Mercados

Após outubro de terror, Magazine Luiza (MGLU3) brilha e salta mais de 50% em novembro; alta faz sentido?

30 nov 2023, 20:23 - atualizado em 30 nov 2023, 20:23
magazine-luiza-mglu3
Magazine Luiza ainda não vale compra, segundo analistas (Imagem: Divulgação)

Se outubro foi um mês ruim para o Magazine Luiza (MGLU3), novembro trouxe certo alívio para as ações da varejista. A empresa marcou presença no ranking das maiores altas do Ibovespa neste mês, com um salto de mais de 50%.

O movimento segue a boa performance recente do Ibovespa, que avançou 12,5% nos últimos 30 dias, beneficiado por um cenário macroeconômico mais positivo, com recuperação das taxas futuras de juros e menores preocupações em relação ao cenário fiscal brasileiro.

Em meados de novembro, o Magazine Luiza conseguiu em apenas uma sessão um salto de mais de 24% – ou R$ 2,8 bilhões em valor de mercado, segundo o especialista Einar Rivero -, impulsionado por dados positivos envolvendo a economia americana, atual foco dos investidores que querem mapear os próximos passos do Federal Reserve (Fed) com sua atual política monetária.

3T23: luz no fim do túnel?

O Magazine Luiza marcou prejuízo ajustado de R$ 143 milhões no terceiro trimestre do ano, mostrando recuperação de dois dígitos em relação ao mesmo período de 2022.

Considerando o resultado sem ajuste, a empresa reverteu o prejuízo de R$ 190 milhões e lucrou R$ 331 milhões no terceiro trimestre, impulsionada por créditos tributários e despesas não recorrentes no valor líquido de R$ 474,6 milhões.

Os resultados vieram majoritariamente fracos, como analistas esperavam, apesar de aspectos positivos em algumas linhas, o que inclui melhores tendências de margem.

  • S&P está próximo de bater as máximas do ano: O céu é o limite? Veja como aproveitar a alta no Giro do Mercado desta quinta-feira (30), é só clicar aqui e assistir:

No entanto, o anúncio de “incorreções em lançamentos contábeis” acionou um sinal de alerta ao mercado, que ainda monitora os desdobramentos da fraude na varejista rival Americanas (AMER3).

O Magazine divulgou fato relevante sobre o fim das investigações da denúncia anônima recebida em março. A empresa acabou encontrando incorreções em lançamentos contábeis “relacionadas ao período de competência do reconhecimento contábil de bonificações em determinadas transações comerciais”.

A companhia reconheceu receitas de bonificação (que reduziram custos e contas de fornecedores), o que inflou o lucro bruto e o lucro líquido (exceto no primeiro e segundo trimestre de 2023, quando o impacto foi negativo).

Segundo a empresa, não foi constatada má-fé dos envolvidos, por isso o fato foi classificado como erro e não fraude.

Sem grande confiança, por enquanto

As ações do Magazine Luiza seguem dividindo opiniões. O que se tem visto, no entanto, é a cautela predominante de analistas relacionada ao varejista.

A Genial Investimentos, por exemplo, não trocou a recomendação “neutra”. E nem mesmo a XP Investimentos, que, além da classificação também neutra, tem um preço-alvo de R$ 2,50.

Na ocasião das incorreções contábeis, a XP levantou que a descoberta coloca ainda mais incerteza sobre as ações do Magalu.

“Este anúncio pode deixar os investidores mais preocupados com novos riscos potenciais de contabilidade e governança”, explicou.

O Santander, também na época da divulgação dos resultados do terceiro trimestre, avaliou que, independentemente da natureza dos erros contábeis, a rentabilidade do negócio da companhia foi pior que o esperado inicialmente.

O Santander é outra instituição com recomendação neutra, mas apresenta preço-alvo de R$ 4,30.

Frigorífico salta e outros destaques

As ações da Marfrig (MRFG3) figuraram entre as altas do Ibovespa em novembro, após uma disparada de 50,46%.

CSN (CSNA3) e sua controlada CSN Mineração (CMIN3) também figuraram entre os destaques de alta, com valorizações de 46,28% e 43,25%, respectivamente.

Do lado das quedas, apesar de uma lista mais encurtada, ações ligadas a commodities ganharam atenção especial.

Confira as maiores altas do Ibovespa em novembro:

Empresa Ticker Variação em novembro (%)
Magazine Luiza MGLU3 51,88
Marfrig MRFG3 50,46
CSN CSNA3 46,28
CSN Mineração CMIN3 43,25
BRF BRFS3 37,39

Confira as maiores baixas do Ibovespa em novembro:

Empresa Ticker Variação em novembro (%)
3R Petroleum RRRP3 -7,58
Pão de Açúcar PCAR3 -7,46
São Martinho SMTO3 -6,57
Cemig CMIG4 -5,71
PetroReconcavo RECV3 -4,53

Editora-assistente
Formada em Jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atua como editora-assistente do Money Times há pouco mais de três anos cobrindo ações, finanças e investimentos. Antes do Money Times, era colaboradora na revista de Arquitetura, Urbanismo, Construção e Design de interiores Casa & Mercado.
Linkedin
Formada em Jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atua como editora-assistente do Money Times há pouco mais de três anos cobrindo ações, finanças e investimentos. Antes do Money Times, era colaboradora na revista de Arquitetura, Urbanismo, Construção e Design de interiores Casa & Mercado.
Linkedin