Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Credit Suisse fecha fundos em revisão de gestão de ativos

31/10/2020 - 19:03
Credit Suisse
Gestoras de ativos enfrentam condições de mercado desafiadoras em meio à pandemia (Imagem:REUTERS/Arnd Wiegmann)

O Credit Suisse planeja fechar fundos e demitir funcionários na unidade de gestão de ativos alternativos, pois várias das estratégias não deram resultado na volatilidade causada pela pandemia de Covid-19.

As medidas do banco incluem o fechamento de um fundo quantitativo e uma despesa de 24 milhões de francos suíços (US$ 26 milhões) relacionada a capital inicial em um fundo imobiliário dos EUA no terceiro trimestre, disse em entrevista o diretor financeiro do Credit Suisse, David Mathers, que não quis identificar os fundos ou detalhar a extensão das demissões.

Gestoras de ativos enfrentam condições de mercado desafiadoras em meio à pandemia. Muitas foram fechadas ou estão em processo de fechamento, incluindo a AJO Partners, uma gestora de fundos quantitativos de US$ 10 bilhões, e a firma de hedge fund macro Tse Capital Management.

No início do mês, o Credit Suisse disse que a Aventicum Capital Management, uma joint venture com a Autoridade de Investimento do Qatar, vai fechar dois grupos de fundos e devolver capital aos investidores.

“Vimos alguns desses fundos com dificuldades neste ambiente. Suas estratégias não tiveram sucesso na volatilidade decorrente da Covid-19”, disse Mathers na quinta-feira. “O negócio de crédito está indo bem”, disse, destacando que empresas de menor porte são as mais afetadas.

O Credit Suisse enfrenta problemas na unidade de gestão de ativos liderada por Eric Varvel, após anos de crescimento constante e aumento de 67% do lucro nos quatro anos até 2019.

Nesse período, a unidade se tornou um pilar da estratégia do banco sob o ex-CEO Tidjane Thiam, que direcionou a estratégia para a gestão de patrimônio de ricos e longe de negociações arriscadas.

Thomas Gottstein, sucessor de Thiam no posto de CEO, disse no mês passado que o banco planeja uma revisão estratégica da gestão de ativos nos próximos 12 meses. Na quinta-feira, ele descartou a venda ou incorporação da unidade por enquanto.

O banco espera mais custos de reestruturação, bem como possíveis perdas contábeis, dependendo do desempenho, à medida que continua a revisar seu portfólio de investimentos alternativos, disse o banco suíço em relatório trimestral. As perdas de investimento em imóveis foram parcialmente compensadas pela recuperação em fundos de crédito, disse.

A unidade de gestão de ativos do Credit Suisse é dividida entre uma unidade mais tradicional com estratégias em ações e renda fixa vendidas em grande parte a clientes de private banking e uma de gestão de ativos alternativos nos Estados Unidos, que consiste em hedge funds próprios, um grande negócio de crédito e uma série de fundos menores e investimentos externos.

“É realmente uma história de duas cidades”, disse Mathers. “Você tem um negócio tradicional de muito sucesso, tem um negócio alternativo menos bem-sucedido que vende em grande parte a terceiros em oposição ao negócio de gestão de patrimônio.”

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Vitória Fernandes - 29/10/2020 - 15:24