Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Como “baleias” influenciam o preço do bitcoin?

28/03/2020 - 13:00
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
O termo “baleia” se refere a um investidor que possui “grandes bolsos” e que conseguem mover o mercado ao comprar e vender grandes quantias. Baleias de cripto podem fornecer sinais de preço importantes para alertar investidores (Imagem: Pixabay/steveofstonehenge)

O termo “baleia” é proveniente dos mercados tradicionais e foi usado na mídia convencional para descrever o ex-negociador da JP Morgan, Bruno Iksil, nomeado “London Whale”, que gerou uma perda de US$ 6,2 bilhões ao negociar derivativos de crédito para a Diretoria de Investimentos (CIO) do banco.

Sob a ótica da capitalização de mercado da indústria cripto, que está em torno de US$ 182 bilhões, alguns investidores bem endinheirados têm a capacidade de afetar drasticamente o preço do bitcoin e outros criptoativos.

Além disso, é essencial estar atento às baleias do bitcoin e como podem impactar o mercado de criptoativos.

Quem são as “Baleias de Bitcoin”?

Geralmente, baleias de bitcoin são adotantes iniciais de criptoativos que possuem milhões em criptoativos.

Abrão Filho aumenta 135% sua receita em 2021

Baleias também podem ou ser endinheirados que amam risco e que descobriram o mercado criptoativos como um novo cenário para se fazer dinheiro, ou grandes investidores institucionais, como fundos de hedge e mesas proprietárias de negociação, que estão fazendo grandes apostas sobre para onde o mercado irá.

Caso baleias comecem a vender grandes porções de suas posses de um determinado criptoativo, o mercado terá um caminho conturbado, pois o preço do criptoativo caíra muito rápido (Imagem: Freepik/macrovector)

É importante destacar que existem cerca de 75 entidades que detêm 10 mil ou mais em bitcoin, ou seja, dentre as 23 milhões de entidades (pessoas e empresas), existem algumas baleias no grande oceano de peixes pequenos.

Também significa que, se algumas dessas baleias começarem a vender grandes porções de suas posses em bitcoin, o mercado terá um caminho conturbado.

Um grande exemplo é a falência da corretora Mt. Gox, que era administrada por Nobuaki Kobayashi. Apesar de ele não possuir grandes quantias de bitcoin pelo caminho tradicional, Kobayashi é, sem dúvidas, uma baleia.

Entre dezembro de 2017 e fevereiro de 2018, ele vendeu 36 mil BTC (hoje equivalente a R$ 1,2 bilhão) em cinco transações diferentes.

Perceba, no gráfico abaixo, que essas transações se correlacionaram diretamente com as quedas no preço do bitcoin na época (asteriscos brancos).

Transações de baleias se correlacionaram diretamente com as quedas no preço do bitcoin (Imagem: TradingView)

Como baleias negociam bitcoin?

Inicialmente, baleias de bitcoin negociavam nas maiores e mais líquidas corretoras de bitcoin, e algumas ainda o fazem.

Porém, conforme o mercado cripto amadureceu, cada vez mais corretoras de mercado de balcão (OTC) começaram a fornecer serviços para grandes investidores em bitcoin, que estão negociando criptoativos em mercados de balcão para preservarem sua anonimidade e conseguirem acessar mais liquidez do que a fornecida por corretoras.

Agentes de OTC, como Cumberland e Circle, têm uma quantia mínima de US$ 100 milhões e US$ 250 milhões para negociações em cripto, ou seja, grandes detentores de bitcoin podem negociar entre si sem que as negociações passem pelas corretoras.

Em alguns casos, esses agentes fornecerão liquidez de diferentes corretoras para fechar negociações e reduzir o impacto de uma grande transação de compra ou venda no mercado geral.

baleia
Agentes de mercado de balcão (OTC) fornecem liquidez de diferentes corretoras para fechar negociações e reduzir o impacto de uma grande transação de compra ou venda no mercado geral, evitando grandes quedas no preço de ativos (Imagem: Pixabay/jogi031)

Baleias no mercado de altcoins

O impacto de baleias é mais evidente no mercado de altcoins (alternativas ao bitcoin).

Para criptoativos com capitalizações de mercados de menos de US$ 100 milhões, o mercado vai se mover significativamente se um grande detentor decidir vender parte de seu portfólio ou se um grande comprador entrar.

Assim, é importante estar consciente da distribuição de riqueza de altcoins menores antes de investir nelas e se manter atento aos livros de oferta para ver se existe alguma baleia.

Como identificar baleias em ação?

Embora “observar baleias” se tornou difícil por conta do aumento de agentes de OTC que, agora, lidam com um volume significativo de negociações em cripto, observá-las não é uma má ideia se você tem quantias significativas investidas em criptoativos conforme esses investidores têm o potencial de afetar o valor de seu portfólio.

Para identificar baleias, a primeira coisa a se fazer é monitorar endereços de carteira com grandes quantias — além de carteiras de corretoras — para se manter alerta a quaisquer mudanças significativas nos criptoativos.

Os endereços de bitcoin mais ricos – 27/03/2020 (Imagem: Bitinfocharts.com)

Quando o grande investidor Roger Ver enviou 25 mil bitcoin (hoje equivalentes a R$ 842 milhões) à Bitfinex em 12 de novembro de 2017, muitos investidores ficaram assustados, com receio de que ele estava prestes a vender seus bitcoins retidos.

Embora US$ 166 milhões não pareça muito em comparação às grandes ações negociadas, em um mercado com capitalização de US$ 100 bilhões (em 2017), vender US$ 166 milhões de bitcoins de uma só vez faria com que o preço caísse muito.

Antecipadamente, o mercado corrigiu aquele dia em antecipação dessa possível negociação de venda.

Uma outra forma de encontrar baleias é monitorando livros de oferta. Se, de repente, você observar ofertas de compra maiores do que o normal, pode ter uma baleia por aí. O mesmo, é claro, serve para ofertas de venda maiores do que o normal.

baleia
Um bom sinal para “observar baleias” é monitorando livros de oferta, quando houver ofertas de compra  ou venda maiores do que o normal (Imagem: Pixabay/Free-Photos)

Porém, quando se fala das conhecidas “buy and sell walls” (“barreiras de compra e venda”), é importante destacar que também podem ser uma forma de manipulação de mercado se os investidores cancelarem as ordens logo após terem dado ao mercado a impressão de que havia um grande comprador ou vendedor em cena.

Você também pode detectar baleias se houver uma mudança na capitalização de mercado em um criptoativo específico que não está ligado a qualquer grande anúncio de um projeto ou notícias sobre movimentação de mercado.

O mesmo vale para um aumento aparentemente inexplicável na volatilidade ou picos de preço de um criptoativo específico. Isso poderia significar que uma baleia entrou para esse mercado.

Embora alguns membros da comunidade cripto gostam de demonizar baleias como os culpados por grandes quedas de preço e manipulação de mercado, a realidade é que há baleias que podem influenciar o preço em todos os mercados financeiros. A “Baleia de Londres” nos mostrou isso em 2012.

Conforme mais investidores institucionais entram para o mercado de criptoativos, o número de baleias aumenta, assim como maiores ordens e volumes de negociação se tornarão comuns conforme a classe de ativos amadurece para acomodar os novos “players”.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 27/03/2020 - 16:56

Pela Web