Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Análise de preço da criptomoeda DASH (parte 2): aspectos técnicos

06/08/2020 - 11:56
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Uma movimentação acima do pivô anual de US$ 90 deve trazer uma Cruz de Ouro e continuação positiva (Imagem: Unsplash/@dmitrydao)

Parte 1

Em relação à atividade de desenvolvimento, mais de cem desenvolvedores enviaram mais de mil contribuições aos 33 repositórios DASH no GitHub no último ano. Todos exceto cinco desses repositórios estão inativos.

(Imagem: Github/DASHpay/DASH)

O repositório do protocolo (gráfico acima) teve mais de 600 contribuições no último ano de nove desenvolvedores.

O repositório DASH Improvement Protocol esteve bem inativo no último ano (gráfico abaixo). DASH Core v0.15 foi lançado em fevereiro, com melhorias à interface nativa de usuário, sincronização de mempool e PrivateSend.

Carteiras Electrum, Android e iOS também são atualizadas regularmente. Dash Electrum v3.3.8.4 também foi lançada este ano.

(Imagem: Github/DASHpay/dips)

Grande parte das moedas usam a comunidade de desenvolvedores do GitHub. Arquivos são salvos em pastas chamadas de “repositórios” ou “repos”.

Alterações a esses arquivos são registradas com “contribuições”, que salvam um registro das alterações realizadas, além de quando e por quem.

Apesar de contribuições representarem quantidade e não necessariamente qualidade, um grande número de contribuições pode significar maior interesse e atividade por desenvolvedores.

O volume negociado em corretoras para DASH é dominado por tether (USDT) e bitcoin (BTC) na Binance, OKEx e Huobi. Ao longo de 2019 e 2020, DASH teve diversas listagens e deslistagens.

CEX.io deslistou os pares DASH em agosto de 2019 e UpBit também no fim de setembro de 2019, provavelmente por conta de questões regulatórias em relação às moedas que permitem transações privadas. OKEx Korea também está considerando fazer o mesmo.

Enquanto isso, pares com DASH foram acrescentados à Coinbase em meados de setembro de 2019 e a Binance.US acrescentou pares em outubro de 2019.

O navegador Brave, que permite micropagamentos ininterruptos para criadores de conteúdo, também acrescentou DASH como uma opção de pagamentos em 2019. Em março, Bittrex acrescentou um par DASH/USD.

Soluções de custódia incluem as carteiras de hardware Trezor e Ledger, bem como as carteiras para celular Abra, Electrum e Jaxx.

BitGo também acrescentou suporte para staking em outubro de 2019. No serviço de carteira UpHold, DASH foi a criptomoeda mais popular entre janeiro de 2018 e janeiro de 2019. Em abril de 2019, o aplicativo Spend.com também anunciou suporte para o cartão Spend Visa.

No início deste ano, Binance também acrescentou DASH ao seu programa de poupança flexível, com um rendimento anual de 1,66%. Huobi Futures também acrescentou trocas perpétuas para DASH/USD com alavancagem de até 75 vezes.

Exceto por um breve período no fim de 2017, dados no Google Trends para pesquisas com o termo “DASH” estiveram baixíssimas. O aumento em 2017 provavelmente indicou uma grande onda de novos participantes de mercado na época.

Porém, um estudo realizado em 2015 descobriu uma forte correlação entre dados do Google Trend e o preço do bitcoin enquanto um estudo realizado em 2017 concluiu que, quando as pesquisas no Google “bitcoin” aumentaram drasticamente nos EUA, o preço do bitcoin caiu.

(Imagem: Google Trends)

Análise técnica

Desde o início do ano, DASH se moveu junto com os mercados cripto, se afastando de baixas de dezembro para 286%, e depois caindo no dia 12 de março. 

Possíveis roteiros para futuras movimentações de preço podem ser encontrados usando Médias Móveis Exponenciais (MMEs), pontos de pivô, perfis de volume do intervalo visível (VPVR) e a Nuvem de Ichimoku.

Clique aqui para mais informações sobre as análises técnicas descritas abaixo.

No gráfico diário para o mercado DASH/USDT, as MME de 50 dias e de 200 dias permanecem cruzadas negativamente no dia 13 de março, após uma tendência de baixa de 44 dias.

A MME de 200 dias, atualmente em US$ 78, deve atuar como suporte. Nas próximas semanas, uma movimentação acima do pivô anual de US$ 90 deve trazer uma Cruz de Ouro e continuação positiva. Não existem divergências de volume ativo ou de índice de força relativa (RSI) neste momento.

Resistência significativa de volume (barras horizontais no gráfico abaixo) também está na zona US$ 90 a US$ 100, com suporte significativo entre US$ 65 e US$ 80. Qualquer aumento no futuro provavelmente encontrará resistência em altas locais e zonas psicológicas de US$ 100, US$ 150 e US$ 200.

Considerando a Nuvem de Ichimoku, existem quatro métricas essenciais: o preço atual em relação à nuvem, a cor da nuvem (vermelho para baixa, verde para alta), as cruzes Tenkan (T) e Kijun (K) e o período de atraso (“lagging span”).

A melhor entrada acontece quando a maioria dos sinais disparam de baixa para alta, ou vice-versa.

Métricas atuais da Nuvem sobre o quadro temporal diário com configurações duplicadas (20/60/120/30) para sinais mais precisos, indicam uma alta.

O preço à vista está acima da Nuvem, então a Nuvem indica uma alta, assim como as cruzes T/K. O período de atraso está acima da Nuvem e acima do preço à vista.

A tendência continuará em baixa conforme o preço à vista de mantiver acima da Nuvem. O suporte de Kijun está em US$ 80.

Para o par DASH/BTC, indicadores de tendência mostram a possibilidade para uma reversão positiva em que o preço entra na Nuvem diária (barras horizontais do gráfico abaixo).

Desde março de 2018, as MMEs de 50 e 200 dias se mantiveram cruzadas negativamente. Ultrapassar a zona entre 0,005 BTC e 0,025 BTC anteriormente exigiu mil dias de consolidação.

Com base no VPVR, um longo período de consolidação entre 0,01 BTC a 0,017 BTC provavelmente será necessário antes de qualquer alta futura. Abaixo de 0,005 BTC, virtualmente, nenhum suporte de VPVR existe até 0,0022 BTC.

Aspectos fundamentais sugerem atividade crescente e estável no blockchain nos últimos dois anos. Embora recursos opcionais de privacidade não sejam predominantes na rede, esses tipos de transações também aumentaram ano a ano desde sua criação.

O desenvolvimento do protocolo continua, com um lançamento em fevereiro que trouxe melhorias à interface nativa de usuário, sincronização de mempool e PrivateSend.

Diferente de outras moedas de 2014, que foram extintas, DASH provavelmente sobreviveu devido aos componentes de nós mestres e de tesouraria.

Nós mestres desestimulam uma grande parte do fornecimento em circulação a aparecer no mercado aberto, e o tesouro continuou a financiar desenvolvimento relacionado a DASH e marketing para sustentar a moeda nos últimos seis anos.

Aspectos técnicos para os pares DASH/USD e DASH/BTC sugerem início de atividade positiva sutil. Nas próximas semanas, DASH/USD deve tentar voltar para US$ 100 e, possivelmente, ganhar impulsionamento.

Qualquer outro aumento para DASH/USD provavelmente encontrará resistência em altas locais e zonas psicológicas de US$ 150 e US$ 200.

O par DASH/BTC tem seis anos de histórico de preço, o que sugere que períodos extensos de consolidação serão necessários antes de futuras altas acima de 0,016 BTC.

DASH/BTC tem o potencial de se movimentar por meio da resistência de Nuvem para um alvo de 0,009 BTC. Se o suporte de 0,005 BTC não for mantido, uma nova baixa provavelmente levará o preço para 0,0022 BTC.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 06/08/2020 - 11:56