Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Análise de preço do Ethereum Classic (ETC) — parte 1: o que é Ethereum Classic?

05/08/2020 - 12:11
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Ethereum Classic passou por dois ataques de 51% nos últimos dois anos, sugerindo baixa segurança da rede. Conforme a taxa de hashes da rede continua a cair, futuros ataques de 51% se tornam em uma maior possibilidade já que o custo para um ataque continua a cair (Imagem: Crypto Times)

Ethereum Classic (ETC) é um registro distribuído e uma plataforma computacional descentralizada com capacidades de contratos autônomos, criada em 2016 após bifurcar o projeto original Ethereum (ETH).

O token ETC está em 21º lugar na tabela de capitalização de mercado da Brave New Coin, com US$ 864 milhões. Nas últimas 24 horas, teve US$ 121 milhões de volume de negociação. O preço do ETC caiu 85% de sua alta recorde estabelecida em janeiro de 2018.

ETC foi criado após uma controversa bifurcação drástica (ou “hard fork”) após o hack da Decentralized Autonomous (DAO, ou “empresa autônoma descentralizada” em português) em julho de 2016, que resultou no roubo de US$ 50 milhões da DAO.

DAO havia se estabelecido como um fundo de capital de risco criado na Ethereum e lançado com uma venda coletiva em abril de 2016. Em maio de 2016, o fundo detinha 14% do fornecimento total da Ethereum, cerca de US$ 150 milhões, de onze mil investidores.

Para recuperar os fundos perdidos, uma bifurcação do blockchain original da Ethereum aconteceu logo após o hack. O blockchain original sobreviveu, em grande parte por conta de listagens em corretoras, e foi renomeada por Ethereum Classic.

Bê-a-bá Cripto: The DAO, Ethereum e Ethereum Classic

Defensores da ETC questionaram a imutabilidade do registro do ETH após a solução da bifurcação ter sido implementada. Além disso, desenvolvedores e a comunidade do ETC concordaram em capitalizar a emissão e diminuir a recompensa por bloco.

A inflação anual da rede está em 6,45% (linha verde) em comparação à de 4,46% do ETH (linha roxa). Para o ETC, a recompensa total por bloco é reduzida em 20% a cada cinco milhões de blocos.

(Imagem: CoinMetrics)

Barry Silbert, fundador e CEO do Digital Currency Group (DCG), foi um dos membros principais da comunidade a acolher ETC e encorajar seu futuro desenvolvimento, por meio da Input-Output de Hong Kong (IOHK).

Em 2019, IOHK anunciou que a empresa iria migrar para o estado de Wyoming devido ao ambiente regulatório mais amigável.

Grayscale, subsidiária do DCG, compõe diversos fundos que emitem ações lastreadas em cripto. O truste que emite ações para um produto de ETC possui US$ 84,2 milhões em ativos sob gestão, representando 11,77 milhões de ETC, ou 9,72% do fornecimento em circulação.

Gestores do truste pretendem direcionar até ⅓ da Taxa Anual para os três primeiros anos de operação do truste para a Ethereum Classic Cooperative, que possui iniciativas que apoiam o desenvolvimento, marketing e atividades da comunidade.

(Imagem: Grayscale)

Uma rápida comparação entre Ethereum e Ethereum Classic mostra que a Ethereum domina grande parte das métricas, incluindo capitalização de mercado, volume diário de transações, transações diárias, endereços diários ativos, taxa de hashes e nós.

ETH provavelmente tem mais contribuições no GitHub durante o último ano, mas menos contribuições que o ETC no repositório principal.

Comparação entre ETH vs. ETC – agosto de 2020 (Imagem: Brave New Coin, CoinMetrics, BitInfoCharts, EtherScan, EtherNodes, ETCnodes, CryptoCodeWatch, GitHub)

Atividade de mineração nos últimos anos aumentou significativamente graças aos chips ASICs (circuitos integrados de aplicação específica) para o algoritmo de consenso Ethash desenvolvidos pelas empresas de mineração Innosilicon, Bitmain e Pandaminer.

Linzhi, uma nova fabricante de chips ASIC, lançou sua primeira máquina de mineração em setembro de 2019.

Se a Ethereum migrar para um novo algoritmo de consenso, chamado ProgPow, mineradores de ASICs podem migrar em massa para o blockchain ETC, já que não poderão lucrar no blockchain Ethereum.

Confira cinco fatos interessantes
sobre mineração de cripto

Além disso, a fabricante Innosilicon também lançou um novo ASIC. Aqueles que adquiriram esses ASICs irão buscar por rendimentos sobre seu investimento, independente de qual blockchain estarão minerando.

(Imagem: asicminervalue)

A taxa de hashes (ou poder de processamento da rede) atingiu um recorde em fevereiro, mas desde então caiu para uma baixa anual. O aumento na taxa de hashes está correlacionado com um aumento no preço do ETC na época.

Diferente do ETH, é improvável que ETC implemente o algoritmo proof-of-stake (PoS) e continue sendo um blockchain proof-of-work (PoW) no futuro.

A taxa de hashes do ETC representa 2,5% da taxa de hashes do ETC. Mineradores do algoritmo Ethash provavelmente migraram para o ETH por conta da alta rentabilidade de mineração atual no blockchain.

(Imagem: BitInfoCharts)

A rede ETC possui um total de 609 nós ativos, em que grande parte está sendo executada no cliente OpenEthereum.

Estados Unidos, China e Alemanha são lar para 24%, 13% e 10% desses nós, respectivamente. Mais de 80% desses estão sendo operados em redes em nuvem, como Amazon, Alibaba e Google.

