Sobe-e-desce da Bolsa

Ibovespa: Casas Bahia (BHIA3) lidera as baixas, enquanto IRB (IRBR3) é destaque positivo

22 set 2023, 12:49 - atualizado em 22 set 2023, 17:03
Ibovespa
Ibovespa: as mineradoras sobem na sessão desta sexta-feira (22) (Imagem: Diana Cheng/Money Times)

Ibovespa (IBOV) opera em alta na última sessão da semana. Na véspera, o principal índice da Bolsa brasileira encerrou em queda de 2,15%, a 116,1 mil pontos.

Por volta de 12h40, as ações da Casas Bahia (BHIA3) lideravam as maiores baixas, caindo 4,05%. Do mesmo setor, Magalu (MGLU3) perdia 0,85%.

Braskem (BRKM5) e Vamos (VAMO3) também figuravam a ponta negativa, recuando 3,95% e 3,66%, respectivamente.

B3 (B3SA3) caía 1,19% após comunicar a alteração dos valores de dividendos referentes ao segundo trimestre.

Altas do Ibovespa

O maior destaque do dia era o IRB (IRBR3), que disparava 4,94% após divulgar que lucrou R$ 22,3 milhões em julho de 2023, revertendo o prejuízo de R$ 58,9 milhões registrado no mesmo mês do ano passado.

Os analistas avaliam os números como “positivos”. Luan Calimerio, do BB Investimentos, diz que o balanço foi beneficiado pelos resultados de subscrição, financeiro e patrimonial, além de um índice de sinistralidade mais positivo.

Lojas Renner (LREN3) subia 0,79% após anunciar que aprovou a distribuição de R$ 171,7 milhões em juros sobre o capital próprio (JCP).

Vale (VALE3), CSN Mineração (CMIN3) e CSN (CSNA3) sobem 1,66%, 1,30% e 0,16%, respectivamente. O movimento acontece em paralelo ao minério de ferro de referência para outubro ter subido 3,2% na Bolsa de Cingapura.

As petroleiras tinham sessão mista. Petrobras (PETR4) ganhava 1,01%, mesmo com especulações de que a empresa poderia ser pressionada com a restrição da Rússia sobre a exportação do diesel. Prio (PRIO3) subia 0,04% e 3R Petroleum (RRRP3) caía 0,64%.

Repórter
Graduanda em jornalismo pela Universidade Estácio de Sá. Tem experiência cobrindo mercados, ações, investimentos, finanças, negócios, empreendedorismo, franquias, cultura e entretenimento. Ingressou no Money Times em 2021.
Linkedin
Graduanda em jornalismo pela Universidade Estácio de Sá. Tem experiência cobrindo mercados, ações, investimentos, finanças, negócios, empreendedorismo, franquias, cultura e entretenimento. Ingressou no Money Times em 2021.
Linkedin