Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Rodolfo Amstalden: Como planejar sua aposentadoria rápida?

Rodolfo Amstalden
21/01/2021 - 12:23

Rodolfo Amstalden
“Aos olhos de um leitor economista, a Odisseia [de Homero] nada mais é do que um grande plano de aposentadoria”, afirma o colunista (Imagem: Murilo Constantino/Empiricus)
“Rodolfo, como faço para me aposentar rapidamente?”

A publicação do livro Do que Você Precisa para se Aposentar? atrai à minha caixa de entrada perguntas como essa.

Recebemos muitas dúvidas sobre aposentadoria precoce aqui na Empiricus.

Não sei exatamente onde está a melhor resposta para esse tipo de indagação, mas desconfio que não esteja nos livros de economia e finanças.

Certamente, não se encontra nos best-sellers tipicamente expostos nas gôndolas de esoterismo e autoajuda.

A melhor resposta que eu encontrei até o momento está naquela que é considerada uma das referências primárias da literatura ocidental: a “Odisseia”, de Homero.

Aos olhos de um leitor economista, a Odisseia nada mais é do que um grande plano de aposentadoria.

Exausto depois dos dez anos guerreando em Troia, Odisseu — ou Ulisses, na versão romana — se vê tomado por um senso de justiça em relação a sua própria liberdade e a suas próprias vontades.

Ele foi arrancado de seu lugar de origem, separado de sua esposa, não viu o filho crescer.

Passou uma década 100% dedicado a conflitos e discórdias, enquanto sonhava com lembranças de paz e harmonia.

Matou-se de trabalhar, e agora deseja exercer seu direito natural ao amor familiar e ao descanso.

Logo, é fácil aceitar que, ao término da Guerra de Troia, o retorno a Ítaca torna-se o único objetivo de Ulisses, a ser executado com máxima urgência.

Diante desse escopo trivial, a Odisseia seria um poema de duas ou três páginas. Algo como: Ulisses chega em casa, toca a campainha, ganha um beijo emocionado da esposa, um abraço do filho, lambida do cachorro e… pronto, final feliz.

No entanto, a Odisseia, mesmo em suas versões mais compactas, aproxima-se de 600 páginas.

Findas aquelas antigas responsabilidades da Guerra de Troia, os problemas de Ulisses estão apenas começando.

Sua viagem de volta ao lar dura outros dez anos, repleta de desafios e ameaças.

“E daí, Rodolfo? O que isso tem a ver com as minhas expectativas previdenciárias?”

Bem, a decisão de se aposentar deve preceder em dez anos a aposentadoria de fato.

Para se aposentar com paz e qualidade de vida, o investidor precisa de uma década de planejamento. Não é uma decisão a ser tomada do dia para a noite.

Não vejo problema nenhum em mirar sua independência financeira aos 50 anos, por exemplo (o que é muito diferente de parar de trabalhar), desde que seu plano de convergência tenha sido construído desde os 40 anos.

Um plano desse tipo é perfeitamente factível, mas jamais deve ser promovido como algo instantâneo.

Assim como no caso da Odisseia, a busca por uma existência ordenada, pela salvação pessoal e pela trajetória rumo ao nirvana não devem ser tomadas como consequências naturais da velhice.

Temos que conquistar esses objetivos às custas de esforço, disciplina e de algum risco.

Se você se interessa por um método realista para alcançar a independência financeira daqui a dez anos, escape já da sedutora lábia de Calipso e venha conhecer minha estratégia de aposentadoria.

Ela funciona.

Última atualização por Diana Cheng - 21/01/2021 - 12:23

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender

As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto
Pela Web