Salário Mínimo

Gastos com alimentação comprometem mais de 60% do salário médio do brasileiro

01 ago 2022, 6:58 - atualizado em 29 jul 2022, 23:36
Cesta Basica
Custo de alimentação do trabalhador supera 60% do salário (Imagem: Antônio Cruz/Br)

Pesquisa feita pela Ticket revelou que consumir uma refeição completa, com prato de comida, bebida, sobremesa e café, fora de casa nos dias úteis pode comprometer 35% do salário médio do trabalhador brasileiro.  Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o salário médio é de R$ 2.548.

De acordo com a pesquisa, ao desembolsar o valor de R$ 40,64, preço médio da refeição completa, durante 22 dias úteis ao mês, o consumidor terá um gasto total de R$ 894,08.

A pesquisa levou em conta o valor médio da cesta básica, que em junho, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), era de R$ 652,35. Sendo assim, a soma da alimentação dentro e fora do lar é de R$ 1.546,43, o que corresponde a 60.6% do valor dos rendimentos mensais dos brasileiros.

Na análise por capitais, considerando a média salarial nacional, os gastos com alimentação comprometem em maior proporção o salário dos trabalhadores de Florianópolis (SC), com 70.6% (considerando o valor da cesta básica na cidade, a R$ 772,07, e o custo de se alimentar fora de casa por 22 dias úteis, por R$ 1028,50).

Já Fortaleza (CE) é a capital em que as pessoas comprometem uma fatia menor do salário (50.2%), uma vez que a cesta básica custa, em média, R$ 628,46 na cidade e o custo para a alimentação fora é de R$ 652,30 ao mês.

Money Times é Top 9 em Investimentos!

Obrigado pelo seu voto! Graças a você, o Money Times está entre as 9 maiores iniciativas brasileiras no Universo Digital em Investimentos. Se você conta com o conteúdo do site para cuidar bem do seu dinheiro, continue votando e ajude o Money Times a se tornar o melhor portal de notícias de investimentos do Brasil. Contamos com o seu apoio. CLIQUE AQUI E VOTE!

Editor
Formado em jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo, é editor de política, macroeconomia e Brasil do Money Times. Com passagens pelas redações de SBT, Record, UOL e CNN Brasil, atuou como produtor, repórter e editor.
Linkedin
Formado em jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo, é editor de política, macroeconomia e Brasil do Money Times. Com passagens pelas redações de SBT, Record, UOL e CNN Brasil, atuou como produtor, repórter e editor.
Linkedin