Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Bê-a-bá Cripto: por que Satoshi Nakamoto ainda não apareceu?

16/08/2020 - 11:05
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
O whitepaper do Bitcoin foi lançado primeiramente no fim de 2008 quando seu criador o enviou para um número de remetentes de uma lista de e-mail criptografada. Curiosamente, seu criador assumiu uma identidade falsa sob o pseudônimo de Satoshi Nakamoto que persiste desde então (Imagem: Freepik)

Parte 1

Evitando a atenção das autoridades

Outro motivo que explicaria a anonimidade de Nakamoto é o fato de que, provavelmente, criadores de moedas alternativas iriam atrair a atenção de autoridades e criminosos.

Um residente do Havaí chamado Bernard Von NotHaus criou uma moeda privada em 1998, a qual ele nomeou de Liberty Dollar. A moeda prosperou por um tempo, mas sua emissão foi alvo do FBI e do Serviço Secreto em 2007.

Após processos criminais, a moeda foi proibida e NotHaus foi declarado culpado por ter criado uma “moeda privada ou sistemas monetários para competir com a cunhagem e moeda oficial dos Estados Unidos”.

Além disso, em 2007, uma moeda digital chamada e-Gold foi acusada de fomentar atividade ilegal porque não possuía informações suficientes sobre seus clientes.

Seu dono foi sentenciado a prisão domiciliar e a empresa fechou. É provável que esse entusiasmo das agências governamentais em prender empreendedores do espaço de moedas alternativas foi um fator na estratégia de Nakamoto.

Por fim, o bitcoin está disponível para todos. Isso significa que pode ser usado para o pagamento de serviços legais e ilegais, como é o caso das moedas fiduciárias.

Porém, tem sido um método popular de pagamento em mercados da deep web e, de início, ganhou notoriedade por seu uso no finado site Silk Road, um antigo mercado on-line ilegal.

O criador e operador do infame site, Rob Ulbricht, foi sentenciado à prisão perpétua por ter facilitado o comércio de drogas e outros materiais proibidos.

Ulbricht recorreu à sua sentença no Supremo Tribunal dos EUA em dezembro de 2017, mas permanece na prisão federal. É possível extrapolar que Nakamoto pudesse ter enfrentado um destino muito parecido se tivesse revelado sua verdadeira identidade.

hacker ataque segurança internet tecnologia computador
Embora a identidade verdadeira de Nakamoto possa nunca ser descoberta, o mais importante é que a tecnologia funciona sem esse esclarecimento (Imagem: Unsplash/@cbpsc1)

O que Satoshi faria?

Nakamoto parece ter entendido que apenas quando há a separação do criador, novos conceitos, invenções e conteúdos podem estar abertos à interpretação.

Jill Carlson, tecnóloga e investidora em bitcoin, diz que é por isso que o bitcoin representa diferentes coisas para diferentes pessoas. É por isso que acontecem bifurcações e porque, a cada debate, existe um grupo crítico que pergunta: “o que Satoshi faria”?

Carlson diz que essa “ineficiência também é uma das principais proposições de valor do bitcoin. Não tem um líder que possa responder aquela pergunta, que possa decidir sobre bifurcações ou conduzir a comunidade para uma direção ou para a outra. Então, o propósito da rede e o valor do ativo permanecem imaculados intencionalmente. Geralmente citado como um problema, esse pode ser um recurso que irá garantir o poder de permanência do bitcoin”.

Nakamoto percebeu que, para que o bitcoin se mantivesse descentralizado, não poderia ter um líder ou um ponto problemático central que poderia ser comprometido.

A fé na tecnologia precisava ser baseada em uma avaliação objetiva, e não no pronunciamento de um líder ou uma organização.

Ao permanecer anônimo, Nakamoto deu às pessoas a liberdade de formarem suas próprias opiniões sobre a tecnologia e determinarem o valor do ativo independente de quem seja seu criador.

Nakamoto percebeu que, para que o bitcoin se mantivesse descentralizado, não poderia ter um líder ou um ponto problemático central que poderia ser comprometido (Imagem: Crypto Times)

Quem poderia ser?

Ao longo dos anos, houve intensa especulação sobre quem criou o bitcoin e quem seria Satoshi. Um homem, uma mulher, uma agência de inteligência ou um pequeno grupo de dedicados “ciberpunks”? Aqui são alguns dos principais candidatos.

Craig Wright, um programador australiano, afirmou ser Satoshi Nakamoto em 2016. Ele forneceu algumas evidências que, depois de algum tempo, foram consideradas duvidosas, já que estavam publicamente disponíveis no registro.

Ele também foi acusado de falsificar anúncios e publicações de blog para se passar pelo verdadeiro Nakamoto. Muitas pessoas disseram que seu anúncio era uma mentira.

Por exemplo, Vitalik Buterin, fundador da rede Ethereum, chamou Wright de louco e o acusou de ser uma fraude.

Atualmente, Wright está envolvido em diversos processos jurídicos e ele já perdeu diversos. Geralmente, o consideram como um fantasista.

Um outro candidato foi Hal Finney. Ele foi um “criptopunk” e criptógrafo muito conhecido, que criou a primeira iteração de um sistema proof-of-work reutilizável.

Ele também foi a primeira pessoa a receber bitcoin de Nakamoto em 2009. Além disso, ele foi a primeira pessoa a baixar o cliente (software) do Bitcoin. Porém, ele desmentiu as declarações de que era Nakamoto antes de sua morte em 2014.

Alguns consideram Nick Szabo, renomado criptógrafo, de ser um possível candidato. Ele criou a arquitetura de uma moeda digital descentralizada, que ele chamou de bitgold, antes do lançamento do bitcoin.

Apesar de sua criação nunca ter vindo à tona, existem similaridades ao design do bitcoin. Isso gerou grandes especulações de que Szabo é Nakamoto. Porém, ele sempre negou tais alegações.

Por fim, outro possível candidato é Adam Back, CEO da Blockstream. Criptógrafo e “ciberpunk”, Back se correspondia com Nakamoto e foi citado no whitepaper do Bitcoin. Back negou ser Nakamoto, mas outros sugeriram que ele havia afirmado tê-lo conhecido. Back nega esse fato.

Em um artigo recente da Bloomberg, Back negou novamente ser Nakamoto e sugeriu que era melhor que a verdadeira identidade de Nakamoto permanecesse desconhecida. “Geralmente, é melhor, neste ponto, que o fundador do Bitcoin não seja conhecido”, diz ele.

“Porque o bitcoin é mais como um ouro digital. Você não iria querer que o ouro tivesse um fundador. Para que o bitcoin mantenha uma percepção parecida com uma commodity, eu acho muito bom que Satoshi não venha a público.”

Embora a identidade verdadeira de Nakamoto possa nunca ser descoberta, o mais importante é que a tecnologia funciona sem esse esclarecimento.

Além disso, a moeda é provavelmente reforçada pelo fato de que seu criador é anônimo, já que pessoas podem focar na tecnologia sem serem distraídos pelo criador.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 12/08/2020 - 16:07