Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Plataforma Tron se redefine como uma alternativa com taxa zero para DeFi

24/09/2020 - 11:21
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
O preço do token TRX subiu mais de 90% em 2020 conforme aspectos fundamentais para o projeto foram impulsionados por um emergente setor DeFi e o lançamento da quarta versão da Tron (Imagem: Facebook/TRON Foudation)

Tron é uma plataforma blockchain com sua própria criptomoeda, TRX, e que permite a criação de contratos autônomos (ou “smart contracts”) e aplicações descentralizadas (dapps). 

O projeto foi fundado pelo empreendedor chinês Justin Sun em 2017 e arrecadou US$ 70 milhões em 2017 pouco antes de a China banir ofertas iniciais de moedas (ICOs). O desenvolvimento da Tron agora é gerenciado pela cingapurense Tron Foundation, em que Sun é seu CEO.

Atualmente, o preço do TRX é de US$ 0,025 e teve um forte desempenho este ano, subindo 92,5%. 

Uma das principais novidades da Tron este ano foi o lançamento completo da quarta versão de seu protocolo nativo e sua migração para o setor de protocolos de finanças descentralizadas (DeFi) para desafiar sua rival, Ethereum (ETH).

Após ter arrecadado financiamento usando o padrão ERC-20 (transferível) de tokens na plataforma Ethereum, Tron lançou sua própria rede principal, com TRX como seu token nativo, em maio de 2018. 

Em agosto do mesmo, a Tron Virtual Machine (uma versão adaptada da Ethereum Virtual Machine) foi oficialmente lançada, permitindo que desenvolvedores testem e executem contratos autônomos.

O blockchain Tron é dividido em três camadas: uma camada principal, uma camada de aplicação e uma camada de armazenamento.

A camada principal computa instruções fornecidas por uma linguagem Java ou Solidity de contratos autônomos e executa lógicas de programação. A camada de aplicação é utilizada por desenvolvedores para criar aplicações alimentadas pela criptomoeda TRX.

Tron em uma alternativa mais barata a plataformas de contratos autônomos como Ethereum em que taxas de gás precisam ser pagas por cada atividade computacional na rede (Imagem: Facebook/TRON Foudation)

A camada de armazenamento é criada para armazenar dados de blockchain e de status da rede enquanto preserva o status dos contratos autônomos.

Os contratos autônomos da TRON são executados em um sistema de formato duplo. Existe uma opção para congelar (realizar o staking de) tokens TRX para acessar a energia e a banda larga da rede, bem como taxas-padrão de gás para a operação de contratos autônomos individuais baseados em TRX.

Esse sistema permite que usuários realizem transações na TRON sem pagar taxas, contanto que estejam dispostos a “congelar” seus tokens por um período de tempo. 

Isso torna a Tron em uma alternativa mais barata a plataformas de contratos autônomos como Ethereum em que taxas de gás precisam ser pagas por cada atividade computacional na rede.

TRON usa uma versão modificada do modelo de consenso de proof-of-stake delegado (DPoS) chamado TRON Proof-of-Stake (TPoS).

Existem três tipos de nós na rede TRON: testemunhas ou “Witnesses” (Super-representantes), nós completos (“full nodes”) e nós Solidity.

Uma testemunha é responsável pela produção de blocos. Um nó completo fornece integrações de aplicação específicas (APIs) e transmite transações e blocos. Nós Solidity sincronizam blocos irrevogáveis e fornece APIs de consulta.

Super-Representantes (SRs) são o aspecto “delegado” do modelo de consenso do TRON. Existem 27 possíveis SRs que podem ser escolhidos em um grupo de 127 possíveis candidatos. Os 27 são escolhidos a cada seis horas.

O grupo de 127 possíveis produtores de blocos é selecionado pela comunidade detentora dos tokens TRX. Detentores de TRX podem votar em candidatos a SRs da Tron ao congelar seus tokens e podem dividir seus votos entre até cinco SRs.

A quarta maior iteração do blockchain Tron foi apresentada no dia 7 de julho de 2020 (Imagem: Facebook/TRON Foudation)

A votação é feita por meio de um ciclo de votação de seis horas. No fim de cada ciclo, os 27 SRs que receberem o maior número de votos são eleitos. SRs estabelecem uma taxa de recompensa. 

Dependendo da taxa, irão redistribuir parte de seus lucros a seus eleitores. Staking Rewards estima que as recompensas anuais para detentores de TRX que votam em SRs são de 3,34%.

Os candidatos do 28º ao 127º lugar se tornam Superparceiros (SPs). SRs são responsáveis pela produção de blocos e agrupamento de transações enquanto SPs só recebem recompensas por votação e não realizam as tarefas dos SRs. 

SPs e SRs têm o direito de apresentar propostas para modificar parâmetros da rede Tron.

