Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Fast

Presidente do banco central da Líbia diz que bloqueio sobre petróleo precisa terminar

24/01/2020 - 14:37
Torre de petróleo nos EUA
Os bloqueios levaram a produção de petróleo local a quase zero, ante bombeamento de 1,2 milhão de barris por dia anteriormente (Imagem: Reuters/Nick Oxford)

O bloqueio de importantes portos petrolíferos da Líbia está danificando a economia do país e precisa ser resolvido rapidamente, disse à Reuters o presidente do banco central local nesta sexta-feira, acrescentando que a situação pode levar a um déficit orçamentário em 2020.

“Neste momento, o petróleo representa de 93% a 95% da receita total, e cobre 70% dos gastos totais. Isso é um tiro na cabeça, irá afetar a Líbia e o povo líbio”, disse Sadiq al-Kabir em entrevista em Londres.

“Nós realmente esperamos que a crise seja resolvida o mais rápido possível, porque ela atinge todo mundo.”

O primeiro-ministro líbio reconhecido internacionalmente, Fayez al-Serraj, alertou para uma “situação catastrófica” caso não sejam encerrados os bloqueios, que já duram uma semana e são promovidos por forças alinhadas ao comandante militar Khalifa Haftar, que lidera o leste do país.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Os bloqueios levaram a produção de petróleo local a quase zero, ante bombeamento de 1,2 milhão de barris por dia anteriormente.

Kabir disse que o banco central do país ainda não chegou a um acordo quanto ao orçamento para 2020 com o governo reconhecido internacionalmente, que propôs um déficit de 17,5 bilhões de dinares.

“Nós rejeitamos isso e pedimos para que eles cortem gastos”, afirmou, acrescentando que mesmo assim um déficit ainda seria possível, diante dos bloqueios ao petróleo líbio.

A autoridade de Kabir tem sido contestada pelos líderes do leste do país, que estabeleceram seu próprio governo e um banco central, vendendo títulos fora do sistema financeiro oficial para angariar fundos.

Última atualização por Bruno Andrade - 24/01/2020 - 14:37