Análise de preço do ether (ETH) — parte 2: métricas da atividade no blockchain Ethereum

Brave New Coin
15/07/2020 - 11:39
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Aspectos técnicos estão positivos para o par ETH/USD com base nas métricas atuais de tendência conforme o preço à vista está acima da média móvel exponencial (MME) de 200 dias e acima da Nuvem diária. Nos próximos meses, é possível que haja um preço-alvo entre US$ 285 e US$ 300 com base no VPVR, pivôs anuais e um pitchfork positivo recém-estabelecido (Imagem: Facebook/ConsenSys)

Parte 1

Atualmente, a rede Ethereum possui mais de oito mil nós ativos da rede, em que 26% são localizados nos Estados Unidos e quase 70% desses nós são executados por meio de serviços de hospedagem em nuvem.

Por conta dos hardwares incômodos e requisitos de tempo para executar um nó, muitos desses nós são executados pela Infura ou servidores parecidos de nós, que fornecem acesso à rede para desenvolvedores.

Esses serviços estão se tornando cada vez mais importantes conforme o blockchain continua a crescer.

Nós possuem diversos modos de sincronização, em que sincronização rápida exige aproximadamente 419 GB de armazenamento e um nó completo de arquivamento exige mais de 4,66 TB de armazenamento. Um nó completo armazena uma parte da rede completa em cada contrato a todo momento.

Em contraste, um nó completo da rede Bitcoin só requer acima de 335 GB.

(Imagem: Etherscan)

Atualmente, o número médio de transações semanais (linha do gráfico abaixo) é de 1,05 milhão, aumentando de uma baixa de 490 mil no fim de janeiro.

Ainda continua positivo para uma baixa de vários anos de 430 mil em fevereiro de 2019, mas pouco abaixo de uma alta recorde de 1,24 milhão no dia 9 de janeiro de 2018.

Taxas médias semanais de transação (preenchimento no gráfico abaixo) em junho foram bem distorcidas por conta de duas transações que enviaram US$ 2,6 milhões em taxas cada, provavelmente relacionadas a uma tentativa de extorsão de gás ou um hack “do bem” de um esquema Ponzi.

Porém, as taxas na Ethereum aumentaram significativamente nos últimos dois meses mesmo antes de essas duas transações serem enviadas e continuaram a crescer desde o início de junho.

(Imagem: CoinMetrics)

Em setembro de 2019 e junho de 2020, mineradores votaram para aumentar os limites de gás em 25%, que aliviou a pressão de algumas taxas.

Limites de gás estão novamente próximos à sua capacidade máxima, elevando a possibilidade de outros aumentos no limite de gás. Ao todo, agora as taxas estão se aproximando de uma alta de dois anos.

(Imagem: Etherscan)

O valor da rede nos últimos 30 dias à proporção estimada de transações diárias (NVT) no blockchain (linha do gráfico abaixo) está, atualmente, em 63 e está caindo.

Uma clara tendência de alta na NVT sugere que uma moeda é supervalorizada com base em sua atividade e utilidade econômica, que deve ser considerada como um indicador negativo de preço, enquanto uma queda na NVT indica o contrário.

Uma NVT que está abaixo de 30 provavelmente indica condições de mercado de alta, como foi o caso entre abril de 2017 e maio de 2018. NVT não é considerada em grande parte das transações relacionadas ao setor de finanças descentralizadas (DeFi).

(Imagem: CoinMetrics)

Endereços ativos mensais aumentaram para 500 mil, representando uma alta de dois anos (preenchimento no gráfico acima).

Esses endereços aumentaram de uma baixa anual de 192 mil em fevereiro, mas estão um pouco abaixo da alta recorde de quase 610 mil em janeiro de 2018.

Ao todo, esses endereços permanecem acima de níveis vistos ao longo de 2017 e anteriormente. Endereços únicos continuam a crescer a um ritmo acelerado e existem pouco acima de 105 milhões. Porém, endereços só podem ser acrescentados à rede e nunca podem ser deletados.

O mês de maio de 2019 demonstrou uma alta de quase 12 meses para o financiamento de ofertas iniciais de moeda (ICOs), graças à venda do token da Bitfinex, LEO.

Na mesma época, ofertas iniciais de corretoras (IEOs), em que financiamentos coletivos eram facilitados por uma corretora, também aumentaram em popularidade. Porém, essas IEOs não usam Ethereum ou outro blockchain nativo.

Em todo o mundo, ICOs estão cada vez mais migrando de vendas públicas, provavelmente em receio a reguladores. 2018 teve o maior número de ICOs, 1.075, e a maior quantia em dólares arrecadada em um ano foi de US$ 21,48 bilhões.

Em 2019, foram realizadas mais de 120 vendas de tokens, arrecadando um total de US$ 3,265 bilhões. Em contraste, o total arrecadado em janeiro de 2018 foi de US$ 2,81 bilhões.

(Imagem: CoinSchedule)

Saldos transparentes de tesouro de ICOs reduziram significativamente desde 2018, tanto no valor em dólares como na quantidade em ETH. Maio de 2019 teve fluxos que totalizaram 327 mil ETH, a maior do ano inteiro. Em 2019, ICOs arrecadaram 1,24 milhões de ETH e contribuíram com menos de 1 milhão de ETH

Desde janeiro de 2020, ICOs conseguiram arrecadar quase 814 mil ETH, em que Aragon, Kyber, Monetha, Mysterium, SingularDTV, Gnosis e Status conseguiram pelo menos 10 mil ETH cada, apenas em janeiro.

Request (REQ) arrecadou 15 mil ETH nos últimos 30 dias. Acionistas da DigixDAO também aprovaram uma medida para devolver todos os fundos de tesouraria aos investidores, que aconteceu no segundo trimestre deste ano.

