BusinessTimes

Ibovespa x small caps: XP vê ‘duas Bolsas em uma’ e aponta as ações muito baratas

01 abr 2022, 11:29 - atualizado em 01 abr 2022, 11:29
Homem saltando da baixa para a alta no preço das ações, representando lucros
Corretora listou as ações que caíram mais de 20% nos últimos 12 meses e têm recomendação de compra. (Imagem: Pixabay)

A XP Investimentos disse nesta quinta-feira (31) ver duas Bolsas em uma só, por conta do desempenho discrepante entre Ibovespa e small caps.

Enquanto os setores de commodities e bancos subiram mais de 20,1% no acumulado do ano, os setores restantes subiram apenas 6,7%, destacou. As small caps tem retorno de 6,7% até agora.

A corretora vê o Ibovespa beneficiado pela rotação global de ações de crescimento para ações de valor, forte exposição do Brasil a commodities e bancos, “valuation ainda muito atrativos”, fluxos de outros mercados emergentes para o Brasil e ciclo de alta de juros.

A XP lembra que a “grande discrepância” entre os papéis começou a diminuir recentemente. “Um sinal claro de um pico de inflação no Brasil e taxas de juros mais baixas à frente são os principais catalisadores para que essa rotação continue a acontecer”.

A corretora, depois de elevar a projeção do Ibovespa para 130 mil pontos, listou as ações que caíram mais de 20% nos últimos 12 meses, têm o preço/lucro (P/L) abaixo da média histórica de cinco anos e crescimento positivo do LPA (Lucro por Ação) entre 2021 e 2023 [veja abaixo].

Apesar de listar os papéis baratos e com recomendação de compra, a XP diz que ainda é cedo para fazer uma migração total para os players domésticos, por conta da baixa expectativa de crescimento do PIB, além de inflação e taxas de juros altas.

Ticker Empresa
NTCO3 Natura
LREN3 Renner
CYRE3 Cyrela
LWSA3 Locaweb
EZTC3 EZTec
ALPA4 Alpargatas
YDUQ3 Yduqs
PNVL3 Panvel
TRIS3 Trisul
TEND3 Tenda
ANIM3 Ânima
LAVV3 Lavvi
GMAT3 Grupo Mateus

Disclaimer

Money Times publica matérias de cunho jornalístico, que visam a democratização da informação. Nossas publicações devem ser compreendidas como boletins anunciadores e divulgadores, e não como uma recomendação de investimento.

Editor
Jornalista formado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), com MBA em finanças pela Estácio. Colaborou com revista Veja, Estadão, entre outros.
Linkedin
Jornalista formado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), com MBA em finanças pela Estácio. Colaborou com revista Veja, Estadão, entre outros.
Linkedin