS projeta aumento entre 11% e 12% das exportações em um cenário de distribuição de vacinas contra o coronavírus e retomada da atividade econômica global, acrescentaram.

Com o crescimento mais rápido na China, autoridades em Pequim devem retomar tentativas de estabilizar os níveis gerais de dívida na segunda maior economia do mundo.

Essa perspectiva aumenta o risco de volatilidade de curto prazo, pois empresas enfrentariam maiores pressões de financiamento, de acordo com o UBS.

Neste ano, pagamentos não efetuados de dívida somam 100 bilhões de yuans (US$ 15,2 bilhões), com recentes defaults inesperados de uma série de estatais, o que aumenta o estresse nos mercados de dívida.

Com o esperado aperto das condições de financiamento para empresas e a redução dos déficits do governo, a relação dívida/PIB deve cair 2% em 2021, após aumento de 25% neste ano, disse o UBS.

No entanto, “há risco de uma retirada turbulenta das políticas e eventos de crédito”, escreveram os economistas, observando que defaults e empréstimos duvidosos podem aumentar.

UBS
Com o esperado aperto das condições de financiamento para empresas e a redução dos déficits do governo, a relação dívida/PIB deve cair 2% em 2021, após aumento de 25% neste ano, disse o UBS (Imagem: REUTERS/Arnd Wiegmann)

Na terça-feira, o premier chinês Li Keqiang disse que a China deve retornar a uma faixa “adequada” de desenvolvimento econômico no próximo ano, sem dar uma previsão.

Ángel Gurria, secretário-geral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, disse na mesma conferência que a economia da China pode se expandir cerca de 8% em 2021. O número é semelhante à previsão mediana de 8,1% de economistas consultados pela Bloomberg.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Rafael Borges - 25/11/2020 - 8:31