Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

O equilíbrio de poder entre mineradores, desenvolvedores e usuários de bitcoin

05/01/2020 - 15:00
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
tecnologia balança minerador bitcoin usuário desenvolvedor
Qual é o elemento mais principal do ecossistema Bitcoin: minerador, desenvolvedor ou usuário final? (Imagem: Money Times)

Se você acha que a rede Bitcoin está à mercê de seus mineradores, você errou.

Se você acha que está à mercê de seus desenvolvedores, você também errou.

Esses tipos de afirmações polêmicas que acusam um grupo de ter total autoridade sobre o bitcoin são muito comuns em conversas casuais e fontes de notícias bem-estabelecidas e parecidas.

Quando focamos nas influências excessivas de uma única facção da comunidade Bitcoin, perdemos o panorama geral: o de uma comunidade onde pesos e contrapesos incentivam esses grupos a se unirem em vez de se separarem.

Aqui está uma análise das relações mútuas reforçadas entre mineradores, desenvolvedores e usuários na comunidade Bitcoin.

Iremos considerar três aspectos: 1) qual função o grupo serve à comunidade, 2) que ameaça existente esse grupo pode apresentar à ampla comunidade e 3) que incentivos funcionam para mitigar essa ameaça.

Mineradores usam seu poder computacional para acrescentar novos blocos ao blockchain (Imagem: Money Times)

1. Mineradores

Os incansáveis construtores do blockchain são os mineradores: pessoas ou grupos que usam seu poder computacional para acrescentar novos blocos ao blockchain, verificando novas transações e trazendo novas moedas à circulação no processo.

Quando Satoshi Nakamoto apresentou a ideia do bitcoin pela primeira vez, apenas ele e outras pessoas mineravam bitcoin. Agora, existem inúmeros computadores dedicados a essa tarefa.

A função dos mineradores: criar e assegurar o blockchain

A mineração de bitcoin é o que torna possível o blockchain ser descentralizado e seguro.

Ao verificar transações e evitar que a rede seja invadida, os mineradores fazem o risco de certificar que o bitcoin consigam funcionar como uma reserva viável de valor de alguma forma.

Se as pessoas conseguissem gastar, de forma ilícita, a mesma quantia mais de uma vez, então bitcoin não seria viável como uma criptomoeda. Porém, a confirmação majoritária das transações pelos mineradores previne isso de acontecer.

bitcoin ethereum ripple litecoin altcoin
A cada dia, surgem novos projetos de criptomoedas, protocolos e blockchains diferentes ao Bitcoin: como manter o interesse no projeto original? (Imagem: Pixabay/vjkombajn)

A ameaça dos mineradores: minerar uma criptomoeda diferente

O problema é que agora existem inúmeras criptomoedas em circulação e os mineradores podem escolher minerar virtualmente qualquer uma delas.

Se uma quantidade suficiente deles decidir sair do Bitcoin e começar a minerar algo diferente — se outro blockchain fosse mais rentável para mineração, por exemplo —, bitcoin estaria extremamente comprometido: poderia demorar muito tempo para que as transações fossem acrescentadas e validadas ao blockchain, o que tornaria a impraticável o uso do bitcoin.

Na prática, algumas criptomoedas (como Ethereum) têm diferentes tipos de algoritmos de hash e, portanto, são difíceis para mineradores que usam ASICs (circuitos integrados de aplicação específica) iniciem, de forma espontânea, a mineração de outra criptomoeda em vez do bitcoin.

Isso é porque ASICs são construídos para operar apenas em um algoritmo de hash específico para serem mais eficientes o possível.

No entanto, outras criptomoedas — principalmente Bitcoin Cash — usam o mesmo algoritmo de hash que, historicamente, levaram os mineradores de bitcoin a oscilar entre a mineração de Bitcoin e Bitcoin Cash dependendo de qual fosse mais rentável em um momento específico.

Esse é um dos motivos pelo qual os críticos do Bitcoin Cash são tão negativos sobre essa nova criptomoeda: distrai a atenção e retira os recursos do bitcoin.

usuários
A ameaça de evasão de minerados para uma rede diferente pode ser reduzida se houver muitos usuários usando a rede (Imagem: Pixabay/krzysztof-m)

Como essa ameaça é mitigada: uma grande quantidade de usuários

O que evita que os mineradores permaneçam em vez de saírem e apresentarem uma ameaça existencial ao Bitcoin? Em grande parte, os usuários.

