Empresas

Vale (VALE3) aprova primeira revisão da política de sucessão do presidente; veja detalhes

05 dez 2023, 19:41 - atualizado em 05 dez 2023, 19:41
vale
Vale: Processo de sucessão deve ser iniciado entre seis e quatro meses antes do vencimento do prazo de mandato do presidente (Imagem: REUTERS/Yusuf Ahmad)

O conselho de administração da Vale (VALE3) aprovou a primeira revisão da política de sucessão do presidente com o objetivo de “assegurar a perenidade dos negócios da companhia, garantindo a adequação dos princípios e procedimentos norteadores do processo”, segundo documento divulgado ao mercado nesta terça-feira (5).

O conselho fica responsável pela decisão sobre a continuidade e renovação do mandato do presidente ou início de processo sucessório, atribuindo ao Comitê de Pessoas e Remuneração a responsabilidade por conduzir o processo de avaliação e/ou sucessão do presidente e emitir recomendação para deliberação pelo conselho de administração.

O conselho contará com o suporte da vice-presidência executiva de Pessoas da Vale na definição dos atributos, perfil, seleção e avaliação dos candidatos internos e externos, de acordo com a mineradora.

O processo de sucessão deve ser iniciado entre seis e quatro meses antes do vencimento do prazo de mandato do presidente.

Caso a deliberação do conselho seja pela manutenção do presidente em exercício, a consequente renovação do seu prazo de gestão e de contrato será realizada em comum acordo com o mesmo.

Porém, em caso de início do processo sucessório, deve-se realizar a contratação de empresa de padrão internacional,  contando com o apoio da vice-presidência executiva de Pessoas para dar início ao processo.

O conselho deverá considerar os candidatos internos mapeados no processo sucessório da companhia para o processo de seleção e avaliação.

O presidente da Vale será selecionado entre os nomes propostos em lista tríplice elaborada pela empresa de padrão internacional de seleção de executivos contratada.

Editora-assistente
Formada em Jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atua como editora-assistente do Money Times há pouco mais de três anos cobrindo ações, finanças e investimentos. Antes do Money Times, era colaboradora na revista de Arquitetura, Urbanismo, Construção e Design de interiores Casa & Mercado.
Linkedin
Formada em Jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atua como editora-assistente do Money Times há pouco mais de três anos cobrindo ações, finanças e investimentos. Antes do Money Times, era colaboradora na revista de Arquitetura, Urbanismo, Construção e Design de interiores Casa & Mercado.
Linkedin