A rede Tron gera um bloco a cada três segundos, em que cada bloco recompensa 16 TRX aos SRs. A cada bloco produzido, os 127 dividem 160 TRX. Essa recompensa é dividida com base nos votos que cada candidato receber. 

Não haverá inflação na rede tron até 1º de janeiro de 2021 e a Tron Foundation irá recompensar 100% das recompensas por bloco e dos candidatos antes dessa data.

O modelo de votação para representantes da Tron pode ter sido manipulado no passado, pois houve acusações de compra de votos por candidatos surgindo na comunidade. 

Também houve problemas com a baixa participação nas votações. 

Lucien Chen, ex-diretor de tecnologia da Tron Foundation, disse, em uma publicação agora deletada na plataforma Medium, que sua decisão de deixar seu cargo foi devido à “extrema centralização” da rede e que a atual direção e estado da Tron era uma “contradição irreconciliável” ao ethos original da Tron em “descentralizar a internet”.

Ele culpou esses problemas ao modelo TPoS e o controle sobre a direção da rede que os 27 SRs exercem.

A quarta maior iteração do blockchain Tron foi apresentada no dia 7 de julho de 2020. Quatro novos recursos fundamentais foram acrescentados ao protocolo como parte da quarta atualização:

1. TRONZ Smart Contract será o primeiro protocolo para contratos autônomos privados apoiados por uma máquina virtual.

2. Um novo modelo TPoS de dupla camada combinará proof-of-stake delegado (DPoS) e Tolerância Prática a Falhas Bizantinas (PBFT) para reduzir o tempo de confirmação de blocos de 57 segundos para três segundos.

3. Um novo protocolo TIC/IP permitirá que desenvolvedores do protocolo TRON se conectem a três outras plataformas públicas de blockchain.

4. Uma solução de blockchain para instituições financeiras e comerciais permitirá que instituições financeiras e desenvolvedores comerciais utilizem aplicações personalizadas de blockchain no protocolo TRON.

TronX, a equipe por trás dos contratos autônomos privados, afirma que a atualização de protocolo “não tornará TRX anônimo de forma alguma nem acrescentará recursos de privacidade”.

Porém, permitirá que desenvolvedores acrescentem transações protegidas a tokens de contratos TRC-20 por meio do acréscimo de um contrato autônomo.

TRC-20 é um padrão técnico usado para contratos inteligentes no blockchain TRON que permite que desenvolvedores implementem tokens personalizados.

TRONZ explica que zk-SNARKs — argumentos de conhecimento sucinto não interativos de conhecimento zero — para tokens TRC-20 de contratos autônomos virão em três formas: emissão, transferência e queima.

Emissão converte qualquer TRC-20 de protegido para desprotegido. Transferência protege transações TRC-20 para esconder a quantia da transação e os endereços do remetente e do destinatário. Queimas convertem um token TRC-20 protegido em um token público.

Em junho de 2018, Justin Sun adquiriu o protocolo BitTorrent por US$ 120 milhões, derrotando a competição de outros possíveis compradores, com o projeto blockchain NEO.

Desde a aquisição, BitTorrent foi integrado à plataforma Tron usando BitTorrent Speed — uma aplicação executada sobre o cliente Utorrent. 

Fornece recompensas automáticas, na forma de tokens BTT, a usuários que enviam arquivos para BitTorrent. BTT é um token que usa o padrão TRC-10. 

Ao baixar torrents, BitTorrent Speed automaticamente oferece BTT para outros usuários por velocidades maiores.

(Imagem: Dapp Radar)

Segundo dados do site Dapp Radar, as principais dapps na plataforma Tron são uma mistura de aplicações de alto risco (essas parecem funcionar como esquemas de pirâmide), apostas e DeFi. 

Dapps de apostas sempre foram populares na Tron porque o modelo de transações sem gás do blockchain permite que usuários tenham diversos turnos durante sessões do jogo.

Aplicações DeFi fornecem serviços financeiros como empréstimos, negociações e emissão de ativos sintéticos por meio de contratos autônomos no blockchain. 

DeFi é apermissionado e programável, permitindo que desenvolvedores e usuários possam realizar experiências financeiras na velocidade que um software leve pode ser criado, sem muitos obstáculos sobre regulamentação.

DeFi explodiu em popularidade no segundo semestre de 2020 e a principal rival da Tron, a plataforma Ethereum, foi o sandbox principal para desenvolvedores. 

Aplicações como Uniswap, YFI e Aave ficaram muito populares, conforme usuários da Ethereum forneceram muita liquidez a eles e compraram uma parte de seus direitos de governança. 

A demanda para a interação com esses protocolos DeFi resultou em altíssimas taxas de gás, volumes e receitas pela mineração na plataforma Ethereum nos últimos meses.

