CryptoTimes

Universidade dos EUA começa aceitar mensalidade em criptomoedas em parceria com a Coinbase

03 maio 2022, 17:47 - atualizado em 03 maio 2022, 17:47
Criptomoedas universidade Coinbase
Bentley University fecha parceria com corretora cripto Coinbase para adotar criptomoedas como meio de pagamento (Imagem: Unsplash/Quantitatives)

A Bentley University, localizada em Waltham, Massachusetts, nos Estados Unidos, anunciou nesta terça-feira (3) que irá aceitar pagamentos de mensalidade e outros serviços em criptomoedas. Desse modo, a universidade está entre as primeiras no país a adotar o método de pagamento.

Brent Chrite, presidente da universidade, diz que a instituição “está na vanguarda na preparação de líderes empresariais com habilidades e conhecimentos para ter sucesso na economia mundial em mudança.”

“Estamos orgulhosos de adotar essa tecnologia que nossos alunos estão aprendendo, que em breve transformará o cenário global de negócios em que estão prestes a entrar”, diz.

A adoção de criptomoedas como pagamento de mensalidade é fruto de uma parceria com a Coinbase, corretora cripto, e irá permitir o pagamento com três ativos: Bitcoin (BTC), Ethereum (ETH) e USDC.

A universidade também aceitará doações em criptomoedas.

Os alunos já aderiram às criptomoedas

Conforme divulgado no site oficial da universidade:

“Mais de 41 milhões de americanos – 16% dos adultos dos EUA – investiram, negociaram ou usaram criptomoedas, de acordo com o Pew Research Center . O mercado global de criptomoedas está projetado para mais que dobrar, de US$ 910,3 milhões em 2021 para US$ 1,9 bilhão em 2028, de acordo com a Fortune Business Insights”. 

Um dos estudantes da Universidade Bentley, Alex Kim, é citado como um dos primeiros a adotar criptomoedas.

“Ele começou a investir em Bitcoin durante o ensino médio  e, no outono passado, lançou o Bentley Blockchain Association, um dos poucos grupos de blockchain liderados por estudantes no país. O grupo cresceu para 257 membros apenas alguns meses após sua criação.”

Em depoimento, o aluno escreve, no site da universidade, que “os alunos têm um interesse real em saber mais sobre blockchain, finanças descentralizadas e investimentos em criptomoedas”.

Conforme divulgado, ele será palestrante no NFT.NYC , um dos principais eventos do mundo focado em tokens não fungíveis (NFTs).

“Essas tecnologias estão influenciando as indústrias em que estarão trabalhando”, finaliza o estudante.

Repórter do Crypto Times
Jornalista formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Repórter do Crypto Times, e autor do livro "2020: O Ano que Não Aconteceu". Escreve sobre criptoativos, tokenização, Web3 e blockchain, além de matérias na editoria de tecnologia, como inteligência artificial, Real Digital e temas semelhantes. Já cobriu eventos como Consensus, LabitConf, Criptorama e Satsconference.
Twitter Linkedin
Jornalista formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Repórter do Crypto Times, e autor do livro "2020: O Ano que Não Aconteceu". Escreve sobre criptoativos, tokenização, Web3 e blockchain, além de matérias na editoria de tecnologia, como inteligência artificial, Real Digital e temas semelhantes. Já cobriu eventos como Consensus, LabitConf, Criptorama e Satsconference.
Twitter Linkedin
Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.