Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Fiocruz adia previsão de chegada ao Brasil de insumos para vacina da AstraZeneca

08/01/2021 - 21:57
Vacinas Oxford/AstraZeneca
O imunizante é a principal aposta do governo federal para a vacinação dos brasileiros a fim de conter a pandemia do novo coronavírus no país (Imagem: Reuters/Amanda Perobelli)

A chegada ao Brasil do insumo farmacêutico ativo (IFA) necessário para a produção pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) da vacina contra Covid-19 desenvolvida pela AstraZeneca, que estava prevista inicialmente para sábado, agora deve ocorrer até o final do mês, informou nesta sexta-feira a instituição.

De acordo com a Fiocruz, o prazo foi estendido por precaução, mediante trâmites burocráticos para a importação proveniente da China.

Segundo uma fonte com conhecimento da situação, o IFA já está produzido e pronto para ser enviado ao Brasil, mas ainda falta uma licença de exportação do país asiático, onde fica a unidade da AstraZeneca encarregada da produção.

Ao mesmo tempo, a Fiocruz está negociando a importação de um número adicional de doses prontas do imunizante, além dos 2 milhões já negociados com o Instituto Serum, da Índia. Segundo a Fiocruz, caso seja possível adquirir mais doses, elas provavelmente também virão da Índia.

A fundação apresentou nesta sexta-feira pedido à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para autorização de uso emergencial da vacina a ser importada, que tem previsão de chegada ao Brasil para meados deste mês.

O órgão regulador já havia autorizado a importação das doses, que poderão ser usadas para iniciar a imunização nos brasileiros enquanto a Fiocruz inicia a produção no país da mesma vacina.

O imunizante é a principal aposta do governo federal para a vacinação dos brasileiros a fim de conter a pandemia do novo coronavírus no país. Até o fim do ano, o governo federal espera contar com mais de 200 milhões de doses da vacina da Fiocruz.

Além da vacina da Fiocruz, o Ministério da Saúde firmou contrato com o Instituto Butantan para a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac, vacina desenvolvida pela chinesa Sinovac e produzida no Brasil pelo instituto paulista. O acordo prevê ainda a compra de mais 56 milhões de doses em um segundo momento.

Assim como a Fiocruz, o Butantan apresentou nesta sexta pedido à Anvisa para uso emergencial da vacina.

A expectativa do governo federal é iniciar a imunização contra a Covid-19 no país em 20 de janeiro, no melhor cenário, dependendo da aprovação regulatória da Anvisa e da disponibilidade de imunizantes.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Lucas Simões - 08/01/2021 - 21:57