ImóvelTimes

Fundo imobiliário suspende negociações de venda milionária de ativo

05 jun 2023, 19:07 - atualizado em 05 jun 2023, 19:11
Fundo imobiliário Vinci Logística
Índice de fundos imobiliários engatou mais uma alta e, acima dos 3 mil pontos, atinge maior nível em mais de três anos (Imagem: Reprodução/Vinci Logística)

O índice de fundos imobiliários (Ifix) da B3 abriu a semana encurtada pelo feriado doméstico, na quinta-feira, com o pé direito. Além disso, o Ifix renovou as máximas desde fevereiro de 2020.

Com isso, o índice de FIIs fechou o pregão desta segunda-feira (5) em alta de 0,27% (após ajustes), aos 3.035 pontos. O volume de negócios foi alto, ficando acima dos R$ 230 milhões e também do total negociado na semana passada.



Entre os fundos imobiliários listados no Ifix, o Vinci Logística (VILG11) registrou a maior alta do dia, de 2,74%. Por outro lado, o RBR Rendimentos High Grade (RBRR11) exibiu a maior queda, de 2,18%.

  • GIRO DO MERCADO: Seu programa diário de segunda a sexta-feira, sempre ao meio-dia para te trazer todas as notícias que fervem no mercado financeiro e as análises que impulsionam seus investimentos! Salve o link e não perca!

Fundo imobiliário suspende venda de ativo

Falando em VILG11, o fundo imobiliário comunicou ao mercado, após o encerramento do pregão, que as tratativas para a venda do centro de distribuição Cachoeirinha, no Rio Grande do Sul, foram suspensas.

Em comunicado, o fundo não explica os motivos pelos quais as negociações de venda do imóvel, por R$ 100 milhões, foram interrompidas. A operação, anunciada no fim de janeiro deste ano, estimava um cap rate de 7,6%.

Repórter
Jornalista mineira com experiência em TV, rádio, agência de notícias e sites na cobertura de mercado financeiro, empresas, agronegócio e entretenimento. Antes do Money Times, passou pelo Valor Econômico, Agência CMA, Canal Rural, RIT TV e outros.
Linkedin
Jornalista mineira com experiência em TV, rádio, agência de notícias e sites na cobertura de mercado financeiro, empresas, agronegócio e entretenimento. Antes do Money Times, passou pelo Valor Econômico, Agência CMA, Canal Rural, RIT TV e outros.
Linkedin