ImóvelTimes

Fundos imobiliários: Maior patrimônio líquido em 12 meses, cotas em leilão e operação para levantar bolada

13 abr 2023, 11:39 - atualizado em 13 abr 2023, 11:39
Fundos imobiliários
Índice de fundos imobiliários opera em alta, enquanto FII de papel tomba e entra em leilão; KNCR11 é o mais negociado de março  (Imagem: Diana Grytsku/Freepik)

A indústria de fundos imobiliários chegou bem perto dos 2,10 milhões de investidores em março, segundo dados da B3, com praticamente todos os investidores sendo pessoas físicas.

O relatório mensal elaborado pela Bolsa brasileira aponta que o patrimônio líquido de FIIs listados chegou a R$ 203 bilhões em março, sendo o maior volume em 12 meses. No entanto, o valor de mercado foi o menor desde agosto do ano passado, somando R$ 141 bilhões.

Já o volume negociado no mês passado, de R$ 4,6 bilhões, ficou acima do observado em fevereiro, quando somou R$ 3,4 bilhões. Além de menos dias úteis, o segundo mês do ano foi marcado pelo feriado de Carnaval, quando a B3 ficou fechada por dois dias e meio.

Ainda em relação ao volume negociado em março, a maior participação foi de pessoas físicas e/ou individuais, com uma fatia de 67,9%.

Contudo, entre os fundos imobiliários listados na Bolsa, o mais negociado no mês anterior foi o Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11), com participação de 4%. Com isso, o FII é também o segundo mais negociado dos últimos 12 meses.

FII emite cotas

O fundo Riza Arctium (RZAT11) anunciou que fará a sua sétima emissão de cotas, na qual pretende captar, inicialmente, R$ 121 milhões.

O fundo imobiliário, administrado pelo BTG Pactual, diz que o valor mínimo da oferta é de R$ 20 milhões, podendo ser aumentado em até 20%. A operação é destinada a investidores profissionais e pessoas físicas.

Em comunicado, o RZAT11 diz que os recursos líquidos da operação serão destinados para a aquisição de ativos compatíveis com a sua política de investimentos.

Índice de fundos imobiliários

O índice referência do setor (Ifix) da B3 opera em alta nesta quinta-feira (13) em pregão que segue positivo para a indústria de FIIs. Os ativos domésticos têm movimentos laterais, com o dólar em queda, a R$ 4,90, renovando as mínimas em 10 meses, enquanto o índice Ibovespa tem leve queda, perto dos 107 mil pontos.

Com isso, por volta das 11h40 (de Brasília), o Ifix tinha ligeira alta de 0,01%, aos 2.770 pontos, ainda nos maiores níveis em três semanas.



Entre os fundos imobiliários listados no Ifix, o Hedge Brasil Shopping (HGBS11) puxava a alta, de 1,8%. Em contrapartida, o CRI Integral Brei (IBCR11), que as cotas chegaram a entrar em leilão, tinha o maior tombo, de 6,4%.

Repórter
Jornalista mineira com experiência em TV, rádio, agência de notícias e sites na cobertura de mercado financeiro, empresas, agronegócio e entretenimento. Antes do Money Times, passou pelo Valor Econômico, Agência CMA, Canal Rural, RIT TV e outros.
Linkedin
Jornalista mineira com experiência em TV, rádio, agência de notícias e sites na cobertura de mercado financeiro, empresas, agronegócio e entretenimento. Antes do Money Times, passou pelo Valor Econômico, Agência CMA, Canal Rural, RIT TV e outros.
Linkedin