Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Análise de preço da criptomoeda DASH (parte 1): o que é DASH?

06/08/2020 - 11:54
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Uma movimentação acima do pivô anual de US$ 90 deve trazer uma Cruz de Ouro e continuação positiva (Imagem: Unsplash/@dmitrydao)

Dash (DASH) é uma criptomoeda com recursos opcionais de privacidade e uma empresa autônoma descentralizada (DAO, na sigla em inglês) para governança.

O preço da moeda DASH caiu 95% de sua alta recorde estabelecida em dezembro de 2017. Sua capitalização de mercado de US$ 891 milhões a classifica em 22º lugar na tabela da Brave New Coin, com volume negociado de US$ 128 milhões nas últimas 24 horas.

O blockchain DASH é uma bifurcação do Bitcoin criada por Evan Duffield em janeiro de 2014. O projeto era conhecido como XCoin, subsequentemente renomeado para DarkCoin e, por fim, para DASH, descrita como Digital Cash em 2015. Ryan Taylor é o atual CEO o DASH Core e Duffield é o conselheiro estratégico.

O projeto usa um modelo de consenso duplo de proof-of-work (PoW) e proof-of-stake (PoS). A mineração PoW verifica o registro usando um intervalo entre blocos de dois minutos e meio.

PoS acontece por meio de nós mestres e opera maiores tarefas de funcionamento, incluindo governança e recursos únicos de envio. As recompensas por bloco são divididas entre três entidades: 45% vai para mineradores PoW, 45% aos nós mestres e 10% à tesouraria do DASH.

Cerca de 18 milhões de tokens serão emitidos no total, em que recompensas por bloco diminuem 7% anualmente até nenhuma recompensa existir. A inflação está em 6,02% (gráfico abaixo).

(Imagem: CoinMetrics)

Depois de seu lançamento em 2014, dois milhões de moedas foram emitidas no primeiro dia, em que alguns chamam de “instamine”.

Porém, apenas 19,77% do fornecimento total em circulação é pertencente às cem principais contas, diferente dos 15,22% detidos pelos cem principais endereços de Bitcoin.

Uma rápida comparação entre todas as moedas com recursos de privacidade mostra que DASH lidera as transações por dia e os endereços diários ativos.

Outras moedas com recursos de privacidade incluem monero (XMR), zcash (ZEC), grin (GRIN) e pivx (PIVX). Tanto XMR como GRIN ofuscam valores e endereços de transações em blockchain.

Comparação entre moedas com recursos de privacidade — julho de 2020 (Imagem: Brave New Coin, CoinMetrics, OnChainFX)

Em relação à rede, a taxa de hashes (processamento computacional da rede) e a dificuldade quase atingiram uma alta recorde no início deste ano após um março volátil.

A rede usa o algoritmo de hashing X11, desenvolvido por Duffield e é composto das seguintes funções de hash: LAKE, BLUE MIDNIGHT WISH (BMW), Grøstl, JH, Keccak, Skein, Luffa, CubeHash, SHAvite-3, SIMD e ECHO. O algoritmo X11 passa por cada um dos onze algoritmos durante o processo de hashing.

(Imagem: BitInfoCharts)

DASH pode ser minerado por 24 circuitos integrados de aplicação específica (ASICs) no mercado, em que o ASIC mais recente foi lançado em novembro de 2019.

Confira cinco fatos interessantes
sobre mineração de cripto

Até agora, não existem anúncios para ASICs X11 a serem lançados em 2020. Apenas 11 dos 24 ASICs são rentáveis, a US$ 0,04 por kilowatt/hora (c/kWh).

Ao todo, a rentabilidade de mineração está bem baixa, diminuindo ainda mais após a redução de inflação. Outros fatores da rede que influenciam a rentabilidade de mineração incluem preço, intervalos entre blocos, dificuldade e taxas de transação.

(Imagem: asicminervalue)

Após uma longa fase de desenvolvimento, a atualização da geração distribuída de chaves (do inglês “distributed key generation” ou DKG) foi ao ar em junho de 2019, permitindo que a formação de Quorms de Nós Mestres de Longa Vida (LLMQs).

A atualização foi criada para melhorar o desempenho e a escalabilidade da rede.

ChainLocks baseados em LLMQs fornecem um mecanismo de proteção contra ataques de 51% na rede ao evitar que mineradores minerem secretamente um blockchain mais longos no DASH e tentem reorganizar um blockchain.

A mudança de protocolo também incluiu um sistema de pontuação proof-of-service (PoSE) para cada um dos nós mestres da rede.

Uma variedade de métricas estão envolvidas no cálculo para mitigar a gamificação do sistema, mas nós que falham em responder a pedidos de localização são banidos da rede. O nó deve ser consertado antes de participar novamente da rede.

Cada nó mestre exige mil DASH, valor equivalente a US$92.452, que atua como garantia durante as funções de governança para evitar ataques Sybil ou “enchimento de votação”.

Apesar do preço e do risco de volatilidade, esses nós aumentaram em uma taxa estável desde 2015. Porém, esse crescimento se estabilizou desde janeiro de 2019.

Existem 4.626 nós mestres na rede, ou seja, quase 50% do fornecimento em circulação está detido em garantias. A participação de nós mestres na recompensa por bloco é dividida entre todos os nós e, assim, conforme o número de nós aumenta, o pagamento por nó diminui.