Tron está tentando se estabelecer como uma plataforma DeFi alternativa e viável à Ethereum, em que protocolos como Justswap DEX, segundo na lista da Dapp Radar, usa o modelo de precificação automatizado de formação de mercado e o modelo de tokens de Fornecimento de Liquidez popularizado pelo Uniswap. 

A liquidez na plataforma está acima de uS$ 250 bilhões e volumes diários de negociação estão em US$ 19 milhões. Embora seja similar ao Uniswap de diversas formas, Justswap parece ter como alvo a comunidade cripto chinesa. 

A videoconferência para celebrar o lançamento da DEX atraiu uma audiência de 763 mil pessoas na plataforma chinesa Yizhibo.

Justswap foi a primeira dentre inúmeras dapps da Tron que mimetizam os protocolos DeFi que já foram criados na plataforma Ethereum. 

Pearl.finance, Salmon.finance e Carrot.finance, todos criados na Tron, têm incentivos de “liquidity mining” — recompensa a um pool de formadores de mercado com um token nativo para incentivá-los a fornecer liquidez para um token específico — que atraem investidores a depositarem TRX em pools de liquidez que operam os protocolos para a emissão de um token de governança. 

Esses protocolos refletem as soluções de emissão de tokens de governança já criados na Ethereum — como Compound, YFI e Sushiswap. 

O modelo de transação sem taxas da Tron também oferecem aos usuários um alívio às altas taxas de gás da Ethereum, enquanto operações únicas custaram até US$ 60.

Em agosto, o programa SUN genesis mining foi lançado para fornecer novas opções de mineração para tokens como TRX, BTT, JST, WIN, bem como SUN, o token de governança nativo da plataforma. 

A plataforma SUN foi criada para ser uma camada de incentivo para o ecossistema DeFi da Tron e um centro de trânsito para ativos entre blockchains. 

Usuários também podem ganhar SUN ao realizar o staking de tokens de Fornecimento de Liquidez para os pares SUN/TRX, JST/TRX e USDT/TRX na JustSwap.

O token SUN será o primeiro token a ser lançado na recém-lançada Innovation Zone da corretora Binance. 

Innovation Zone é descrita como uma “zona dedicada à negociação, em que usuários podem negociar tokens inovadores que provavelmente terão alta volatilidade e apresentam um risco maior do que outros tokens”.

A reação à recente investida da Tron no setor DeFi foi diversa, em que usuários de plataformas de redes sociais no Ocidente sugerem que a rede é muito centralizada para realmente oferecer DeFi e acusando-a de tentar “pegar o bonde”.

(Imagem: Tronscan)

O total de transações diárias está aumentando desde julho, com diversas altas notáveis durante esse período. O total de transações diárias é de 1,9 milhão, que é bem abaixo da alta recorde de 5,2 milhões atingida em julho de 2019.

(Imagem: Tronscan)

Assim como o total de transações, as contas diárias ativas na rede Tron também aumentaram de forma consistente nos últimos meses. 

Também parece que, durante esse período, a métrica está menos suscetível a altas variações. Isso sugere que agora existe uma base mais consistente de usuários voltando para interagir diariamente com a plataforma.

Análise técnica

Atualmente, o TRX está negociando US$ 0,025. No gráfico de quatro horas, o preço parece estar encontrando uma nova baixa local por estar formando um padrão de acumulação em seu nível atual. 

Atualmente, o índice de força relativa (RSI) está tendo uma forte recuperação e sinalizando uma divergência de alta. Além disso, o preço está se aproximando de sua resistência negativa. 

Se irromper, é provável que o preço teste novamente a resistência da Nuvem em US$ 0,029.

Porém, o indicador de fluxo de volume (VFI) ainda está negativo e, recentemente, caiu abaixo de 0. 

Além disso, o preço permanece abaixo da Nuvem Kumo, que sugere que a ampla tendência está negativa, ou seja, as variações de preço provavelmente irão falhar a níveis de resistência da Nuvem. 

Além disso, se a divergência de alta ganhar força, os ganhos de preço poderá chegar a US$ 0,029 (resistência da Nuvem).

O gráfico diário fornece um resultado mais otimista, em que o preço está acima da Nuvem Kumo. Atualmente, o preço está sendo negociado próximo do suporte crucial da Nuvem, que se manteve estável. 

Além disso, o RSI está em um nível em que encontrou um suporte, mas ainda não está dentro dos níveis de sobrevenda.

A confluência do RSI aproximando o suporte de sobrevenda e Kumo no gráfico diário pode ser suficiente para evitar a atual tendência de baixa do preço do gráfico de quatro horas. Se isso acontecer, o preço poderá testar novamente os US$ 0,029 a curto prazo. 

Porém, se TRX entrar na Nuvem no gráfico diário, é provável que haja um preço-alvo de US$ 0,022 a curto prazo, com quedas mais bruscas para US$ 0,02 na tabela se o preço cair abaixo da Nuvem.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 24/09/2020 - 11:24