Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Plataforma de investimentos do Allugator reabre com rentabilidade de até 13% ao ano

16/01/2021 - 14:00
Os aportes mínimos na plataforma variam entre R$ 2 mil e R$ 20 mil (Imagem: Instagram/Allugator)

O Allugator Invest,, plataforma de investimentos da startup de assinatura de eletrônicos Allugator, vai reabrir, em fevereiro, novos lotes para investidores poderem financiar a aquisição dos smartphones disponíveis no site da empresa.

Com mais de R$ 7 milhões captados ao longo de 2020, e 1.500 investidores, o Allugator  Invest é o braço financeiro da maior plataforma de assinatura de eletrônicos da América Latina — e a segunda maior do mundo –, popular por possibilitar que usuários assinem celulares, câmeras, games e outros acessórios por períodos que variam de três meses a um ano.

Como alternativa à tradicional renda fixa, que acompanha a taxa Selic e, atualmente, rende pouco, se comparada a períodos anteriores, a plataforma oferece retornos que podem chegar aos 600% do CDI, atraindo os tanto investidores conservadores como mais arrojados, que buscam uma opção mais rentável mas com a segurança que a renda variável não pode proporcionar.

A expectativa dos fundadores é chegar aos R$ 60 milhões com a plataforma de investimentos ainda em 2021, e 5 mil adesões. “A Invest abrange desde pequenos investidores, com carteiras de R$ 2 mil a R$ 10 mil reais, até aqueles com aportes na casa dos milhões”, pontua Cadu Guerra, CEO da empresa.

Os anos de 2005 a 2016 foram tempos marcantes – e que deixarão saudade para aqueles que investiam em renda fixa, escreveu Guerra em artigo publicado no Money Times em setembro do ano passado.

A taxa Selic oscilando entre 19,75% e 14%, impulsionando todos os títulos públicos e CDBs, e até a tão desprezada poupança rendendo seus 0,7% ao mês, garantindo ganhos reais acima da inflação.

Os títulos da fintech são pré-fixados e regulamentados pelo Banco Central, o que garante total segurança para quem apostar neles. A rentabilidade pode variar entre 8% e 13% ao ano, dependendo do valor investido. Os aportes mínimos variam entre R$ 2 mil e R$ 20 mil.

O Allugator Invest é regulamentado pelo Banco Central, o que garante a segurança do dinheiro daquele que investir na fintech(Imagem: Flickr/Banco Central)

Além das garantias já existentes no modelo anterior, agora os investidores também podem contar com a alienação fiduciária dos aparelhos, que garante ainda mais a segurança e a valorização da quantia aportada.

O modelo de investimento é o Peer to Peer Lending, modalidade inovadora de economia compartilhada, na qual um ou mais investidores se unem para emprestar dinheiro para empresas ou pessoas físicas. Muito utilizada e disseminada nos EUA, ela implica riscos, como qualquer outra modalidade.

Contudo, o score de risco do Allugator Invest está entre os melhores do mercado, segundo as maiores plataformas de P2P, além do fato de ser regulamentado pelo Banco Central, o que garante a segurança do dinheiro daquele que investir na fintech.

“Já fizemos operações muito bem sucedidas com investidores mais tradicionais e de grande porte. O Allugator Invest foi a solução que pensamos para oferecer ao investidor de varejo”, declara Cadu, que também ressalta que os investimentos em locações são os mais rentáveis do mundo.

Além dos investimentos via Allugator Invest, a fintech mineira conta com a parceria de empresas como a Mutual, IOUU e EqSeed para financiar os lotes de smartphones, games e demais acessórios.

O site de assinaturas bateu um recorde na última Black Friday: foram 250 assinaturas feitas apenas nos dias 26 e 27 de novembro — uma marca inédita para a startup. Os aparelhos mais procurados foram o iPhone 12 e 12 Pro Max, que agora estão esgotados em grande parte das lojas do Brasil.

Atualmente, há aproximadamente 100 mil pessoas na fila de espera para assinar os aparelhos do allugator.com.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Lucas Eurico Simões - 14/04/2021 - 7:35

Pela Web