Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Fed olha para inflação, mas deveria se preocupar com a recessão

06/07/2022 - 16:45
Jerome Powell Federal Reserve2
Mercado financeiro entende que Fed pode estar atrasado e preocupação não deveria ser inflação, e sim risco de recessão (Imagem: Kevin Dietsch/Pool via Reuters/File Photo)

O Federal Reserve está determinado em controlar a inflação. Na ata divulgada nesta quarta-feira (06), o banco central americano indicou que pode aumentar os juros em 0,5 ou 0,75 pontos-base na próxima reunião, prevista para o fim deste mês.

“Estamos atentos a riscos de alta na inflação e seremos ágeis em responder aos dados”, diz o documento.

O tom da ata foi de hawkish que, no jargão econômico, é usado para indicar que o aperto monetário continua firme e forte. O que não é uma surpresa. “Basta lembrar que o Fed tinha 50 pontos-base como cenário para a decisão passada [em junho] e, de última hora, acelerou para 75 pontos-base. E, de fato, é um documento com tom duro: eles reconheceram a possibilidade de que uma postura ainda mais restritiva pode ser apropriada”, afirma Marco Caruso, economista-chefe do Banco Original

Para Jansen Costa, sócio-fundador da Fatorial Investimentos, a postura também foi mais do mesmo. “Obviamente, se a inflação não desacelerar, o banco central americano vai precisar subir mais os juros. Então, o anúncio não foi nada que o mercado já não estava esperando.”

Já Maurício Valadares, gestor da AF Invest, a ata chancela uma alta de 75 pontos-base. “O Fed deixou claro que vai privilegiar o combate à inflação ao invés de preocupações com crescimento neste momento. Essa vai ser a premissa necessária para fazer com que o mercado de trabalho se mantenha sólido de forma sustentável.”

“Matar a inflação, antes que recessão chegue”

No entanto, o mercado entende que o Fed pode estar atrasado: a preocupação não deveria ser a inflação, e sim com o risco de recessão. O documento, aliás, não faz nenhuma menção à palavra “recessão”. Seria o temor do mercado só um fantasma?

Marcelo Oliveira, CFA e fundador da Quantzed, destaca que o banco central está olhando para o retrovisor e que o cenário já mudou. “O recuo das commodities, influenciado pelo medo da recessão, deve tirar a pressão da inflação alta. Por isso, estamos vendo o dólar se fortalecer e as commodities perdendo valor, além do título americano de 10 anos ficando mais baixo”, disse.

Na ata, o Fed aponta suas preocupações com o desenrolar da guerra na Ucrânia e seus efeitos na atividade econômica global, assim como os lockdowns na China, que podem intensificar problemas na cadeia de produção. “O problema todo é que é uma ata que reflete o passado. O mercado precifica uma recessão agora. O que vemos é que o Fed já tem espaço para ser mais frouxo no aperto monetário”, afirma Marcelo, que defende que uma alta de 0,5 pb é mais apropriada.

Agora, o que o mercado quer saber é como o banco central americano irá evitar um cenário de recessão nos Estados Unidos nos próximos meses. “A grande tônica para o Fed neste momento é tentar matar essa inflação, antes que uma recessão chegue”, afirma Andrey Nousi, CFA e fundador da Nousi Finance. “Porque, caso contrário, eles ficam sem nenhuma arma para combater uma recessão, que seria cortar juros e voltar a comprar títulos públicos e hipotecários.”

A próxima próxima reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) está marcada para os dias 26 e 27 de julho.

Siga o Money Times no Linkedin!

Fique bem informado, poste e interaja com o Money Times no Linkedin. Além de ficar por dentro das principais notícias, você tem conteúdo exclusivo sobre carreira, participa de enquetes, entende sobre o mercado e como estar à frente no seu trabalho. Mas não é só isso: você abre novas conexões e encontra pessoas que são uma boa adição ao seu network. Não importa sua profissão, siga o Money Times no Linkedin!

Última atualização por Juliana Américo - 06/07/2022 - 17:20

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?
Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto