Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

4 dicas para você investir como um milionário

Lucas Eurico Simões
03/09/2021 - 15:38
Juliana Volpe Magnetis
O conceito dos juros compostos é o mais importante aos investidores. A partir do momento que se começa uma jornada no mundo dos investimentos, aquele valor aplicado desde o início continua trabalhando para o investidor ao longo da vida, sintetiza a especialista da Magnetis (Imagem: Divulgação/Magnetis)

O sucesso financeiro é uma das principais metas na vida da maioria das pessoas. Não ficar no sufoco para pagar as contas do dia-a-dia ou mesmo poder chegar ao patamar de apenas viver de renda.

Ao mesmo tempo, é sabido que o enriquecimento consistente é um processo que requer empenho dos investidores. E cada vez mais o contingente de investidores tem crescido no Brasil.

Segundo dados da B3 (B3SA3), dona da Bolsa de Valores brasileira, o número de pessoas físicas investindo aumentou 1,9% em julho, na comparação com um ano atrás, atingindo 3,8 milhões de investidores.

Pensando tanto nos novos investidores quanto naqueles que já estão há um tempo no mercado de capitais, o Money Times bateu um papo exclusivo com Juliana Volpe, diretora de vendas da Magnetis, primeira gestora de investimentos digital, para revelar quatro passos para pensar como um milionário na hora de investir e conseguir maior rentabilidade, mesmo não sabendo muito sobre o mercado financeiro.

1. Investir no longo prazo

Fazer investimentos de longo prazo é um dos segredos dos investidores mais bem sucedidos do mundo, caso, por exemplo, do bilionário norte-americano Warren Buffett, que fez aporte milionário na fintech brasileira Nubank.

“O conceito dos juros compostos é o mais importante aos investidores. A partir do momento que se começa uma jornada no mundo dos investimentos, aquele valor aplicado desde o início continua trabalhando para o investidor ao longo da vida”, sintetiza a especialista da Magnetis.

Caso de sucesso do bilionário norte-americano Warren Buffett exemplifica o conceito de juros compostos, em que o dinheiro aplicado desde o começo permanece trabalhando à favor do investidor (Imagem: Reuters/Scott Morgan)

Se uma pessoa começa investir aos 20 anos, aplicando R$ 10 mil por ano durante uma década e depois manter a quantia aplicada, versus um investidor que começa a alocar com 30 anos de idade o mesmo valor, só que pelo período de 30 anos, a diretora de vendas na Magnetis prova que quem começou investir antes, ainda que por menos tempo, terá mais retorno financeiro no futuro.

“O investidor que começou a aplicar com 30 anos de idade ao final da projeção terá apenas pouco mais da metade do valor acumulado pelo investidor que começou com 20 anos, e aportou por apenas 10 anos e apenas manteve a quantia aplicada, enquanto que o primeiro continuou os aportes”, explica Volpe.

2. Planejar-se

Muitas pessoas têm dificuldade de guardar dinheiro por falta de disciplina com as finanças pessoais. Ao contrário do que se imagina, as pessoas com bastante patrimônio acumulado são cuidadosas com cada centavo e gasto executado.

“Um planejamento financeiro bem feito é criado sob medida para cada pessoa, de acordo com seus objetivos. Sabendo onde se quer chegar fica mais fácil otimizar a rentabilidade e correr menos risco. Por isso, criamos um modelo de gestão transparente e com taxa única, que conta com tecnologia para ajudar o investidor a aplicar em uma carteira diversificada“, comenta a porta-voz da Magnetis ao Money Times.

Com algoritmos que escolhem as melhores carteiras e um time de consultores sempre à disposição, a Magnetis já montou mais de 300 mil planos de investimento e tem mais de R$ 800 milhões sob gestão.

O planeamento financeiro é essencial independentemente do valor da renda, quer ela seja de R$ 1.000 ou R$ 10 mil mensais.

“Importante também é aliar o hábito de planejar com a identificação de metas para cada investimento, o que garante ainda mais motivação ao investidor a chegar ao primeiro R$ 1 milhão”.

3. Fundos exclusivos

Mercados Investimentos Gestoras de Recursos
Quando o investidor tem uma tolerância de risco maior, há também a expectativa de retorno maior (Imagem: Unsplash/Frank Busch)

Durante a jornada de investimentos, é fundamental buscar oportunidades em que o dinheiro renda ainda mais, sinaliza a especialista.

Vale destacar neste ponto, segundo a diretora de vendas da Magnetis, a relação de risco x retorno, em que para buscar uma maior rentabilidade o investidor , por sua vez, se expõe a um grau maior.

“Quando o investidor tem uma tolerância de risco maior, há também a expectativa de retorno maior. Logo, o algoritmo presente na Magnetis vai buscar o investimento com a maior rentabilidade possível, provavelmente alocando um porcentual elevado da carteira em renda variável, ao mesmo tempo em que há o mecanismo de proteção”

O mecanismo de proteção citado acima está diretamente relacionado com o quarto passo (e última etapa) para pensar como um milionário na hora de investir.

4. A chave é a diversificação

Uma carteira realmente diversificada é capaz de fornecer a segurança necessária para investir com solidez.

Especialmente, levando em conta o cenário atual de volatilidade nos mercados — em que o Ibovespa chegou até zerar os ganhos em 2021 –, a diversificação precisa estar de vez no vocabulário de todo investidor.

“É muito difícil para o investidor pessoa física sozinho conseguir se proteger de todos os riscos presentes nos mercados [risco-país, crédito, câmbio, inflação, internacional]. Daí o papel de gestoras de investimento, como a Magnetis em oferecer soluções que permitam a diversificação do dinheiro aplicado pelo investidor”, conclui.

Com a proporção ideal entre renda fixa e variável, com ativos descorrelacionados é possível ter mais proteção a médio e longo prazo, além de retornos diferenciado.

Enquanto os títulos públicos e fundos de crédito privado preservam o portfólio, o investidor também pode contar com fundos de ações e multimercados a fim de diversificar a estratégia e obter resultados exponenciais.

Entrevista: para onde vai o Ibovespa?

Em meio a um cenário de elevada volatilidade, o mercado ainda está tentando entender para onde caminha o índice.

Em entrevista exclusiva ao Money Times, o analista da Empiricus, Matheus Spiess, traça os possíveis panoramas para o Ibovespa (IBOV) nos próximos meses e aconselha como se posicionar no mercado neste momento.

Última atualização por Lucas Eurico Simões - 03/09/2021 - 16:54

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado de tecnologia?
Receba toda sexta-feira as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto