Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Unilever mira braço de bens de consumo da GSK em possível acordo de 50 bi de libras

15/01/2022 - 12:56
Unilever
A Unilever confirmou a abordagem sobre uma potencial aquisição do negócio em um comunicado neste sábado (Imagem: REUTERS/Piroschka van de Wouw)

A gigante de bens de consumo Unilever disse que se aproximou da GlaxoSmithKline sobre a compra do braço de bens de consumo do grupo farmacêutico, depois que um jornal informou que uma oferta de 50 bilhões de libras (68,4 bilhões de dólares) foi rejeitada.

A Unilever, que tem sido criticada por alguns investidores pelo baixo desempenho do preço de suas ações, confirmou a abordagem sobre uma potencial aquisição do negócio em um comunicado neste sábado.

“A GSK Consumer Healthcare é líder no atraente espaço de saúde do consumidor e seria um forte ajuste estratégico, pois a Unilever continua a reformular seu portfólio”, afirmou.

“Não pode haver certeza de que qualquer acordo será alcançado.”

A GSK se recusou a comentar a abordagem. O negócio de bens de consumo do grupo deve ser dividido em uma lista separada no meio deste ano.

Mais cedo, o jornal britânico Sunday Times disse que a oferta da Unilever pelo negócio, feita no final do ano passado, valia cerca de 50 bilhões de libras, e foi rejeitada como muito baixa pela GSK e pela Pfizer, que detêm uma participação minoritária na divisão.

A abordagem da Unilever, que possui marcas como sabonete Dove, para o portfólio de marcas domésticas da Glaxo, incluindo analgésicos Panadol e pasta de dente Sensodyne, foi entendida como não solicitada, acrescentou a publicação.

A oferta não incluiu nenhum prêmio de aquisição ou reconhecimento de sinergias, disse o jornal, acrescentando que não estava claro se o grupo faria uma oferta maior.

Última atualização por Diana Cheng - 15/01/2022 - 14:05

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?
Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto