O futuro da comunidade cripto está nas organizações autônomas descentralizadas?

Vitória Martini
30/11/2021 - 13:11
Descentralização DAO Conexão Freepik
Este artigo da série Bê-a-bá cripto foi elaborado para sanar as dúvidas ligadas às organizações autônomas descentralizadas e seus funcionamentos (Imagem: Freepik/rawpixel.com)

Você já ouviu falar em “DAO”, mas ficou na dúvida do que isso significava? Ou leu “organização autônoma descentralizada” e não viu muito sentido na expressão?

Este artigo da série Bê-a-bá cripto foi elaborado para solucionar essas e outras questões que você possa ter em relação às DAOs e seus modos de funcionamento.

O que é uma DAO?

Segundo o Decrypt, uma organização autônoma descentralizada (DAO) é uma estrutura de negócios, em que o controle está distribuído pelos membros da comunidade, ao invés de estar centralizado em uma única figura de autoridade.

Uma DAO opera de modo semelhante a uma máquina, cujos movimentos foram programados anteriormente. No caso da organização autônoma, as tarefas a serem executadas são pré-programadas por contratos autônomos (“smart contracts”).

Como funcionam as DAOs?

As DAOs podem pertencer a diferentes comunidades, com diferentes objetivos. Por isso, cada comunidade pode adaptar sua DAO e programá-la para que atenda os objetivos em comum estabelecidos.

Segundo o Decrypt, o código de uma organização é feito na forma de contratos autônomos, o que dá à DAO uma espécie de mecanismo de governança.

Já os membros da DAO geralmente usam o token de governança em votação de propostas, como alocação de fundos, por exemplo. Vale ressaltar que, muitas vezes, o impacto do voto de um membro varia de acordo com a quantidade de tokens que este possui.

DAOs em todas as formas e tamanhos

De acordo com o Decrypt, as DAOs podem apresentar diferentes configurações, dependendo do objetivo de cada uma:

  • Projetos cripto: podem ser considerados como DAOs os projetos cripto que são gerenciados por uma governança descentralizada, em que detentores de tokens votam quanto aos rumos do projeto. Um exemplo dessa categoria de DAO é a MakerDAO.
  • Financiamento: uma organização autônoma descentralizada pode também ser usada para conceder fundos de desenvolvimento, dependendo dos critérios estabelecidos. Um exemplo desse tipo de DAO é MolochDAO.
  • Investimentos: algumas DAOs com fins lucrativos foram geradas a partir de bifurcações (“forks”) de outras organizações, o que chegou a acontecer com a MolochDAO. Nessa categoria de organização autônoma descentralizada, ações e outros ativos são distribuídos entre os membros da comunidade, como é o caso da MetaCartel Ventures.
  • Coleção: os tokens não fungíveis (NFTs, na sigla em inglês) viraram febre durante o ano de 2021. Com isso, surgiram algumas DAOs focadas em arrecadar fundos para a aquisição desses tokens, como faz a FlamingoDAO. Nesse tipo de organização, os membros podem fracionar os direitos sobre os NFTs, além de emprestá-los ou exibi-los em alguma galeria de arte digital. A comunidade é quem irá decidir o que será feito com os NFTs que adquire.
Arrecadação Dinheiro Moeda Financiamento Poupança
Uma DAO criada recentemente, a ConstitutionDAO, representou um marco histórico para as organizações autônomas descentralizadas (Imagem: Freepik/jcomp)

Além disso, em novembro de 2021, foi criada a ConstitutionDAO, que fez história ao arrecadar, em menos de uma semana, dezenas de milhões de dólares na Ethereum para participar de um leilão, em que seria vendida uma cópia rara da Constituição dos Estados Unidos.

De acordo com as categorias acima, ConstitutionDAO – que foi criada unicamente para participar do leilão – poderia ser classificada tanto em “financiamentos” quanto em “coleção”, visto que os membros da comunidade fizeram doações para tentar ganhar o leilão, além de que a propriedade sobre a cópia seria dividida entre os membros.

No entanto, a DAO não conseguiu ganhar o leilão, que foi realizado no dia 18 de novembro de 2021. Mesmo assim, ConstitutionDAO representa o maior financiamento coletivo que já existiu, tanto no mundo das criptomoedas quanto no das moedas fiduciárias.

Quais as vantagens das DAOs?

Segundo o Decrypt, as organizações autônomas descentralizadas apresentam vantagens, como a transparência. As ações que determinam o futuro da DAO – sejam em termos de votações ou decisões de financiamento – são visíveis para qualquer membro da comunidade.

Uma outra vantagem das DAOs é poder obter maior apoio e, consequentemente, ser mais fácil alcançar os objetivos da organização.

Tendo em vista que as DAOs não têm restrições geográficas, membros em qualquer parte do mundo podem contribuir com a comunidade, o que reduz as barreiras de entrada em comparação com companhias tradicionais.

O terceiro benefício está ligado ao baixo custo que as organizações apresentam. Segundo o Decrypt, o conceito por trás das DAOs vem das finanças descentralizadas (DeFi), as quais contam com várias ferramentas já estabelecidas, o que faz com que seja necessário desenvolver poucas ferramentas desde o início.

Por fim, o fator colaborativo também é uma vantagem das DAOs. O fato de uma organização oferecer uma voz a todos os que participam dela reúne o conhecimento dos participantes, levando a um fortalecimento da proposta da DAO, o que permite que especialistas invistam no ecossistema em construção.

Quais as desvantagens das DAOs?

De acordo com o Decrypt, não são só de flores que vivem as DAOs. Essas organizações também apresentam algumas desvantagens, como sua estrutura horizontal.

Pelo fato das DAOs não terem uma figura central de comando ou autoridade, elas podem ser mais lentas para operar, visto que tomar decisões leva mais tempo, devido à descentralização da comunidade.

Um outro ponto negativo das DAOs está ligado às desavenças que podem surgir. Quando a comunidade por trás da organização discorda fortemente, isso pode gerar uma separação da DAO, criando uma segunda organização.

A terceira desvantagem que pode estar presente nas DAOs está ligada à proporção do poder de voto.

Como algumas DAOs usam tokens de governança, ou seja, tokens que ajudam a decidir o futuro daquela comunidade, aqueles que detêm mais tokens têm mais votos e, consequentemente, maior chance de conseguirem o que desejam para a DAO.

Nesse aspecto, essas organizações ainda se assemelham com organizações tradicionais.

Por fim, a última desvantagem está na legalidade das DAOs. Tendo em vista que certas organizações apresentam propostas de tokens, estes podem ser considerados por reguladoras como valores mobiliários, o que os torna sujeitos à regulamentação e supervisão dos países.

Quanto ao futuro das organizações autônomas descentralizadas, os defensores das DAOs acreditam que elas se tornarão mais sofisticadas no futuro.

Segundo o Decrypt, algumas tendências que as DAOs poderão apresentar incluem anonimato, descentralização progressiva, maiores incentivos para participação e mercados de previsão.

Última atualização por Vitória Martini - 03/12/2021 - 16:06

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado cripto?
Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto