Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Maia diz que visita de Pompeo não condiz com boa prática diplomática; Ernesto Araújo rebate

19/09/2020 - 15:12
Rodrigo Maia
Para o presidente da Câmara, a presença de Pompeo em instalações de operação de acolhimento a migrantes venezuelanos em Roraima afronta a herança da diplomacia brasileira (Imagem: Michel Jesus/Câmara dos Deputados)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou na sexta-feira que a visita do secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, a local próximo da fronteira com a Venezuela não condiz com a “boa prática diplomática”.

Neste sábado, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, procurou rebater as declarações do deputado.

Para o presidente da Câmara, a presença de Pompeo em instalações de operação de acolhimento a migrantes venezuelanos em Roraima afronta a herança da diplomacia brasileira de “altivez” e convívio pacífico com os países vizinhos.

“A visita do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, nesta sexta-feira, às instalações da Operação Acolhida, em Roraima, junto à fronteira com a Venezuela, no momento em que faltam apenas 46 dias para a eleição presidencial norte-americana, não condiz com a boa prática diplomática internacional e afronta as tradições de autonomia e altivez de nossas políticas externa e de defesa”, disse Maia em nota.

Sinqia (SQIA3) salta 75% no 1º trimestre e só prova o potencial das Microcaps brasileiras: saiba como investir nelas

O deputado afirmou ter a obrigação, como presidente da Câmara, de reiterar os princípios listados pela Constituição que orientam as relações internacionais do país, como a independência nacional, a autodeterminação dos povos, a não-intervenção e a defesa da paz.

Em nota, Araújo afirmou que as declarações de Maia baseiam-se em “informações insuficientes e interpretações equivocadas”.

Defendendo a parceria entre Brasil e Estados Unidos, que estão entre os países que reconhecem o líder de oposição Juan Guaidó como presidente legítimo da Venezuela e não o presidente Nicolás Maduro, Araújo afirmou que “o povo brasileiro preza pela sua própria segurança, e a persistência na Venezuela de um regime aliado ao narcotráfico, terrorismo e crime organizado ameaça permanentemente essa segurança”.

“Não há ‘autonomia e altivez’ em ignorar o sofrimento do povo venezuelano ou em negligenciar a segurança do povo brasileiro”, acrescentou o chanceler.

Ernesto Araújo
Em nota, Araújo afirmou que as declarações de Maia baseiam-se em “informações insuficientes e interpretações equivocadas” (Imagem: REUTERS/Luis Echeverria)

“Buscar a paz não significa acovardar-se diante de tiranos e criminosos. A independência nacional não significa rejeitar parcerias que nos ajudem a defender nossos interesses mais urgentes e nossos valores mais caros”, disse ainda Araújo.

Dezenas de milhares de venezuelanos cruzaram a fronteira do Estado brasileiro de Roraima nos últimos anos, fugindo da turbulência econômica e política em seu país.

A economia da Venezuela tem estado em declínio e há ondas periódicas de protestos contra o governo Maduro, de esquerda.

O governo de Roraima declarou o fluxo de imigração como uma crise social e pediu ao governo federal do Brasil para fechar a fronteira, o que não ocorreu por razões humanitárias.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Rafael Borges - 19/09/2020 - 15:12

Pela Web