Nos últimos 120 dias, Gnosis arrecadou 58 mil ETH e Monolith arrecadou 44 mil ETH. Os três maiores tesouros restantes são Golem, Polkadot e iExec RLC, com 346 mil ETH, 306 mil ETH e 107 mil ETH, respectivamente.

Os fundos da Polkadot foram congelados em novembro de 2017 quando uma falha foi executada e deletou uma biblioteca de códigos da carteira multiassinaturas Parity.

(Imagem: Diar, Santiment)

As principais aplicações descentralizadas (dapps) na última semana, classificadas por volume, são lideradas pelo setor DeFi e dapps de corretoras. A dapp Forsage teve o maior número de transações na última semana, com 70 mil. NEST e Synthetix tiveram a maior parte das transações na última semana na categoria DeFi e Corretora.

Ao todo, Ethereum possui um número relativamente baixo de usuários e transação em comparação a outras plataformas de aplicações descentralizadas (dapps) como EOS (EOS) e Tronix (TRX), em que ambas não cobram por taxas de transação.

Em fevereiro de 2019, usuário do Twitter Kevin Rooke destacou que, dentre 1.375 dapps na Ethereum, 86% não tinham usuários e 93% tinham zero volume de transações.

Atualmente, existem 1.926 dapps listadas no site DappRadar, em que 83% possui zero usuários ou volume de transações na última semana.

(Imagem: DappRadar)

O movimento das DeFi ganhou grande popularidade, em que o total de ETH retidos no setor é de 3,45 milhões de ETH, ou US$ 2,5 bilhões.

Empréstimos e as dapps conhecidas como “yield farming” (em que pessoas tentam obter o maior rendimento possível), como Compound, tiveram o maior fluxo de dinheiro conforme seus produtos começaram a fornecer um rendimento para usuários.

MakerDAO, que usa posições de dívida com garantias para lastrear as stablecoins DAI e SAI, atualmente possui 58% de todo o ETH existente no ecossistema DeFi.

Diversos incidentes no setor DeFi destacaram a necessidade por infraestruturas e testes mais robustos. bZx, o 15º maior protocolo DeFi, com mais de US$ 2,5 milhões de ativos bloqueados atualmente, perdeu mais de US$ 350 mil e US$ 645 mil equivalentes em ETH em duas invasões distintas relacionadas a empréstimos-relâmpago e manipulação de oráculos de preço.

Para solucionar essa invasão, bZx absorveu as perdas e direcionou futuros fluxos de caixa para um fundo de segurança até as dívidas pendentes serem pagas.

MakerDAO também passou por uma perda de US$ 4,5 milhões este ano após um atraso no feed de preço.

Desde então, acrescentou USD Coin (USDC) como garantia e os tokens de governança MKR foram diluídos e leiloados para arrecadar fundos para cobrir as perdas. Agora, o prejuízo está completamente pago.

ETH bloqueados no setor DeFi (Imagem: DeFi Pulse)

Nos mercados, o volume de ETH negociado em corretoras nas últimas 24 horas foi praticamente liderado pelos pares com tether (USDT) na Binance, Huobi e OKEx.

O volume não relacionado à stablecoin tether agora aumentou nos últimos seis meses, incluindo USD Coin (USDC), Dai (DAI), Paxos-Standard (PAX), Gemini Dollar (GUSD) e TrueUSD (TUSD), mas continuam sendo uma fração do volume total negociado.

Um produto de futuros em ETH pelo CME Group deve ser aprovado em algum momento ainda este ano pela Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC).

Na ásia, os pares do won coreano (KRW) e do iene japonês (JPY) com ETH estão em aproximadamente US$ 237 e US$ 241, respectivamente.

Juntas, ambas as regiões demonstram um interesse relativamente baixo nos pares de fiduciárias, com quase 1,30% do volume total negociado combinado.

Um rendimento de um prêmio significativo na Coreia do Sul poderia resultar em um retorno às condições de mercado de alta. Tanto a falta de prêmios como a queda na porcentagem dos pares de negociação sugerem uma queda drástica na negociação de varejo nessas corretoras sul-coreanas.

Em novembro de 2019, a corretora sul-coreana Upbit relatou que 324 ETH, ou cerca de US$ 50 milhões, foram roubados durante uma migração para uma carteira fria.

Por que a Ásia é o epicentro
das invasões a corretoras de cripto?

Upbit anunciou que reembolsará usuários usando fundos da empresa. Nos últimos anos, corretoras sul-coreanas têm sido o alvo principal de hackers norte-coreanos, apesar de nenhum suspeito para grande parte das perdas recentes ter sido liberado.

Dados globais no Google Trends pelo termo “Ethereum” dispararam em julho de 2019 e fevereiro de 2020, que combinaram com um leve aumento no preço. Dados globais para os termos “DeFi Crypto” e “Yield Farming” aumentaram significativamente nos últimos meses. 

Ao todo, pesquisas pelo termo “Ethereum” foram significativamente baixos desde o início de 2018. Um breve aumento em pesquisas pelo termo “Ethereum” aconteceram tanto em junho de 2017 e em janeiro de 2018, provavelmente sinalizando interesse de novos participantes de mercado na época.

Um estudo de 2015 descobriu uma forte correlação entre os dados do Google Trends e o preço do Bitcoin, enquanto um estudo de 2017 concluiu que, quando pesquisas nos EUA pelo termo “bitcoin” aumentam significativamente, o preço do bitcoin cai.

(Imagem: Google Trends – “Ethereum”)
(Imagem: Google Trends – “DeFi Crypto”)
(Imagem: Google Trends – “Yield Farming”)

Parte 3

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 15/07/2020 - 11:39

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado cripto?
Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto