Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Como as negociações em mercado de balcão impactam o preço do bitcoin?

05/01/2020 - 11:00
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
baleia
No mundo dos criptoativos, “baleia” é o termo usado para se referir a pessoas ou empresas que detêm grandes quantias de bitcoin (Imagem: Pixabay/Free-Photos)

Baleias movimentam bilhões no mercado de balcão (OTC, na sigla em inglês) todos os dias — transações que influenciam o preço do bitcoin sem nunca aparecer no livro de oferta de uma corretora.

É um contexto que poderia afetar a aprovação futura de um ETF (fundo negociado em bolsa) de bitcoin pela SEC.

Investidores negociam mais de US$ 11 bilhões em criptoativos nas corretoras diariamente.

No entanto, esse número não inclui as negociações de mercado de balcão que dizem diminuir os volumes das corretoras já que grandes investidores preferem realizar suas negociações em bitcoin longe dos olhos curiosos dos livros de oferta das corretoras.

Mercado de balcão de bitcoin é onde investidores com alto poder aquisitivo compram e vendem bitcoin usando corretores de balcão diretamente entre si (Imagem: Pixabay)

O que é o mercado de balcão de bitcoin?

O mercado de balcão de bitcoin é onde os investidores com grandes bolsos, como primeiros investidores, fundos de cripto e indivíduos com alto poder aquisitivo, compram e vendem bitcoin usando corretores de balcão diretamente entre si em vez de fazê-lo em corretoras.

Grandes negociações vão movimentar o preço nesse mercado razoavelmente ilíquido. Além disso, grandes investidores preferem negociar fora das corretoras.

Investidores que entram nessa categoria têm milhões em bitcoin (e outros criptoativos) e vão ser membros da “lista de ricos do bitcoin”, a lista das carteiras de bitcoin com altas posses e reter qualquer coisa entre US$ 1 e 100 milhões em criptoativos.

O tamanho dos recibos de negociações de balcão de bitcoin geralmente começam de US$ 75 mil a 250 mil, mas podem atingir centenas de milhões.

De acordo com a Reuters, Genesis Trading, grande corretora de bitcoin, possui entre US$ 75 milhões e 80 milhões em volume de negociação por dia.

Se você multiplicar esse número pelas dezenas de corretores de balcão de bitcoin que prestam serviço a esse mercado, é fácil perceber como os volumes de balcão poderiam exceder os volumes das corretoras.

Em um relatório feito pelo TABB Group, o autor afirma — baseado em entrevistas com participantes da indústria — que negociação de balcão de criptoativos podem ser de duas a três vezes do tamanho do volume de negociação diário nas corretoras.

balcão
Se você multiplicar o volume de corretores de balcão de bitcoin que prestam serviços, os volumes de balcão poderiam exceder os volumes das corretoras tradicionais (Imagem: Pixabal/Pexels)

Mas como o mercado de balcão afeta o preço do bitcoin?

Dado que as negociações de balcão acontecem longe das corretoras, elas não devem, teoricamente, afetar o preço do bitcoin de jeito nenhum. No entanto, se existe um grande comprador (ou vendedor) fazendo pesquisas no mercado de balcão, a notícia pode (e provavelmente vai) se espalhar e os preços nas corretoras vão ser afetados.

Por exemplo, se um adepto inicial de bitcoin quiser lucrar com suas posses em bitcoin — digamos 10 mil bitcoins (equivalentes a US$ 71 milhões atualmente) — e peça para mais de um corretor de balcão por um lance apropriado, os investidores de bitcoin, ativos tanto no mercado de balcão quanto nas corretoras, acabam liquidando bitcoin em corretoras antecipadamente à grande negociação do vendedor que empurra os preços para baixo.

E eles estariam certos em fazê-lo, já que muitos acreditam que a liquidação de US$ 35 mil bitcoins aos receptores da Mt.Gox entre dezembro de 2017 e fevereiro de 2018 foi um grande contribuinte para a queda no preço do bitcoin.

Portanto, o mercado de balcão é uma ótima fonte de informação para investidores como também um bom ponto de referência para onde o preço do bitcoin está realmente sendo negociado.