Mineradores seguem o lucro, que é uma função de quatro fatores:

1. a recompensa por minerar um novo bloco;

2. a dificuldade em ganhar a recompensa;

3. o custo de executar as fazendas de mineração;

4. o volume de transações no blockchain.

A longo prazo, o volume de transações pode pavimentar o caminho aqui: já que mais pessoas estarão realizando transações ativamente com uma criptomoeda, seu valor (e seu preço) vai aumentar, ou seja, tanto as taxas de mineração quanto as recompensas por bloco se tornarão mais valiosas.

Bitcoin tem um grande número de transações que precisam ser processadas toda hora. Para continuar a comparação entre Bitcoin e Bitcoin Cash, observe o gráfico de contraste de seus volumes de transação:

Volumes de transação do Bitcoin e do Bitcoin Cash (Gráfico fornecido pela Brave New Coin)

O volume de transações do bitcoin se dá pela maior ordem de magnitude do que o Bitcoin Cash, e com todas essas transações a serem processadas, não existe motivo para todos os mineradores abandonarem o barco a longo prazo.

Já para menores criptomoedas, é possível que o interesse acabe e os mineradores abandonem o barco mas, dado o fato de que o bitcoin ainda tem cerca de 50% da dominância total do mercado, é possível afirmar que, pelo menos durante o futuro próximo, tenha um grande número de usuários e transações que vai fazer com que os mineradores continuem comprometidos em assegurar o blockchain.

Desenvolvedores buscam melhor a eficácia e a funcionalidade da rede como um todo (Imagem: Money Times)

2. Desenvolvedores

Enquanto os mineradores continuam a propagar e assegurar o blockchain, desenvolvedores trabalham para melhorar a eficácia e funcionalidade dos protocolos de Bitcoin em todas as dimensões.

O status do Bitcoin como um projeto de código aberto dá, a uma grande variedade de pessoas, o poder de contribuição a esse ecossistema em desenvolvimento.

A função dos desenvolvedores: melhorar a funcionalidade do Bitcoin

Você não ouve falar tanto dos desenvolvedores da mesma forma que os desenvolvedores da Ethereum porque eles não estão trabalhando em projetos de dapps diversos e incomuns.

Em vez disso, estão trabalhando em uma coisa: melhorar a funcionalidade básica do Bitcoin como um protocolo de valor de armazenamento e transferência.

Os desenvolvedores de Bitcoin focam em melhorar cada aspecto: sua segurança, sua velocidade de transação, sua escalabilidade, etc.

Por exemplo, um dos projetos de desenvolvimento de mais alto nível do Bitcoin, a Lightning Network, almeja desenvolver uma rede para a realização de várias transações fora do blockchain do Bitcoin.

Projetos com esse mantém a constante melhoria do Bitcoin para melhor servir (e convidar mais pessoas para) seu ecossistema.

desenvolver criador programador programa código computador
Desenvolvedores podem ter o desejo de criar seus próprios projetos e abandonar o projeto principal (Imagem: Pixabay/200degrees)

A ameaça dos desenvolvedores: começar projetos “off-chain”

Ethereum não é um bicho diferente do Bitcoin: para algumas pessoas, também é, simbolicamente, a maior ameaça ao ecossistema do Bitcoin. Essa ameaça é de os desenvolvedores decidirem criar seu próprio blockchain para sustentar seu novo projeto em vez de construir esse projeto no Bitcoin.

Por que Vitalik Buterin e outras mentes por trás da Ethereum decidiram criar seu próprio blockchain em vez de continuar no blockchain do Bitcoin?

Existem várias possíveis respostas, mas uma resposta cínica em particular ainda gera muita preocupação a respeito do ecossistema de Bitcoin: é mais rentável lançar o projeto como seu próprio criptoativo do que construí-lo no Bitcoin.

Garrick Hileman, pesquisador da Universidade de Cambridge, disse o seguinte sobre os desenvolvedores que migram para longe do Bitcoin:

“Pessoas muito talentosas que estão entrando nesse universo agora talvez tenham mais um incentivo de tentar criar seus próprios criptoativos ou novos sistemas baseados em blockchain em vez de desenvolver algo que já existe porque vimos [em projetos como a Ethereum] que você pode criar algo novo e acumular grande valor se você tiver base para isso.”

