Rompimento da Binance com Capitual faz corretora cripto perder espaço no Brasil

Vitória Martini
05/07/2022 - 13:16
Binance
A maior parte do recuo registrado na Binance migrou para a NovaDAX. (Imagem: Facebook/Binance)

No mês passado, a Binance rompeu o contrato com a Capitual, provedora de pagamentos da corretora de criptomoedas no Brasil.

No entanto, a perda da parceria custou à Binance o espaço que a companhia tinha à frente das concorrentes.

Segundo a Forbes, a Binance permanece sendo a corretora cripto com maior volume negociado. Dados da brasileira Mercado Bitcoin apontam que a maior corretora cripto do mundo foi responsável por 60,1% dos bitcoins (BTC) negociados em junho pelas principais corretoras no Brasil.

Apesar da alta porcentagem, o valor obtido em junho teve um recuo superior a 8% em relação a maio, quando a Binance foi responsável por 68,07% dos bitcoins negociados no país.

A maior parte do recuo registrado na Binance migrou para outra corretora cripto – a NovaDAX. Em maio, a corretora cripto era responsável por 6,49% do mercado, mas essa porcentagem saltou para 14,50% no mês seguinte.

Após Binance e NovaDAX, o ranking de participação no mercado é composto pela seguintes corretoras cripto:

  • bitPreço: de 8,19% em maio para 8,10% em junho;
  • Mercado Bitcoin: de 7,21% para 7,09%;
  • FoxBit: de 6,20% para 5,20%;
  • Outras: de 3,85% para 4,20%.

Binance rompe parceria com Capitual

Em 17 de junho, a Binance anunciou o rompimento da parceria com a Capitual, citando problemas nos saques. Desde então, clientes da corretora cripto não podem fazer saques nem depósitos em reais.

O caso foi parar no Tribunal de Justiça de São Paulo, que determinou ontem (4) o bloqueio de R$ 451,6 milhões das contas da Capitual nos bancos do país.

O valor pertence a usuários brasileiros e foi gerado a partir de operações de compra e venda de criptoativos na Binance.

A Capitual alega que a Binance se negou a cumprir as novas regras estabelecidas pelo Banco Central, que exigem que clientes tenham contas individualizadas para evitar lavagem de dinheiro e outros crimes financeiros.

A Binance, por sua vez, afirma que nenhum dos envolvidos — ela própria, a Capitual e os clientes — são regulados pelo Banco Central. Além disso, a Binance afirma que não existe determinação para que as contas de clientes sejam individualizadas.

A decisão tomada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo garante que o dinheiro será protegido, sem risco para os clientes da Binance.

Porém, o valor ainda não está disponível para a corretora cripto, que precisará de uma nova determinação judicial para ter acesso aos mais de R$ 450 milhões.

*Com informações de Forbes

Siga o Money Times no Linkedin!

Fique bem informado, poste e interaja com o Money times no Linkedin. Além de ficar por dentro das principais notícias, você tem conteúdo exclusivo sobre carreira, participa de enquetes, entende sobre o mercado e como estar à frente no seu trabalho. Mas não é só isso: você abre novas conexões e encontra pessoas que são uma boa adição ao seu network. Não importa sua profissão, siga o Money Times no Linkedin!

Disclaimer

O Money Times publica matérias informativas, de caráter jornalístico. Essa publicação não constitui uma recomendação de investimento.

Última atualização por Tamires Vitorio - 05/07/2022 - 13:16

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado cripto?
Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto