Cosan (CSAN3) e Raízen (RAIZ4): Não seja pego no susto pelas ações e o que mais bombou no Agro Times

Lucas Eurico Simões
15/05/2022 - 11:30
Dividendos Agronegócio
Notícia sobre Cosan (CSAN3) e Raízen (RAIZ4) NO 1T22 chama mais atenção dos investidores aqui no Agro Times na semana. Fique por dentro. (Imagem: Pixabay/@alexsander)

A temporada de balanços do primeiro trimestre (1T22) segue à todo vapor no Brasil e contempla companhias do agronegócio na semana. Em particular, os balanços podem ser um divisor de águas para as ações da Cosan (CSAN3) e da Raízen (RAIZ4), o que bastante atenção dos leitores e investidores aqui.

Confira abaixo as cinco notícias mais lidas do Agro Times:

5° lugar: JBS (JBSS3) pagará R$ 2,2 bilhões em dividendos (e ainda dá para aproveitar); confira

O conselho de administração da JBS (JBSS3) aprovou a distribuição de R$ 2,2 bilhões em dividendos a seus acionistas, informou a companhia nesta quarta-feira (11).

O estimado por ação é de R$ 1 e o pagamento será imputado no cálculo de dividendos mínimos obrigatórios de 2022.

Terão direito à distribuição acionistas com posição no dia 16 de maio.

✍️REPORTAGEM: LAURA INTRIERI

LEIA MAIS.

4° lugar: Em ‘super quarta’ de balanços do agro, o que esperar de JBS (JBSS3), Minerva (BEEF3) e SLC (SLCE3)

Os Estados Unidos farão a diferença e Seara será o alerta da JBS (JBSS3). Para o Minerva (BEEF3), a Athena Food segue fazendo gol.

Na SLC Agrícola (SLCE3), preços dos grãos e produtividade ditam o ritmo. Na ‘super quarta’ dos balanços do agro, esse é o resumo do que esperar das três empresas que soltarão o 1T22 depois das 17 horas.

Há focos de pressão que podem influir nas margens dos dois frigoríficos, enquanto para a produtora de commodities a elevação dos custos abre uma interrogação, mas no geral os resultados das companhias são positivamente aguardados para os analistas Rodrigo Crespi, da Guide Investimentos, Mary Cleia da Silva, do Banco do Brasil (BBAS3), e Juan Espinhel, da Invest Consultoria.

✍️REPORTAGEM: GIOVANNI LORENZON

LEIA MAIS.

🏆3° lugar: JBS (JBSS3) compra empresa e anuncia centro de pesquisa de biotecnologia

JBS (JBSS3) anunciou nesta segunda-feira (9) a conclusão da aquisição da empresa espanhola BioTech Foods, atuante no desenvolvimento de biotecnologia para a produção de proteína cultivada.

A compra tem o intuito de viabilizar produção comercial a partir de 2024 com capacidade de mil toneladas por ano e investimento fabril de US$ 41 milhões.

JBS também anunciou que sediará em Florianópolis o centro de pesquisa voltada para o tema, com investimento de US$ 60 milhões.

✍️REPORTAGEM: LAURA INTRIERI

LEIA MAIS.

🏆2° lugar: Tyson Foods, como Marfrig (MRFG3), mostraram o que esperar da JBS (JBSS3) nos EUA no 1T22?

Os resultados da Tyson Foods no segundo trimestre fiscal dos Estados Unidos, como os da Marfrig (MGRF3) de janeiro a março na América do Norte, devem ser pistas firmes para o que esperar do balanço da JBS (JBSS3), a ser divulgado quarta.

Pelo menos fora do corporativo, o lado operacional pode confirmar a renovação de outro bom período naquele mercado, influindo nos números gerais do 1T22.

A Tyson garantiu US$ 829 milhões de lucro líquido no período de 2 de janeiro a 2 abril, em alta de 74%, puxado por receita em vendas de 16% superior, que foi a US$ 11,3 bilhões, reportando que todos os três segmentos tiveram ganhos.

✍️REPORTAGEM: GIOVANNI LORENZON

LEIA MAIS.

🏆1° lugar: Cosan (CSAN3) e Raízen (RAIZ4) no 1T22: Não seja pego no susto e veja se é hora de ter as ações

Cosan
Cosan (CSAN3) e Raízen (RAIZ4) vão dar a fotografia de como foi o 1T22 e projetar o futuro. Saiba se chegou a hora de comprar as ações com desconto. (Imagem: divulgação)

O conglomerado do agronegócio Cosan (CSAN3) e sua empresa controlada Raízen (RAIZ4), líder mundial na produção de etanol, divulgam resultados do primeiro trimestre (1T22) nesta semana dando o que falar. Afinal, as ações de ambas não estão no seu melhor momento na Bolsa brasileira.

Ainda assim o BTG Pactual tem recomendação de compra tanto para Cosan quanto para Raízen. E o banco tem lá os seus motivos e eis o porquê para que o investidor não seja pego no susto nessa temporada de balanços corporativos.

As ações de ambas companhias só têm apanhado na B3 (B3SA3) nos últimos 30 dias, acumulando quedas de 23% (Cosan) e 25% (Raízen), com boa parte da desvalorização à cargo do cenário macro complicado.

✍️REPORTAGEM: LUCAS EURICO SIMÕES

LEIA MAIS.

Última atualização por Lucas Eurico Simões - 13/05/2022 - 11:40

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado agro?
Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto