Comprar ou vender?

Weg (WEGE3): Maus ventos à frente? Analistas projetam curto prazo mais fraco, mas citam uma boa vantagem

27 mar 2024, 16:46 - atualizado em 27 mar 2024, 16:46
weg btg pactual recomendação eólica
Weg poderá apresentar resultados ligeiramente mais fracos no curto prazo, mas empresa tem “carta na manga” (Imagem: Divulgação WEG)

O BTG Pactual, em relatório assinado por Lucas Marquiori, Fernanda Recchia, Marcelo Arazi e Marcel Zambello, analisou o cenário vivenciado pela Weg (WEGE3), fabricante de equipamentos elétricos, e optou por seguir com recomendação “neutra” para as ações da empresa.

De acordo com o Valor Econômico, citado no relatório do BTG, a Weg irá interromper temporariamente a produção de turbinas eólicas em Jaraguá do Sul, sua sede, devido a uma baixa perspectiva de demanda por equipamentos de energia eólica e excesso de oferta no mercado brasileiro.

“O crescimento da receita mais fraco é uma das razões pelas quais esperamos um desempenho de lucros mais fraco em 2024”, afirma o time de análise do banco.

Apesar de serem esperados resultados ligeiramente mais fracos no curto prazo, prejudicados também pelas menores vendas de turbinas eólicas, o BTG mantém as esperanças com relação às perspectivas de longo prazo da Weg.

WEG apresenta vantagem competitiva como ‘carta na manga’

A estratégia adotada pela empresa atualmente de continuar produzindo geradores térmicos e hidroelétricos e motores de média voltagem na mesma planta de fabricação de turbinas eólicas já é conhecida.

Esse movimento também foi adotado entre 2019 e 2020, momento no qual o setor de energia eólica estava em meio a uma desaceleração temporária.

“Essa solução reforça uma das principais vantagens competitivas da Weg: a capacidade de alternar rapidamente seu foco de produção para outros segmentos, alocando capacidade para setores mais fortes com alocação mínima de capital”, afirma o BTG.

As ações WEGE3 caíam 0,98% nesta quarta-feira (27), às 15h58.

Estagiária
Jornalista em formação pela Universidade de São Paulo (ECA-USP). Apaixonada pela escrita e pelo audiovisual, ingressou no Money Times em 2023.
Linkedin
Jornalista em formação pela Universidade de São Paulo (ECA-USP). Apaixonada pela escrita e pelo audiovisual, ingressou no Money Times em 2023.
Linkedin