Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Semana tem provável desaceleração do IPCA-15; veja 5 assuntos quentes no Brasil

22/05/2022 - 20:00
Continuam pendentes as divulgações de indicadores do Banco Central, como as projeções da pesquisa Focus e o IBC-Br. (Imagem: Pixabay/Iradl)

Estimativa de forte desaceleração do IPCA-15, com efeito da bandeira verde de energia, projeto de corte no ICMS na Câmara e expectativa de cronograma de privatização da Eletrobras (ELET6) são os destaques locais.

No exterior, ata do Fed, falas de dirigentes de bancos centrais, PIB e PCE nos EUA balizam os sinais de enfraquecimento da economia dos EUA. Guedes estará em Davos.

IPCA-15 e juro

Juros futuros devem reagir na terça-feira ao IPCA-15 de maio, que deve desacelerar no mês para 0,5% — de 1,73% em abril –, mas com o dado ainda nos 12%, segundo economistas pesquisados pela Bloomberg.

A redução das tarifas de eletricidade, que reflete o aumento das chuvas e menor uso de energia térmica cara, é uma das principais razões por trás da expectativa de inflação menor, segundo a Bloomberg Economics.

A precificação de alta da Selic nos dois próximos encontros do Copom caiu para em torno de 75 pontos nesta sexta-feira, de mais de 90 pontos uma semana atrás.

Refluxo nas apostas em aperto ganhou impulso após sinalização do diretor do BC Bruno Serra de que a elevação dos juros pode não ir além de junho.

Greves e dados pendentes

Continuam pendentes as divulgações de indicadores do Banco Central, como as projeções da pesquisa Focus e o IBC-Br. Os servidores do Tesouro também devem entrar em greve no dia 23.

Diante das últimas surpresas positivas da atividade, os economistas elevaram de 0,7% na sexta-feira passada para 1% a estimativa mediana de crescimento mensal para o índice de atividade do BC de março.

A estimativa para a arrecadação de abril, que deve sair a partir da próxima semana, é de aumento para R$ 190 bilhões, ante R$ 164 bilhões em março.

Preços de energia

O presidente da Câmara, Arthur Lira, anunciou para a próxima semana a votação de projeto que desonera tarifas de energia.

“Colocarei em votação na terça-feira a lei que classifica combustíveis, energia elétrica, telecomunicações e transportes como bens e serviços essenciais. Portanto, com alíquota máxima de ICMS de 17%”, disse Lira nas redes sociais na quinta-feira.

Se for aprovado, o projeto pode reduzir a inflação em até 1,2 ponto percentual ainda neste ano, de 9,8% para 8,6%, diz o Credit Suisse, em relatório.

Mercado também segue com movimentos para a eleição no radar. O ex-presidente Lula e o candidato a vice, Geraldo Alckmin, comandam a primeira reunião da chapa na segunda-feira em São Paulo.

Davos e ata do Fed

A disparada da inflação global estará entre os temas dos debates do Fórum Econômico Mundial, que realiza a primeira reunião presencial desde o início da pandemia, em Davos, na Suíça.

A presidente do BCE, Christine Lagarde, e a diretora-geral do FMI, Kristalina Georgieva, estarão presentes — assim como o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Cerca de 50 chefes de Estado e de governo, incluindo o chanceler alemão Olaf Scholz, participarão do encontro. O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy fará aparição virtual, enquanto o governo russo não terá nenhum representante.

O Fed divulgará a ata da última reunião na quarta-feira. Na segunda-feira, dirigentes do BCE e o presidente do BoE, Andrew Bailey, falam numa conferência sobre “O retorno da inflação”. Saem dados como PIB, pedidos de bens duráveis e PCE nos EUA e a pesquisa IFO na Alemanha.

Eletrobras, Carrefour

O mercado aguarda o cronograma da privatização da Eletrobras, que foi autorizada pelo TCU na quarta-feira. As ações da empresa acumulam alta de mais de 10% nas duas últimas semanas.

O governo deve protocolar o registro de oferta da estatal na CVM em 26 de maio e o road show para atrair investidores estrangeiros está previsto para o período entre 27 de maio e 8 de junho, segundo o Poder360.

A oferta de ações deve ocorrer em 13 de junho, diz o site. A compra dos ativos do Grupo Big Brasil pelo Carrefour  (CRFB3) será pauta da próxima sessão ordinária do Cade.

O negócio, anunciado em março de 2021, envolve R$ 7,5 bilhões e já foi declarado complexo pelo órgão antitruste, que deve negociar a adoção de “remédios” com as empresas para dar seu aval.

Última atualização por Kaype Abreu - 22/05/2022 - 14:21

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?
Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto