AgroTimes

Soja e milho futuros acordam em queda com avanço do trabalho nos EUA; trigo russo segue como bom negócio

11 out 2023, 11:14 - atualizado em 11 out 2023, 11:14
soja milho trigo
Trabalhos do milho e da soja seguem acelerados no país norte-americano na comparação com os últimos cinco anos (Montagem: Money Times)

Os valores dos contratos futuros da soja e do milho iniciaram esta quarta-feira (11) em queda.

O movimento pode ser explicado pelo avanço da colheita nos Estados Unidos, de acordo com o Departamento de Agricultura do país (USDA), que está acima da média dos últimos cinco anos.

Dessa maneira, por volta de 9h48, o contrato da soja recuava 0,31%, aos US$ 12,67, enquanto o milho recuava de forma mais branda, com queda de 0,15%, aos US$ 4,84.

Trigo segue derrocada

Nesta manhã, o contrato futuro do trigo caía 0,98%, aos US$ 5,53. O recuo dá sequência ao movimento de queda no preço do cereal, que fechou terça (10) com desvalorização de 2,48% na CBOT.

Segundo Elcio Bento, analista da Safras & Mercados, apesar do indicativo de menores exportações por parte da Rússia, o cereal do país segue abundante e barato no mercado internacional.

“Sinais de fraca demanda pelo grão dos Estados Unidos contribuíram com a desvalorização na terça-feira”, explica Bento.

A expectativa fica para a divulgação do novo relatório mensal de oferta e demanda para o trigo nas safras 22/23 e 23/24, divulgado pelo USDA na próxima quinta.

Colheita da soja e milho nos EUA

A colheita de soja dos Estados Unidos atingiu 43% da área total, acima dos 41% do mesmo período do ano passado e 37% na média de cinco anos.

Já a colheita da safra de milho está em 34%, contra 29% do mesmo período de 2022 e 31% na média dos últimos cinco anos.

Repórter no Agro Times
Formado em Jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu. Atua como repórter no Agro Times desde março de 2023. Antes do Money Times, trabalhou por pouco mais de 3 anos no Canal Rural, onde atuou como editor do Rural Notícias, programa de TV diário dedicado à cobertura do agronegócio. Por lá, participou da produção e reportagem do Projeto Soja Brasil, que cobre o ciclo da oleaginosa do plantio à colheita, e do Agro em Campo, programa exibido durante a Copa do Mundo do Catar e que buscava mostrar as conexões entre o futebol e o agronegócio.
Linkedin
Formado em Jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu. Atua como repórter no Agro Times desde março de 2023. Antes do Money Times, trabalhou por pouco mais de 3 anos no Canal Rural, onde atuou como editor do Rural Notícias, programa de TV diário dedicado à cobertura do agronegócio. Por lá, participou da produção e reportagem do Projeto Soja Brasil, que cobre o ciclo da oleaginosa do plantio à colheita, e do Agro em Campo, programa exibido durante a Copa do Mundo do Catar e que buscava mostrar as conexões entre o futebol e o agronegócio.
Linkedin
Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.