Balancer apresenta nova versão de seu protocolo formador de mercado

13/05/2021 - 13:22
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
O objetivo da atualização é melhorar a experiência do usuário que utiliza o protocolo para impulsionar seus rendimentos (Imagem: Medium/Balancer)

Balancer Labs, a empresa de finanças descentralizadas (DeFi, na sigla em inglês), lançou a segunda versão do Balancer, seu protocolo de formação automatizada de mercado (AMM).

A segunda versão do Balancer, em desenvolvimento há mais de um ano, apresenta uma nova interface de usuário (UI), baixos custos de gás — taxas pagas pelo processamento de transações — e multiassinaturas (“multisig”) atualizadas pela comunidade, dentre outras atualizações.

Segundo a equipe do Balancer Labs, a nova identidade do site, bem como sua interface de front-end, devem ser mais “receptiva” e “acessível a um público mais amplo conforme DeFi se tornam mais populares”.

“Os gradientes e as formas geométricas e vibrantes representam a flexibilidade do Balancer Protocol e nosso uso da matemática como uma força para o bem. Texturas feitas à mão ajudam a manter tudo muito divertido e agradável”, afirmou Fernando Martinelli, CEO do Balancer Labs, em entrevista ao The Block.

“Decidimos reformular nossa identidade agora para refletir melhor nossos valores e promessas aos clientes para tornar [o protocolo] mais flexível, eficiente e seguro. Uma interface de usuário limpa e simples era algo que faltava em outras iterações do Balancer e essa experiência atualizada simplifica o uso da plataforma por investidores e LPs [fornecedores de liquidez].”

Em termos de operações de back-end, a equipe afirma que as negociações serão roteadas por meio do protocolo mais eficiente. Afirmaram que a primeira versão do protocolo irá fornecer o melhor preço até haver liquidez suficiente na segunda versão.

Neste momento, a equipe espera que as negociações sejam roteadas por meio do Protocol Vault da segunda versão, abaixando os custos de gás e melhorando os preços para os usuários. A equipe também espera que essa migração de liquidez comece no fim de maio ou no início de junho e dure alguns meses.

Segundo Martinelli, um dos maiores desafios que a equipe enfrentou ao desenvolver a segunda versão foi tomar a decisão de ter um único “vault” para armazenar todos os ativos de todos os pools.

“Vaults” são pools de fundos que têm uma estratégia criada para maximizar possíveis rendimentos em pools de ativos DeFi.

“O ‘vault’ único é um dos motivos pelos quais a v.2 do Balancer oferece custos menores de gás e é fácil de usar. Porém, alguns podem dizer que há mais risco intrínseco de ter fundos em um único contrato autônomo. A segurança é nossa maior prioridade, então discutimos bastante sobre esse ponto”, disse Martinelli.

“Ao longo do processo de design, discutimos profundamente cada impasse para garantir a segurança a cada etapa.”

No fim de abril, Balancer Labs anunciou que iria oferecer mais de US$ 2 milhões a hackers do bem ou “éticos” que encontrassem qualquer falha na segunda versão da plataforma. Na época, Martinelli afirmou que não foram encontradas falhas no programa de caça a bugs.

Nas próximas semanas, a equipe por trás da gestora automatizada de portfólio planeja compartilhar mais detalhes sobre a migração de liquidez, o programa de “liquidity mining” do token BAL e a governança na segunda versão.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
theblockcrypto.com © 2020 - The Block Crypto, Inc. All rights reserved. Todos os direitos reservados.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 13/05/2021 - 13:24

Pela Web