BusinessTimes

Gol (GOLL4) encerra 4T23 com patrimônio líquido negativo de R$ 23,35 bilhões

29 jan 2024, 10:32 - atualizado em 29 jan 2024, 10:32
Gol GOLL4 recuperação judicial Estados Unidos EUA Chapter 11 patrimônio líquido negativo R$ 23 bilhões 4T23 quarto trimestre 2023 números não auditados preliminares
Dívida estável: Endividamento total da Gol (GOLL4) apresenta leve queda entre setembro e dezembro (Imagem: Marcio Juliboni/ Money Times)

A Gol (GOLL4) encerrou o quarto trimestre de 2023 (4T23) com patrimônio líquido negativo de R$ 23,35 bilhões, segundo informações preliminares não-auditadas, apresentadas pela companhia no âmbito da recuperação judicial protocolada nos Estados Unidos na última quinta-feira (25).

A cifra marca um crescimento de 6% sobre o patrimônio líquido negativo de R$ 22 bilhões do terceiro trimestre. Na mesma comparação, o total de ativos da companhia recuou 2,1%, de R$ 17,2 bilhões para R4 16,8 bilhões.

A queda foi puxada pelos ativos circulantes, que representam os direitos a receber no curto prazo. Essa linha recuou 14,83%, de R$ 3,5 bilhões para R$ 3 bilhões.

Já em relação ao patrimônio líquido, o endividamento total (empréstimos e financiamentos) apresentou leve queda de 0,25%, de R$ 20,227 bilhões para R$ 20,176 bilhões entre setembro e dezembro.

Segundo o informa preliminar da Gol, o passivo circulante, que representa as obrigações de curto prazo, recuou 9,4%, para R$ 10 bilhões. Em contrapartida, o passivo não circulante, que reflete os compromissos de longo prazo (superiores a 12 meses) disparou 25,8%, de R$ 7,952 bilhões também para R$ 10 bilhões.

Gol (GOLL4) pede recuperação judicial nos EUA e crédito de US$ 950 milhões

Gol (GOLL4) protocolou, na quinta-feira (25), um pedido voluntário de recuperação judicial nos Estados Unidos, com a intenção de se proteger por meio do Chapter 11. O pedido foi apresentado ao Tribunal de Falências para o Distrito Sul de Nova York.



No fato relevante divulgado no dia, a empresa aérea afirma que a reestruturação de suas dívidas conta com um compromisso de financiamento de US$ 950 milhões, na modalidade “debtor in possession” (DIP). A principal vantagem dessa modalidade de crédito é permitir que a empresa receba dinheiro novo, sem oferecer garantias em contrapartida. Com isso, pode preservar sua estrutura e manter as operações.

O compromisso de financiamento foi firmado por “membros do Grupo Ad Hoc de Bondholders da Abra e outros Bondholders da Abra”, segundo o comunicado. A Abra é a holding que controla a Gol. “A companhia buscará acesso a esse financiamento como parte da audiência do Primeiro Dia com o Tribunal dos EUA, prevista para os próximos dias”, afirma a Gol.

Veja os números preliminares não-auditados do 4T23, divulgados pela Gol (GOLL4) nesta segunda-feira (29):

Diretor de Redação do Money Times
Ingressou no Money Times em 2019, tendo atuado como repórter e editor. Formado em Jornalismo pela ECA/USP em 2000, é mestre em Ciência Política pela FLCH/USP e possui MBA em Derivativos e Informações Econômicas pela FIA/BM&F Bovespa. Iniciou na grande imprensa em 2000, como repórter no InvestNews da Gazeta Mercantil. Desde então, escreveu sobre economia, política, negócios e finanças para a Agência Estado, Exame.com, IstoÉ Dinheiro e O Financista, entre outros.
Linkedin
Ingressou no Money Times em 2019, tendo atuado como repórter e editor. Formado em Jornalismo pela ECA/USP em 2000, é mestre em Ciência Política pela FLCH/USP e possui MBA em Derivativos e Informações Econômicas pela FIA/BM&F Bovespa. Iniciou na grande imprensa em 2000, como repórter no InvestNews da Gazeta Mercantil. Desde então, escreveu sobre economia, política, negócios e finanças para a Agência Estado, Exame.com, IstoÉ Dinheiro e O Financista, entre outros.
Linkedin