Um projeto de cripto completamente novo pode ser difícil de ser criado do zero, mas, se tiver tração, seu desenvolver pode obter “grande valor”:

ether inicialmente custava cerca de US$ 3 e agora custa cerca de US$ 126 (42 vezes mais do que seu valor inicial);

litecoin inicialmente custava cerca de US$ 4 e agora custa cerca de US$ 41 (10 vezes mais do que seu valor inicial);

ripple inicialmente custava cerca de US$ 0,0046 e agora custa cerca de US$ 0,18 (39 vezes mais do que seu valor inicial).

Quando você constrói algo em um blockchain existente, cujo valor já foi precificado, pode ser difícil capturar o valor astronômico que atrai tantas pessoas para esse universo.

Por outro lado, se você construir algo do zero e as pessoas se interessarem, pode ser mais possível ter esse tipo de sucesso descomunal, mesmo que alguns projetos não tenham chegado nem perto do sucesso da Ethereum, por exemplo.

tecnologia fim explosão
Se os mineradores não realizarem a mineração das criptomoedas e os desenvolvedores não melhorarem a rede, não haverá rede para os usuários utilizarem e todo o ecossistema vai acabar (Imagem: Money Times)

Como essa ameaça é mitigada: destruição assegurada mutuamente

É importante destacar que essa ameaça ao blockchain do Bitcoin ainda não possa ser completamente mitigada: muitos desenvolvedores de blockchain ainda parecem estar prestes a cair fora, seja por conta de um projeto totalmente novo ou algo a ser construído na Ethereum.

Uma forma de mitigar isso a médio prazo seria pela noção de “destruição assegurada mutuamente”: a ideia de que se o universo cripto se fragmentar demais, especialmente no início de seu desenvolvimento, pode acabar se extinguindo.

Como discutimos acima a respeito dos mineradores, a maior parte do valor e do sucesso do blockchain depende de ele atingir uma grande massa de usuários.

Enquanto ainda estamos tentando convencer o mundo inteiro sobre o valor do blockchain, é importante ter um projeto de blockchain grande o suficiente que demonstra a escala total em que essa tecnologia possa e deva operar.

Projetos com alto volume de transações e de alto nível como Bitcoin são parte da prova que o blockchain é um conceito convincente em vez de um conjunto de esquemas de pequena escala que sobrou da era do pontocom.

É essa imagem que ajuda a atrair a atenção dos forasteiros da indústria e essa imagem é ameaçada quando projetos se afastam do Bitcoin.

Usuários precisam de uma interface intuitiva e de fácil utilização para entenderem que Bitcoin não é um bicho de sete cabeças (Imagem: Money Times)

3. Usuários

Por fim, Bitcoin é algo para que as pessoas usem, seja como uma moeda, uma reserva de valor, um instrumento especulativo ou algo completamente diferente. Mineradores e desenvolvedores se esforçam pelo bem desses usuários finais.

A função dos desenvolvedores: melhorar a funcionalidade do Bitcoin

“Se você criar, eles virão”, mas se eles não vierem, não importa o quão incrível seja o que você construiu.

A presença de pessoas que de fato usam bitcoin para armazenar valor, comprar e vender coisas é o que o torna atraente.

Pense no Bitcoin como a internet: se toda a infraestrutura da rede mundial de computadores existisse, mas ninguém de fato criasse sites ou serviços para ela, a internet seria uma ferramenta ociosa. Talvez teria o mesmo potencial que tem hoje, mas, certamente, não teria o mesmo valor.

É por isso que a ampla adesão do bitcoin é tão importante: uso em massa do criptoativo é o que o transforma de dinheiro do jogo Monopoly em dinheiro de verdade.

Em 2010, apesar de o Bitcoin ter tido a mesma infraestrutura que tem hoje, você não conseguia comprar muitas coisas com ele porque era tão novo e muita pouca gente conseguia realizar transações com ele — foi preciso dois investidores corajosos e muito antigos do Bitcoin e 10 mil bitcoins (aproximadamente US$ 72 mil hoje em dia) para comprar duas pizzas do Papa John’s.

