Sobe-e-desce da Bolsa

Ibovespa: Vale (VALE3) sobe enquanto Petrobras (PETR4) recua; Minerva (BEEF3) despenca

29 ago 2023, 13:03 - atualizado em 29 ago 2023, 13:03
Ibovespa
Ibovespa: as petroleiras operavam de forma mista na sessão desta terça-feira (29) (Imagem: REUTERS/Amanda Perobelli)

Ibovespa (IBOV) sobe nesta terça-feira (29), depois de encerrar a última sessão em alta de 1,11%, negociado aos 117,1 mil pontos.

Por volta de 12h55, as ações de Marfrig (MRFG3) disparavam 9,06% liderando as altas, enquanto Minerva (BEEF3) derretia 15,14% e liderava as baixas. O movimento acontece após ambas as empresas anunciarem que firmaram um contrato de R$ 7,5 bilhões envolvendo a alienação de 16 plantas e um centro de distribuição.

JBS (JBSS3) recuava 0,53% após o conselho de administração da companhia aprovar a emissão de R$ 1,875 bilhão em debêntures simples.

Pão de Açúcar (PCAR3) estendia o movimento da véspera e caía 4,91%. Braskem (BRKM5) e Yduqs (YDUQ3) também eram destaques negativos e perdiam 2,30% e 1,97%, respectivamente.

Petrobras (PETR4) perdia 0,16%, após a empresa comunicar a transferência total de sua participação nos Polos Golfinho e Camarupim para a BW Energy Maromba do Brasil. Prio (PRIO3) recuava 0,66% e 3R Petroleum (RRRP3) ganhava 1,95%.

Altas do Ibovespa

Com altas menos expressivas, IRB (IRBR3) subia 3,09% e figurava o segundo lugar de destaque positivo do pregão. Itaú (ITUB4) avançava 2,05%. Tim (TIMS3) e CVC (CVCB3) vinham em seguida, subindo 1,78% e 1,36%, respectivamente.

Vale (VALE3), CSN Mineração (CMIN3) e CSN (CSNA3) subiam 2,29%, 1,93% e 2,01%, respectivamente, mesmo após o minério de ferro mais negociado para janeiro em Dalian encerrar as negociações do dia com queda de 1,04%, a US$ 111,22 por tonelada.

Repórter
Graduanda em jornalismo pela Universidade Estácio de Sá. Tem experiência cobrindo mercados, ações, investimentos, finanças, negócios, empreendedorismo, franquias, cultura e entretenimento. Ingressou no Money Times em 2021.
Linkedin
Graduanda em jornalismo pela Universidade Estácio de Sá. Tem experiência cobrindo mercados, ações, investimentos, finanças, negócios, empreendedorismo, franquias, cultura e entretenimento. Ingressou no Money Times em 2021.
Linkedin