Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Ibovespa sobe com euforia da Ásia e noticiário corporativo intenso; Cogna em foco

06/07/2020 - 12:29
Ibovespa
Liquidez global sustenta fôlego dos mercados (Imagem: Reuters/Nacho Doce)

O tom positivo prevalecia na bolsa paulista nesta segunda-feira, seguindo a trajetória de alta dos mercados no exterior, em sessão de noticiário corporativo intenso no Brasil, com Cogna entre as maiores altas após protocolar nos EUA registro de IPO para sua subsidiária Vasta.

Às 12:29 (horário de Brasília), o Ibovespa (IBOV) subia 2,41%, a 99.129,48 pontos.

Notícias otimista sobre o mercado na China puxaram o ânimo nas bolsas globais e dados sobre a atividade manufatureira nos Estados Unidos reforçavam a expectativa de recuperação rápida daquela economia, respaldando uma abertura de semana positiva.

Para a equipe do BTG Pactual (BPAC11), a expectativa de melhora nos dados nas próximas semanas e a possibilidade de estarmos bem próximos do desenvolvimento de uma vacina contra a Covid-19 ajudam nos ganhos.

Em Wall Street, o S&P 500 subia 1,5%.

Da cena doméstica, a equipe da XP Investimentos destacou comentários do ministro da Economia, Paulo Guedes, do domingo de que o governo fará quatro grandes privatizações em até 90 dias e que a Reforma Tributária deverá ser aprovada ainda em 2020.

Paulo Guedes
Paulo Guedes anuncia quatro grandes privatizações em até 90 dias (Imagem: Flickr/Ministério da Economia)

Também no radar estavam comentários do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, de que a prioridade número um do segundo semestre é a reforma tributária, enquanto afirmou que não há chance de uma CPMF passar.

O mercado de capitais brasileiro voltou à atividade com toda força no segundo trimestre do ano e as ofertas de ações de empresas brasileiras já cresceram 10% no primeiro semestre, segundo dados da Refinitiv.

Destaques

Cogna (COGN3) avançava 9,17%, após fazer registro da oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de ações classe A da sua subsidiária Vasta Platform Limited, junto à Securities and Exchange Commission (SEC) nos Estados Unidos.

No setor de educação, Yduqs (YDUQ3) subia 3,10%.

B2W (BTOW3) tinha elevação de 4,45%, após sua controladora Lojas Americanas anunciar oferta de ações de até 7 bilhões de reais que inclui a varejista online como um dos destinos dos recursos captados na operação.

Lojas Americanas LAME4
A ação da Lojas Americanas dispara 7% (Imagem: Money Times/Gustavo Kahil)

A Lojas Americanas disse que avalia a possibilidade de capitalizar a B2W em 3 bilhões de reais. Lojas Americanas (LAME3LAME4) subia 1,77%.

Cosan (CSAN3) mostrava acréscimo de 1,26%, após anunciar na sexta-feira um plano para simplificar sua estrutura societária em uma única holding, e a preparação para possível listagem em bolsa das subsidiárias Moove, Raízen e Compass.

IRB Brasil (IRBR3) perdia 1,24%, conforme o papel segue sendo penalizado pelo anúncio de que fará captação bilionária para repor provisões técnicas regulatórias afetadas por fraude contábil.

Petrobras (PETR3; PETR4) subiam 3,09% e 3,91%, respectivamente, tendo de pano de fundo a alta do petróleo Brent no exterior, além de avanços em seu plano de desinvestimento.

Os ministérios da Economia e de Minas e Energia também defenderam nesta segunda-feira em nota que a decisão da Petrobras de vender parte de seus ativos de refino não vai contra decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre desestatizações.

Mercado Livre, negociada em Nova York, subia 3,3%, ultrapassando a cotação de US$ 1.000 pela primeira vez, com o setor de comércio eletrônico amplamente ajudado pela pandemia de Covid-19, que fez as entregas online crescerem fortemente.

Mercado Livre
Mercado Livre ultrapassa pela 1° vez cotação de US$ 1 mil (Imagem: Money Times/Gustavo Kahil)

No Brasil, Via Varejo (VVAR3) avançava 2,44% e Magazine Luiza (MGLU3) tinha alta de 0,42%.

JHSF (JHSF3), que não está no Ibovespa, avançava 3,4%, mesmo após anunciar oferta restrita de até 44.427.950 ações ordinárias, com distribuição primária e secundária, que espera precificar em 15 de julho.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Última atualização por Lucas Simões - 06/07/2020 - 12:30