Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Eleições já estão no preço do Ibovespa, diz Inter

Renan Dantas
19/01/2022 - 20:10

As primeiras semanas do ano deram pistas de como pode ser o Ibovespa (IBOV). O tom mais duro do Federal Reserve sobre a elevação da taxa de juros fez com que o índice tombasse mais de 2% na primeira semana.

Porém, até o momento, a Bolsa conseguiu recuperar as perdas e entregar uma boa sequência de altas, puxada também pela disparada dos preços das commodities.

Para o Inter Research, 2022 se inicia com um ciclo contracionista, com elevação de juros e, em teoria, migração de recursos para ativos de renda fixa e mercados mais desenvolvidos.

“Contudo, ainda vemos espaço para recuperação da bolsa local, vislumbrando um patamar de 125 mil pontos para o fim do ano, uma vez que vemos os papéis negociados no mercado brasileiro demasiadamente descontados em virtude de uma maior percepção de risco já precificada”, diz.

No ano passado, o Ibovespa terminou no vermelho, com queda de 11%. O tombo chegou a 18% em comparação com o pico de julho.

Histórico

O Inter aproveitou o momento para fazer um levantamento sobre o comportamento do Ibovespa ao longo dos últimos anos, buscando entender os efeitos da primeira semana na Bolsa.

“Existe uma correlação positiva entre o retorno da primeira semana e o desempenho do índice ao longo do ano”, afirmam os analistas Fernando Urbano Rocha, Gabriela Cortez Joubert, Vitor Carvalho e Vitor Carvalho.

Dados apontam que em 20% das vezes, desde 1997, o Ibovespa teve um retorno anual negativo após uma primeira semana de queda.

“Em comum, estes anos foram marcados por crises externas ou internas, como a bolha das dotcom, crise do subprime e crise política interna em 2014 e 2015”, dizem.

Já quando se observa reversões de tendências, em 12% das vezes, o Ibovespa ignorou a tendência de queda da semana inicial e fechou em campo positivo.

Enquanto a média de retorno da primeira semana foi negativa em 5,6%, a valorização média anual do índice ultrapassou os 35%. Por outro lado, em quase 20% das vezes, o índice iniciou a semana em alta, mas encerrou o ano negativo.

Eleições

De acordo com a pesquisa, o Ibovespa teve queda na primeira semana do ano em apenas dois dos seis anos de eleições presidenciais, 1998 e 2014, anos de reeleição de Fernando Henrique Cardos e Dilma Roussef, respectivamente.

“Resguardadas as semelhanças entre primeira semana negativa e ano de eleições presidenciais com possibilidade de reeleição, devemos incluir na conta o fato de termos um ano ainda sob efeitos de uma pandemia em nível global nunca vivenciado pela atual sociedade, marcado por um cenário de políticas monetárias expansionista”, completa. 

Última atualização por Renan Dantas - 19/01/2022 - 20:26

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender
As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto