Tribunal chinês dá início ao julgamento de negociador cripto

12/05/2021 - 10:23
Traduzido e editado por Vitória Tonetti Martini
O caso de Zhao ocorreu por ele e seu time serem, supostamente, uma contraparte transacional de um esquema de lavagem de dinheiro na cidade chinesa de Hangzhou (Imagem: Unsplash/Eric Pouzet)

O tribunal do distrito de Xihu, na cidade chinesa de Hangzhou, deu início ao julgamento da atividade criminosa feita pelo conhecido negociador de mercado de balcão (OTC, na sigla em inglês) Zhao Dong e de diversos outros.

De acordo com a página de transmissão ao vivo do julgamento, nesta quarta-feira (12), Zhao foi acusado de um crime chamado “assistência a atividades criminosas na internet”. 

Sob as leis vigentes na China, o crime é definido como o fornecimento de tecnologia da informação a alguém, como acesso à internet, armazenamento de dados na rede, telecomunicações, promoção de anúncios e liquidação de pagamentos, quando sabem que o destinatário da informação entregue está cometendo um crime na internet. Se for condenado, a pena será de até três anos de cadeia, dependendo da gravidade, além de uma multa.

A natureza de um crime de “assistência a atividades criminosas na internet” é diferente da de um crime de “omissão e ocultação de rendimentos criminosos”.

Na China, mais de 100 pessoas já foram condenadas por esse último crime, que envolve lavagem direta de dinheiro para criminosos usando criptoativos. Segundo as leis vigentes na China, a condenação por um crime por “omissão e ocultação de rendimentos criminosos” pode ser de até sete anos de cadeia. 

Porém, o caso faz parte de medidas drásticas sistemáticas por parte das autoridades chinesas em crimes, como fraude de telecomunicações, esquemas Ponzi (no qual investidores antigos são pagos por meio de recursos retirados de novos investidores) e jogos de azar no exterior, assim como qualquer entidade que possa ter facilitado processos de lavagem de dinheiro para esses criminosos.

O caso de Zhao chamou atenção, devido a seu importante status como uma das figuras mais conhecidas da comunidade cripto chinesa desde 2010. Por vários anos, Zhao liderou um dos maiores mercados de balcão da China.

Ele também é conhecido por sua associação com a corretora cripto Bitfinex, como acionista minoritário, e pela fundação da RenrenBit, uma startup de empréstimos cripto.

O julgamento acontece quase um ano após Zhao estar sob custódia policial e ter sido oficialmente preso, em meio a uma investigação mais ampla das autoridades chinesas, sobre o envolvimento de algumas mesas de balcão em supostamente ajudar criminosos a lavar rendimentos ilegais. 

Apesar de o site do tribunal chinês ter uma página para transmitir ao vivo o julgamento desta quarta-feira, a gravação não havia sido divulgada até o momento.

No entanto, aparentemente, uma equipe de imprensa da corretora cripto OKGroup estava presente e disse em um alerta de notícias na Weibo que o caso de Zhao está ligado a uma plataforma de lavagem de dinheiro de 50 bilhões de yuan (cerca de US$ 7 bilhões). 

Day Day Up

Conforme a audiência de hoje, o caso de Zhao ocorreu por ele e seu time serem, supostamente, uma contraparte transacional de um esquema de lavagem de dinheiro na cidade de Hangzhou, chamado “Day Day Up”.

Day Day Up é um dentre vários esquemas desse tipo na China que são chamados de plataforma “Paofei”, o que, em tradução literal, significa “pontuação”.

Funciona da seguinte forma: uma equipe por trás da plataforma Paofei prepara um aplicativo. Os usuários podem se juntar ao aplicativo, mas precisam fornecer informações sobre suas contas no Alipay, no WeChat Pay e em bancos.

Os usuários podem ganhar comissões se permitirem que a plataforma use suas contas para enviar e receber transações com moedas fiduciárias e podem também terem recompensas adicionais se convidarem mais pessoas para usarem a plataforma.

O propósito desse esquema é utilizar diversas contas de pagamento para remodelar transações e lavar dinheiro para atividades criminosas. Portanto, qualquer pessoa que se junte ao aplicativo é potencialmente responsável por fornecer assistência a um crime na internet.

Segundo um informe de fevereiro do jornal Xinhua, a equipe por trás do esquema Day Day Up começou a operação em 2019 e lavou mais de US$ 7 bilhões para suas atividades, como jogos de azar on-line, em um período de 5 meses, por meio de contas de pagamentos fornecidas por mais de 70 mil usuários registrados. 

No segundo semestre de 2019, o time começou a usar tether (USDT) para “aprimorar” o processo de remodelação, em uma tentativa de se manter “fora do radar” das autoridades. No entanto, o informe não especificou quem era a contraparte cripto ou quanto dos ganhos foram lavados por meio de USDT. 

De modo geral, o comunicado informou que a plataforma Day Day Up forneceu o serviço “Paofei” para 1.900 casos de jogos de azar on-line e de fraude telecomunicativa. Nesse processo, 30 bilhões de yuan (cerca de US$ 4,6 bilhões) em rendimentos foram enviados ao exterior.

A polícia de Hangzhou prendeu 85 pessoas em maio de 2020, incluindo a equipe por trás da plataforma Day Day Up e suas contrapartes de negociações cripto.   

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
theblockcrypto.com © 2020 - The Block Crypto, Inc. All rights reserved. Todos os direitos reservados.

Última atualização por Vitória Tonetti Martini - 12/05/2021 - 10:23

Pela Web