Agora, bitcoin é mais valioso porque mais pessoas entendem sua funcionalidade e o aceitam como pagamento, mas ainda há um longo caminho a ser percorrido se ele quiser ser tão universal como dinheiro ou ouro.

saída porta sinal
O maior perigo ao ecossistema é os usuários abandonarem a rede (Imagem: Pixabay/Clker-Free-Vector-Images)

A ameaça dos usuários: taxa de evasão da rede

Bitcoin é como a Sininho: ganhou força quando as pessoas começaram a acreditar nela mas, se as pessoas a abandonarem, vai perder todo o valor novamente.

O perigo principal ao ecossistema Bitcoin é as pessoas pararem de usá-lo. Existem inúmeros riscos que poderiam causar essa taxa de evasão:

talvez as pessoas percam a confiança que o Bitcoin tem uma proposta de valor única além da fiduciária e do ouro;

talvez os governos decidam acabar com criptoativos como o bitcoin;

talvez outros projetos de cripto possam desviar, gradualmente, usuários ativos do Bitcoin.

Agora, existe um motivo para ser otimista, de que essas possibilidades não irão acontecer, mas cada uma delas, por mais improváveis que pareçam ser, apresentam uma ameaça existencial à rede.

Como essa ameaça é mitigada: propostas claras de valor

Existem dois pilares na comunidade que funcionam a fim de mitigar essa ameaça existencial, e desenvolvedores e empresas no universo Bitcoin são responsáveis por defendê-las:

1) educação;

2) fácil experiência de usuário.

Se falarmos só do bitcoin em jargão, como “registro descentralizado” e “escalabilidade off-chain”, ninguém além daqueles já inseridos na indústria vai começar a se importar com o Bitcoin de repente.

Precisamos falar de forma simples e numa linguagem clara sobre o que torna o bitcoin valioso se queremos realmente ver sua adesão universal. Esse é o primeiro pilar: educação.

Então, quando as pessoas decidirem dar uma chance e entrarem no ecossistema Bitcoin, a experiência deles como usuários precisa ser intuitiva a partir do primeiro dia.

As pessoas não ficaria on-line se precisassem entender sobre CSS e HTML para usar um site; da mesma forma, mesmo se as pessoas entenderem a proposta básica de valor do bitcoin, elas provavelmente não vão utilizá-lo caso se sintam sobrecarregados com interfaces extremamente técnicas.

Esse é o segundo pilar: fácil experiência de usuário.

Simplificando, Bitcoin é, basicamente, um produto e precisa de um design inteligente de produtos para se dar bem a longo prazo: as pessoas precisam entender por que elas precisam dele e achar que ele é extremamente fácil de usar.

O sucesso do bitcoin depende de todos os elementos do ecossistema (Imagem: Money Times)

O sucesso do bitcoin depende do respeito pelos pesos e sobrepesos

Vimos que cada uma das três principais comunidades do Bitcoin tem um papel-chave em manter unido todo o ecossistema:

mineradores precisam manter o blockchain seguro e em crescimento para que haja algo a ser melhorado pelos desenvolvedores e utilizado pelos usuários finais;

desenvolvedores melhoram a eficácia e a experiência de usuário do protocolo para que seja algo que os usuários realmente queiram usar;

usuários gastam e retém bitcoin como um meio de transferência e armazenamento de valor, tornando o bitcoin suficientemente valioso que os mineradores queiram fornecer recursos para minerá-lo.

Se você quiser entender a proposta de valor do bitcoin, você precisa entender esse equilíbrio delicado: nenhum grupo tem autoridade totalitária sobre os outros.

Quando as pessoas pararem de acreditar em normas sociais e pararem de respeitar as empresas nas quais o governo é fundado, crises constitucionais acontecem.

Estados rejeitam a autoridade dos tribunais, o legislativo rejeita a validade do executivo e, rapidamente, os pesos e contrapesos que mantém a sociedade em equilíbrio começam a se fragmentar.

Quando não conseguimos analisar ecossistema de Bitcoin como um todo e discutimos sobre a prioridade dos mineradores ou a influência dos desenvolvedores, estamos indo na direção do mesmo tipo de crise.

Vamos começar a entender que cada elemento na comunidade Bitcoin é importante e seguir em frente, juntos.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 19/06/2020 - 18:21