Carteira Recomendada

Troque Itaú (ITUB4) por elétrica com ‘dividendos robustos à frente’ em carteira para setembro, recomenda Santander

05 set 2023, 8:27 - atualizado em 05 set 2023, 14:23
Ibovespa, B3, Mercados
Carteira de dividendos para setembro conta com apenas uma alteração (Imagem: Diana Cheng/Money Times)

Santander promoveu apenas uma mudança em sua carteira recomendada mensal de dividendos, retirando as ações do Itaú Unibanco (ITUB4) para dar lugar a CPFL Energia (CPFE3).

Segundo os analistas, apesar de seguirem positivos com o banco em uma perspectiva de médio a longo prazo, inclusive com recomendação oficial de compra, optaram por incluir as ações da CPFL Energia visando adicionar ao portfólio mais uma empresa do setor de energia elétrica.

Pontuam ainda que as ações da elétrica a possuem uma perspectiva de dividendos robustos à frente, com dividend yield de 13% para 2023.

“Assim, estamos aproveitando a alta de ~22% de ITUB4 desde a inclusão da ação na Carteira Dividendos, em fevereiro de 2023, para efetuar a troca”, concluem.

Em agosto, a carteira de dividendos do Santander teve perdas de 0,63%, acima do recuo de 3,62% do Ibovespa (IBOV). No período, São Martinho foi destaque, com desempenho positivo de 10,69%.

Ações ex-proventos em setembro

Apenas uma empresa que compõe o portfólio anunciou proventos com data “ex” para o mês de setembro. Confira:

  • Vivo (Juros sobre Capital Próprio) – 01/09

Veja a carteira de dividendos do Santander

Empresa Ticker Peso Dividend Yeld esperado 2023
Banco do Brasil BBAS3 11% 10,69%
BTG Pactual BPAC11 10% 3,21%
Cury CURY3 8% 8,00%
Eletrobras ELET6 10% 5,43%
CPFL Energia CPFE3 8% 10,32%
Klabin KLBN11 10% 7,58%
Petrobras PETR3 12% 11,54%
São Martinho SMTO3 9% 4,12%
Vivo VIVT3 10% 7,52%
Vale VALE3 12% 7,08%

Repórter
Formada em jornalismo pela Universidade Nove de Julho. Foi redatora na área de marketing digital por 2 anos e ingressou no Money Times em 2022.
Linkedin
Formada em jornalismo pela Universidade Nove de Julho. Foi redatora na área de marketing digital por 2 anos e ingressou no Money Times em 2022.
Linkedin