(Imagem: ETCnodes)

O número de transações diárias no blockchain ETC (linha do gráfico abaixo) variou entre 26 mil e 60 mil desde abril de 2018. Transações diárias atingiram uma alta recorde em março de 2018 após ultrapassarem a marca de 100 mil.

Qualquer aumento significativo nas transações diárias deve ser considerado como um indicador positivo. Porém, os aumentos mais recentes em transações diárias não sustentaram aumento e não resultaram em um aumento de preço positivo de vários meses.

O valor médio de transações por dia (preenchimento do gráfico abaixo) aumentaram drasticamente entre janeiro e fevereiro, mas voltaram para sua faixa anterior entre US$ 100 e US$ 600.

O valor médio de transações atingiu um recorde em janeiro de 2018, em quase US$ 6 mil, que correspondeu a uma alta recorde de precificação do token. Taxas de transação estão em US$ 0,0011.

(Imagem: CoinMetrics)

O valor da rede Kalichkin de 30 dias para estimar a proporção de transações diárias no blockchain (NVT) (linha do gráfico abaixo) aumentou para 75 nos últimos dois meses após atingir uma baixa de 25 em abril. Uma NVT abaixo de 40 é consistente com condições de mercado de alta.

Uma tendência de alta de NVT sugere que uma moeda é supervalorada com base em sua atividade econômica e utilidade de rede, que deve ser considerada como um indicador negativo de preço.

Além disso, uma NVT decrescente em um mercado de baixa sugere que o ativo está sobrecomprada ou que a métrica NVT precisa ser reconfigurada para melhor entender as variáveis de mercado.

Endereços diários ativos dispararam drasticamente no fim de 2018 e estiveram próximos de níveis recordes ao longo de 2019 (preenchimento do gráfico abaixo). Em outubro de 2019, endereços diários ativos dispararam para 4,7 milhões antes de caírem para a faixa anterior entre 10 mil e 200 mil.

Esses endereços podem representar um serviço de mixing ou um teste de rede. Desde outubro, endereços diários ativos estiveram altamente voláteis, variando entre 9 mil e 1,1 milhão.

No geral, um aumento sustentável em endereços diários ativos devem ser considerados como um indicador positivo já que indica uso e interesse crescente no blockchain. O contrário sugere um interesse decrescente no blockchain e em seu ecossistema.

(Imagem: CoinMetrics)

Em janeiro de 2019, ETC passou por um ataque de 51% por meio de uma “reorganização profunda do blockchain”.

Mark Nesbitt, engenheiro de segurança da Coinbase, alertou a comunidade do ataque com uma publicação que explicava a questão. Coinbase desativou transferências de ETC na época e, em seguida, as ativou em 11 de março.

Agora, a plataforma de negociação exige 5.676 confirmações para depósitos em ETC, o que demoraria 24 horas em condições normais.

O ataque resultou em gastos duplos para 219.500 ETC, equivalentes a US$ 1,1 milhão, segundo a publicação. Logo após o ataque, um site criado para monitorar o status de qualquer possível ataque de 51% foi lançado pelo ETC Labs. A taxa de hashes continuou relativamente estável desde o incidente.

Geralmente, corretoras são os alvos mais vulneráveis durante um ataque de 51%. Gate.io notificou o roubo de 40 mil ETC (cerca de US$ 200 mil).

Alguns dias depois, US$ 100 mil ETC foram devolvidos à corretora sem explicações. Bitrue anunciou que houve uma tentativa de sacar 13 mil ETC durante o ataque de 51%, mas o saque foi interrompido por medidas preventivas da corretora.

Ethereum Classic Price Analysis 5 Aug 2020 (9)
Ataque de gastos duplos (Imagem: Coinbase/blog)

No início desta semana, a moeda sofreu outro ataque de 51%. Dessa vez, foi sem querer, após um minerador ter usado máquinas antigas que fizeram com que nós parassem de sincronizar.

A reorganização do blockchain durou 3.693 blocos, ou cerca de 15 horas. A decrescente taxa de hashes no ETC continuará a ser suscetível a possíveis ataques de 51% conforme esses ataques se tornam cada vez mais baratos de realizar.

Em relação à atividade de desenvolvimento, o projeto ETC no GitHub é dividido entre “ethereumclassic” e “etclabscore”. ETC Labs Core foi renomeado para ETC Core em dezembro de 2019 para não ser confundido com o ETC Labs.

Os repositórios mais ativos historicamente tiveram poucas contribuições no último ano (gráfico abaixo). Os repositórios Core-GETH e Ethereum Classic Improvement Protocol (ECIP) foram os mais ativos nos últimos meses.

As atualizações mais recentes da rede implementaram alterações já ativas na rede principal da Ethereum. Atlantis (ECIP-1054), Agharta (ECIP-1056) e Phoenix (ECIP-1088) foram implementados com sucesso na rede principal do ETC em setembro de 2019, janeiro de 2020 e maio de 2020, respectivamente.

Todas as três alterações ao protocolo aconteceram por meio de uma bifurcação drástica e aumentaram a interoperabilidade entre os blockchains ETC e ETH.

Grande parte das moedas usam a comunidade de desenvolvedores do GitHub em que arquivos são salvos em pastas chamadas de “repositórios” ou “repos”. Alterações a esses arquivos são registradas com “contribuições”, que salvam um registro das alterações realizadas, além de quando e por quem.

Apesar de contribuições representarem quantidade e não necessariamente qualidade, um grande número de contribuições pode significar maior interesse e atividade por desenvolvedores.

(Imagem: etclabscore/go-ethereum)
(Imagem: etclabscore/core-geth)
(Imagem: ethereumclassic/ECIPs)
(Imagem: etclabscore/ECIPs)

Parte 2

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 11/09/2020 - 9:08