Nós mestres ganham 5,70% por ano, o -0,29%, após a prestação de contas por inflação. Em comparação, pivx possui 1,4 mil nós mestres ativos, que exigem 10 mil PIVX como garantia.

Esses nós são avaliados em US$ 4,5 mil e fornecem um rendimento sobre investimento de 8,88% com a inflação na rede em 8,07%.

Número de nós mestres ativos (intervalos de 60 minutos) (Imagem: DASH)

Nós mestres podem enviar transações usando InstantSend ou PrivateSend.

InstantSend permite um tipo de transação sem confirmação no blockchain que ignora completamente mineradores. Isso é feito por meio de um comando de bloqueio de transações com uma carteira ou um cliente que tem a intenção de bloquear fundos de um envio específico para uma saída específica.

PrivateSend é basicamente um serviço de mixing de moedas, parecido com a CoinJoin, que combina entradas idênticas de múltiplos usuários em uma única transação com inúmeras saídas. Por esse motivo, DASH é chamada de “moeda de privacidade”, junto com XMR e ZEC.

Apesar de PrivateSend e transações misturadas (gráficos abaixo) representam uma baixa porcentagem das transações totais, essas funções aumentaram de forma estável desde 2015. Porém, existem bem menos transações privadas em DASH na rede em comparação a XMR ou ZEC.

Transações PrivateSend por dia (Imagem: DASHradar)

 

Transações misturadas por dia (Imagem: DASHradar)

O modelo de governança dos nós mestres também permite um mecanismo de votação descentralizado para projetos relacionados a DASH, pagos por meio de recompensas por bloco da tesouraria.

Esses projetos e seus orçamentos relacionados são votados por nós mestres. Cada projeto, caso aprovado, é acrescentado ao orçamento total e a pessoa ou entidade responsável pelo trabalho é paga.

Embora o mecanismo resultou em diversos projetos sendo financiados pela rede, uma quantidade significativa de propostas nos últimos meses com foco em marketing e promoção em países em desenvolvimento.

Por conta das conexões locais de Duffield, DASH também financiou ou firmou parceria com muitas iniciativas no Arizona.

Em agosto de 2017, o tesouro direcionou US$ 50 mil para o Blockchain Research Laboratory (BRL) e, em novembro de 2017, atenderam a Arizona State University (ASU) em estabelecer um BRL na universidade.

Em janeiro de 2018, uma outra iniciativa com a ASU foi anunciada, equivalente a US$ 300 mil, para acelerar a pesquisa, o desenvolvimento e a educação no setor blockchain.

(Imagem: DASHnexus)

O número total de transações por dia na rede (linha do gráfico abaixo) aumentou de forma estável desde agosto de 2018, de 4,8 mil, e está em 28 mil. Os aumentos de transação desde julho de 2018 representam períodos de teste, quando mais de 3,5 milhões de transações foram enviadas.

O valor médio de transações por dia (preenchimento do gráfico abaixo) teve seu auge no fim de 2017 para cair abaixo de US$ 100 em janeiro de 2019. Desde então, o valor médio de transações aumentou um pouco e variou entre US$ 150 e US$ 800 nos últimos meses. 

(Imagem: CoinMetrics)

A taxa média de transações caiu diminuiu de forma estável desde o início de 2018 e agora está em US$ 0,003, próxima à baixa anual. Taxas médias de transação para XMR, ZEC, GRIN e PIVX estão em US$0,0222, US$0,0120, US$0,00436 e US$0,0613, respectivamente.

O valor de 30 dias da rede para a proporção de transações diárias no blockchain (NVT) (linha do gráfico abaixo) aumentou para 100 nos últimos dois meses.

Pontos de inflexão na NVT podem ser indicadores essenciais de uma reversão no valor de um ativo. Uma NVT abaixo de 20 deve significar condições de mercado de alta.

Um claro aumento na NVT sugere que uma moeda é sobrevalorizada com base em sua atividade e utilidade econômica, que deve ser consideradas como um indicador negativo de preço, enquanto uma baixa na NVT sugere o oposto.

Endereços ativos e únicos são importantes de se considerar para determinar o valor fundamental da rede usando a lei de Metcalfe.

Endereços mensais ativos (preenchimento no gráfico abaixo) atingiram uma alta recorde de quase 10 mil em julho de 2019 e janeiro de 2020. Endereços ativos continuaram a aumentar de forma estável ano a ano, sugerindo interesse contínuo e crescente na rede.

(Imagem: CoinMetrics)

A capitalização de mercado dividida pelo valor de mercado obtido (MVRV) é outra métrica fundamental usada para avaliar condições de sobrecompra ou de sobrevenda (preenchimento no gráfico abaixo).

Valor de mercado obtido aproxima o valor pago de todas as moedas em existência ao somar o valor de mercado das moedas na época em que foram movimentadas pela última vez no blockchain.

Historicamente, períodos de um MVRV abaixo de 0,5 representaram condições de sobrevenda, enquanto períodos de um MVRV maior do que 3 representaram condições de sobrecompra.

O recorde de dezembro de 2017 (linha do gráfico abaixo) também representou uma alta recorde no MVRV. Atualmente, o MVRV está em 0,48, sugerindo uma probabilidade de aumento. Porém, o serviço de mixing no blockchain DASH provavelmente contribui a um baixo MVRV histórico.

(Imagem: CoinMetrics)

Parte 2

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 11/09/2020 - 9:08