Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Movimentação de 50 bitcoins de 2009 assusta o mercado; preço cai 5%

21/05/2020 - 9:53
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Uma recente movimentação de bitcoins antigos assustou o mercado cripto, resultando em uma queda de 5,2% durante uma hora (Imagem: Pixabay/p2722754)

Nessa quarta-feira (20), às 12h54 UTC (ou 9h54, no horário de Brasília), 50 bitcoins foram transferidos de uma carteira que não esteve em atividade desde fevereiro de 2009.

As moedas que foram enviadas para um outro endereço haviam sido mineradas com sucesso no bloco do Bitcoin de número 3.654, na época em que a mineração por bloco era 50 BTC.

Devido ao halving mais recente, agora a recompensa por bloco é de apenas 6,5 BTC. Na época em que a transação havia acontecido, o valor do bitcoin movimentado totalizava US$ 448 mil.

A transferência desses antigos bitcoins foi a primeira desde agosto de 2017, em que moedas mineradas no início de 2009 haviam sido transferidas. Geralmente, a movimentação de bitcoins dessa época assustam o mercado por conta da ameaça de uma velha “baleia” sacando seus ativos e danificando o preço de mercado do bitcoin.

Essa transação foi notada por Whale Alerts — uma conta popular no Twitter que rastreia grandes movimentações de criptomoedas — como proveniente de uma carteira controlada por Satoshi Nakamoto, o anônimo criador do Bitcoin.

Apesar de ser difícil fornecer uma estimativa exata, alguns afirmam que o número de bitcoins nas antigas carteiras de Satoshi é de 980 mil BTC, ou o equivalente a US$ 9,3 bilhões nos preços atuais.

Considerando que cerca de 4,7% de todo o fornecimento de bitcoin a ser criado foi minerado por Satoshi, existe uma grande possibilidade de que mesmo uma pequena porcentagem dessas moedas sendo vendidas geraria uma enorme pressão no mercado cripto.

Dito isso, evidências sugerem que Satoshi nunca gastou seus bitcoins acumulados. Além disso, ninguém ouviu falar do anônimo fundador desde 12 de dezembro de 2010, em que ele publicou seu último texto no fórum Bitcointalk.org sobre a implementação da proteção DoS (de negação de serviço) para o Bitcoin.

A movimentação mais recentes desses bitcoins antigos não se enquadra ao “padrão Patoshi”, um padrão comum de “nonces” (valores numéricos gerados aleatoriamente por equipamentos de mineração para ganhar o direito de acrescentar um bloco ao blockchain) nos primeiros blocos de bitcoin, usado para designar quais blocos foram minerados por Satoshi.

Embora a movimentação dessas moedas antigas foi confirmado em um bloco às 12h54 UTC (9h54, no horário de Brasília), Whale Alerts só tuitou sobre a movimentação às 14h54 UTC (11h54), duas horas depois.

Pode ser que o atraso tenha sido para dar uma vantagem ao(s) criador(es) da conta e indivíduos específicos, permitindo que capitalizassem sobre a notícia antes de todos ficarem sabendo. Esse argumento é apoiado pela forma como o preço do bitcoin reagiu a cada evento.

Como podemos ver no gráfico acima, de bitcoin de um minuto da BitMEX, o preço não reagiu à movimentação inicial das moedas, mas sim ao tuíte publicado pelo perfil Whale Alerts.

Isso indica que negociadores que sabiam sobre a transferência antes do tuíte ser publicado teriam uma janela de duas horas para abrir uma posição que capitalizasse sem a notícia.

Apesar de informações assimétricas serem uma realidade de negociação em qualquer mercado, dados do blockchain Bitcoin estão disponíveis para todos e, em teoria, qualquer um com o software de monitoramento de endereços conseguiria detectar a movimentação quando isso aconteceu.

Corretoras de derivativos negociam com um desconto ou prêmio durante épocas de violenta movimentação de preço e essa liquidação mais recente não foi exceção.

No gráfico acima, o preço na BitMEX (linha branca) e o preço na Coinbase (linha vermelha) estavam bem próximos antes da queda no preço.

Porém, quando as liquidações começaram, o preço na BitMEX, que é um contrato de derivativo, diferente do mercado à vista na Coinbase, foi negociado a um desconto em comparação ao preço na Coinbase.

Geralmente, isso é consequência da liquidação de posições altamente alavancadas, que acrescentam mais pressão na direção da movimentação, resultando em um prêmio ou desconto em comparação aos preços de mercados à vista.

Em seu ponto mais baixo, o contrato de derivativo em bitcoin da BitMEX estava sendo negociado US$ 20 a menos do que o preço à vista do bitcoin na Coinbase.

Na popular corretora de mercado à vista Bitstamp, o preço do bitcoin caiu para US$ 9,1 mil durante a queda. Isso aconteceu em um período de um minuto. Porém, o preço rapidamente reestabeleceu o equilíbrio com o restante do mercado.

Como podemos ver na seção inferior do gráfico acima, houve uma quantia alta e anormal no volume de vendas durante esse período: cerca de 1,1 mil BTC.

Essa quantidade não seria tão grande para ser absorvida pelo restante de posições de compra (“bid”) no livro de ofertas, além da súbita queda para US$ 9,1 mil. Geralmente, ordens desse tamanho são realizadas em blocos para que o preço não caia, como visto acima.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 21/05/2020 - 9:53