Já que as corretoras oferecem serviço principalmente para negociadores varejistas, você poderia dizer que o “verdadeiro” preço do bitcoin é encontrado no mercado de balcão onde grandes investidores realizam negociações de centenas de bilhões.

Os fundos negociados em bolsa (ETFs) de bitcoin são sempre barrados pela Comissão de Valores Mobiliários (SEC) americana (Imagem: Yahoo Finance)

Como o próspero mercado de balcão afeita a aprovação de um ETF de bitcoin?

Um aspecto interessante do mercado de balcão para os criptoativos, que ainda não chegou a um grande ponto de discussão, é como o crescente mercado de balcão de bitcoin poderia afetar a aprovação de um ETF de bitcoin?

A decisão da SEC em não aprovar nenhum ETF de bitcoin até agora é relacionada às preocupações sobre a possível manipulação de mercado, a falta de acordos de compartilhamento de vigilância adequados e a falta de meios tradicionais de detectar e impedir fraude e manipulação.

Apesar da exigência de documentação de KYC (identificação de cliente) e de antilavagem de dinheiro, o mercado de balcão é completamente não regulado e, assim, não é capaz de fornecer qualquer garantia que não haja manipulação de mercado. O mercado de balcão pode criar comportamento antiético de negociações por conta de sua anonimidade relativa e falta de regulamentação.

Por exemplo, um investidor poderia fazer, a vários corretores, uma oferta por uma quantidade significativa de bitcoin sem ter a intenção de realmente vender moedas. No entanto, um grande pesquisa de vendas, como discutido acima, poderia empurrar o preço do bitcoin ao ponto que o investidor pudesse adquirir bitcoin por preços mais baratos nas corretoras, caso os preços fossem afetados em toda parte.

Além disso, não existem acordos de compartilhamento de vigilância no mercado de balcão de bitcoin e as medidas tradicionais de detecção de fraude são difíceis de ser implementadas por conta da natureza desse mercado.

Assim, se a negociação de bitcoin continuar a ir em direção aos mercados de balcão em vez de para corretoras reguladas, o crescente mercado de balcão de bitcoin poderia se tornar um obstáculo para a aprovação do tão aguardado ETF de bitcoin.

computador análise estatística gráfico preço celular mercado
Corretores de mercado de balcão ajudam você a comprar ou vender criptoativos ao preço que desejar (Imagem: Pixabay/Audy0073)

Como negociar bitcoin no mercado de balcão

Por mais atraente que pareça a negociação em mercados de balcão de cripto, infelizmente é a única opção para os capitalizados, mas é uma opção que está crescendo.

Se você tiver o dinheiro (US$ 50 mil é considerado mínimo para entrar), você vai precisar cumprir com as regulações jurisdicionais de “antilavagem de dinheiro” e “KYC”, o que significa enviar papelada que prova sua identidade.

Esses procedimentos servem para provar à corretora que os fundos de seus clientes não são de atividades ilícitas. Investidores precisam entender que, na maioria das jurisdições, corretoras e várias outras empresas financeiras são obrigadas por lei a relatar “atividades suspeitas” com a autoridade relevante caso tenham algum tipo de preocupação sobre a fonte dos fundos de um cliente.

Após a aprovação da papelada, o investidor pode entrar em contato com o corretor e pedir informações sobre comprador e vendedores ativos no mercado de balcão ou informar ao corretor qual negociação querem realizar.

Por exemplo, um investidor pode dizer ao corretor que quer vender 100 bitcoins e está buscando por um preço de aproximadamente US$ 6.500. Então, o corretor vai entrar em contato com seus clientes, que possuem comprador ativos de bitcoin, e irá informá-los que existe uma oferta de 100 bitcoins a US$ 6.500 no mercado.

Quando o corretor encontrar um comprador que aceite a proposta ou, por exemplo, dois compradores que desejem receber 50 bitcoins cada, é provável que haja um pouco de oscilação no preço até todas as partes concordarem em um preço e a negociação for executada.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 19/06/2020 - 18:16