Mercados

Ibovespa fecha em leve queda com Wall Street e peso das commodities

03 jun 2024, 17:19 - atualizado em 03 jun 2024, 20:29
minerio de ferro ibovespa
Ibovespa fechou em queda de 0,05%, atuando com grande volatilidade nesta segunda (Imagem: Pixabay/diegocadtrujillo0)

O Ibovespa fechou em leve queda, com ações do setor de commodities, como Vale (VALE3) e Petrobras (PETR3;PETR4), no vermelho, e com o peso de Wall Street

O índice fechou em baixa de 0,05%, a 122.031,58 pontos.

  • Onde investir neste mês? Veja 10 ações em diferentes setores da economia para buscar lucros. Baixe

Nas maiores altas, Hypera (HYPE3) e Pão de Açúcar (PCAR3) lideraram o pregão com +5,38% e +7,32%, respectivamente. Além disso, Magazine Luiza (MGLU3) subiu 2,34%.

Na ponta negativa, as mineradoras como Gerdau (GGBR4),Vale, CSN (CSNA3) e CSN Mineração (CMIN3) recuaram 2,87%, 1,11%, 2,98% e 2,23%, respectivamente. A queda refletiu a baixa no valor do minério de ferro e o preço das commodities. 

Como a China e o preço das commodities pesaram o Ibovespa

Apesar da divulgação positiva do Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) da China, o minério de ferro caiu. De acordo com Rodrigo Cohen, analista de investimentos e co-fundador da Escola de Investimentos, o PMI não é o indicador mais esperado pela China nesta semana, e sim o balanço comercial.

“Como a gente não sabe ainda qual é o resultado desse indicador, o mercado fica em zona de defesa e por isso, a China caiu e o minério cai também”, afirma.

Ele lembra ainda que tivemos um evento bem crítico na China em relação a construtoras passando por prejuízos.

“Então a gente sabe que a produção de minério está cada vez menor, por isso é um dos motivos que faz o preço do minério cair cada vez mais”.

Além disso, a incerteza nos juros dos Estados Unidos e da Europa ajuda a piorar os preços das commodities.

“Para essa situação melhorar, a China precisa voltar a apresentar resultados mais robustos na economia”, destacou Cohen.

“Os incentivos precisam começar a surtir efeito em relação aos juros na China, aí sim o mundo vai voltar a olhar a China de forma diferente”.

Estagiária de Redação
Estudante da área de comunicação, cursando Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Ingressou no Money Times em 2024 como estagiária.
Linkedin
Estudante da área de comunicação, cursando Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Ingressou no Money Times em 2024 como estagiária.
Linkedin
Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.